21 outubro 2021

O PEQUENO SERÁ POR 1000

 


                                            O PEQUENO SERÁ POR 1000

O menor virá a ser mil, e o mínimo uma nação forte; eu, o SENHOR, ao seu tempo o farei prontamente”. Is. 60:22.

 O profeta Isaias lembre ao povo de Israel sobre a prontidão do agir do Senhor e seu poder e grandeza.

As obras feitas par Deus muitas vezes começam pequenas e nem por isso tem menos valor. Spurgeon disse: “A debilidade educa a fé acerca das coisas de Deus e glorifica seu nome”. Lembremos o que disse o Senhor Jesus que o grão de mostarda, a menor de todas as sementes, sem dúvida se faz grande árvore e as aves do céu fazEm nelas seus ninhos.

Sim, comecemos pelo pequeno e com certeza será por 1000.

O Senhor nosso Deus se mostra grande no dia da multiplicação, para que toda glória seja dada a Ele. Quantas vezes Ele disse a seus servos, te multiplicarei.

Confiemos no Senhor, nós o que somos poucos, porque Ele estará em nosso meio, nós os que congregamos com Ele.

Para outros somos os menores, buscam grandeza e visibilidade, mas somos o núcleo de um povo grande. E não achemos que esta promessa está longe, Deus diz: “Eu, o Senhor, a seu tempo farei isso prontamente”.

Não virá de repente como em reuniões sensacionais ou especiais, será a Seu tempo, sem dúvida não tardará.

Quando o Senhor se apressa, sua ação é gloriosa.

 

SOLI DEO GLORIA

 

Pr. Luiz Fernando R. de Souza

08 outubro 2021

COMUNISMO À LUZ DA BÍBLIA - ALGUNS APONTAMENTOS

 

 Assunto de extrema relevância porque o comunismo se travestiu com uma nova roupagem que vem enganando boa parte da sociedade. Hoje ele mesmo se autodenomina de progressista. Os esquerdistas não falam mais que são comunistas radicais, mas se autodenominam de progressistas. Mas no fundo os princípios são os mesmos, mas com uma nova abordagem. No Brasil expoentes como Ariovaldo Ramos, Ed Rene Kivitz, , Henrique Vieiras pastor da Igreja Batista do Caminho, Pr. Samuel Oliveira da Comunidade Cristã da Zona Leste, Pr. Fábio Bezerril da Comunidade Cristã Palavra e Vida dentre outros abraçaram as ideologias marxistas e as defendem abertamente como Ariovaldo Ramos fez ao visitar Lula em Curitiba, quando preso pela PF. 

Quais são as novas bandeiras adotadas pelos comunistas progressistas?

Entre as bandeiras da BEP – Bancada Evangélica Popular, Ariovaldo Ramos mencionou *a luta pelo meio ambiente, pela igualdade de gênero, pela “igualdade entre todos os seres humanos”, o antirracismo e o fim do capitalismo “como um sistema feroz, selvagem, que premia a acumulação e que estabelece a exclusão de seres humanos”*. Basicamente são estas as novas bandeiras da nova esquerda.

Antônio Francesco *Gramsci*, filósofo Italiano, ao contrário de karl Marx e Friedrich Engels, fundadores do comunismo, defendia que Marx e Engels erraram quando propuseram a ditadura do proletariado através de revolução armada. *O comunismo para Gramsci deveria promover a Revolução Cultural, onde a cultura seria dominada pela esquerda para provocar a queda dos alicerces do capitalismo como por exemplo a família heterossexual, a heterossexualidade como seu padrão binário etc.*

A proposta de Gramsci é o que o mundo está vivendo nestes dias. A rede Globo lançará uma novela para 2022 onde usara palavras neutras, por exemplo: ao invés de todos será usada todes e assim por diante.

Porque a igreja cristã deveria se posicionar abertamente contra tais ideologias? Porque elas colidem de frente com o Evangelho, tentam apagar Deus da sociedade e trazer o caos social completo. Porque a igreja em sua atuação no mundo aponta para um caminho transcendente que liberta o homem do fatalismo dessa ideologia doentia e nefasta.

Por que a Igreja do Senhor Jesus nunca deveria se aproximar de tais formas de pensamento? Ou mudando a pergunta: Pode existir comunhão ou aproximação entre o Cristianismo e o comunismo? A resposta é clara, *UM SONORO NÃO*. Vejamos então as discrepâncias.

1 – O marxismo sempre odiou e odiará o cristianismo. Se não puder pervertê-lo, lutará até destruí-lo. Mas por que tanta aversão contra o cristianismo?

Muitos vêm o marxismo somente através do viés político e econômico, mas isso é o periférico. Marx queria e projetou seus pensamento para tornar o comunismo o paraíso na terra. É uma religião que propõe ser a solução para todos os problemas do homem. Roubou seus pressupostos do cristianismo, Marx era filho de judeus que migrou para o luteranismo para advogar e daí perverteu os conceitos cristãos.

No lugar do teísmo o ateísmo, no lugar da Providência/Soberania Divina o materialismo dialético.

2 - Materialismo filosófico. Um dos pilares do marxismo já torna impossível a existência de cristãos comunistas. O materialismo filosófico, de forma superficial e prática, é a negação e oposição a qualquer aspecto sobrenatural, tudo que existe é focado no mundo material e conclui que nunca existiu acontecimento divino. O que vai totalmente contra as crenças cristãs. Para Marx o que resta ao homem é somente este mundo e sua utopia, mas o cristianismo aponta para o além túmulo e para uma dimensão de vida ao lado do Criador. A pergunta que fica é: Qual dos dois proporciona segurança e esperança para homem? 

3 - Aniquilamento dos, chamados por Marx, preceitos burgueses que regem a sociedade. Este aniquilamento, inclui a destruição da família, pois, para Marx, a família era apenas um conceito burguês que sustentava interesses burgueses. Para o marxismo a família heterossexual é um dos fundamentos do capitalismo. Por isso a intencionalidade descarada em sabotar a família como a conhecemos e introduzir conceitos que procuram enfraquecer a família e apresentar novos modelos. 

4 - Amoralidade. Para Marx, não havia ou poder-se-ia desprezar os preceitos morais. Era moral tudo o que contribuía para a revolução. Por exemplo: Se executar uma família levasse a revolução a chegar mais perto do seu ideal, isso passava a ser moral. A Bíblia porém é clara e não aceita negociar seus valores. Aponta para um norte moral bem claro e definido. definido. Dai termos grande parte da mídia seduzida no intuito de sabotar a moral judaico- cristã.

5 - Hedonismo. Se não existem padrões morais para nos salvaguardar da índole má do homem, somente resta o hedonismo exacerbado. Os limites morais estão sendo removidos e nada está sendo colocado em seu lugar, somente busca pelo prazer a qualquer custo. NO médio e longo prazos o hedonismo apresentará sua conta como o fez na história. Arnold Toynbee, historiador inglês, muito tem dizer sobre isto. A bíblia aponta para o equilíbrio que traz qualidade de vida em alto nível.

6 - Relativismo. Presente na filosofia de Marx, o relativismo é a crença de que não existe uma verdade absoluta, mas que tudo é relativo. Se os valores morais não existem e somente o prazer imediato, logo o corolário é o relativismo total e isso implica que não existe verdade absoluta, entregando a sociedade ao caos total em todas as áreas. Na internet tem um vídeo onde aparece uma moça dizendo-se transvacinada. Ela se sente vacinada, mesmo não sendo. Diante de tantos trans, o que questionar nesta afirmativa da moça? Para ela a vacina contra o Covid19 não é uma verdade absoluta, mas a verdade está no que ela sente. Então a verdade foi jogada no lixo e percepção pessoal tomou seu lugar. Para o marxismo a única verdade absoluta são seus postulados.

Atribui-se a Che Guevara esta afirmação: “Na verdade, se o próprio Cristo estivesse no meu caminho eu, como Nietzche, não hesitaria em esmaga-lo como um verme”.

Estes são somente alguns apontamentos que espero desenvolver posteriormente.

Deus tenha misericórdia de nós, que mande sobre sua igreja um grande avivamento e que esta igreja deixe as quatro paredes dos templos e saia para evangelizar enquanto se pode.

SOLI DEO GLÓRIA

Pr. Luiz Fernando R. de Souza

Pastor Sênior da Igreja Batista da Aliança em Belo Horizonte/MG.

02 outubro 2021

É HORA DE OLHAR SOMENTE PARA CRISTO, DEFINITIVAMENTE!

 


É HORA DE OLHAR SOMENTE PARA CRISTO, DEFINITIVAMENTE!

 “para que se aumente o seu governo, e venha paz sem fim sobre o trono de Davi e sobre o seu reino, para o estabelecer e o firmar mediante o juízo e a justiça, desde agora e para sempre. O zelo do Senhor dos Exércitos fará isto.” (Isaías 9.7)

       As expectativas humanas de se viver em uma nação estável, com um governo justo, e que conceba uma sociedade próspera, ultrapassa o tempo. Um exemplo é que muitas das grandes nações dos nossos dias já se espelharam no império Romano e em seus 500 anos de domínio mundial, uma boa razão para olhar para Roma. Porém, a própria história do império Romano adverte que, embora ela tenha sido uma nação extraordinária, sua autocracia lhe degenerou ainda no I século A.c. Roma, a intitulada “cidade eterna”, a cidade que ainda está lá na Itália, mas, que não tem aquele poder de governar o mundo como fazia no passado, o império se desfez completamente.

      Toda nação corre esse perigo, de achar que pode contar com a estabilidade institucional, econômica, politica e social para sempre. Toda nação acha que sabe lidar com a frustração dos cidadãos, e pode resolver toda a sua demanda como tentou o imperador Romano Tibério no ano 140 D.c. ou qualquer outro político dos nossos dias.

      As defesas mais robustas que supostamente protegeram as repúblicas no passado, falharam! E isso é intencional, essa degeneração é um sinal de Deus mostrando a falibilidade dos projetos humanos (Tg 4.13-17). Por mais que as nações possam prosperar, republicas possam suportar as mais duras crises, no entanto, nenhum governo terreno é eterno. Ele dura apenas o tempo que Deus quiser. Deus é o Rei de toda a terra; salmodiai com harmonioso cântico. Deus reina sobre as nações; Deus se assenta no seu santo trono”. (Salmos 47.7-8)

      Só existe uma nação estável e eterna; ela é chamada de “A nova Jerusalém”. Ainda que conscientes que estamos no mundo (Jo 17-15) e de que como Cristãos devemos honrar e respeitar as leis e os governos (Rm 13.1) somente na nova Jerusalém podemos encontrar verdadeira estabilidade, um governo confiável, justo e eterno. Portanto, oremos pela paz da cidade como diz jeremias 29.7. Mas, seguindo o que disse o Apóstolo Paulo: “se nós ressuscitamos com Cristo, devemos buscar as coisas do alto onde Cristo está” (Cl 3.1-2) Para Cristo devemos somente olhar e em Cristo somente confiar. (Reverendo Cícero Frazão Neto)

Contato com o autor - cicerofn6@gmail.com

02 setembro 2021

SOBRE O COMUNICADO INSTITUCIONAL DA CONVENÇÃO BATISTA NACIONAL/ORMIBAN - CBN

Esse comunicado da CBN/ORMIBAN Nacional, em um momento com o que estamos vivendo, alinha-se com o caminho mais fácil e inócuo para qualquer ser humano tomar, muito mais uma denominação inteira. Aponta para um pacifismo infantil e inútil diante da gravidade que a nação vive. Diante de tantos desmandos, quebra de hierarquias e assunção de prerrogativas invasoras, esse comunicado espelha claramente o complexo de avestruz, quando a ave, diante do perigo, enfia a cabeça em um buraco deixando todo corpo exposto, achando que assim não será alcançada pelo mal que se aproxima. Esse comunicado institucional fala, fala e fala e não diz nada. Chove no molhado. A abordagem econômica está desatualizada e sutilmente aponta para uma crise e um vilão (Governo Federal). Esqueceu ou não quis apontar para o PIB crescerá este ano mais de 5%. A arrecadação de impostos foi a maior dos últimos 20 anos. Segundo o portal Our World in Data, já somos o 3° país que mais vacina no mundo! No total, são mais de 94 milhões de doses aplicadas e 130 milhões distribuídas...

Sutilmente querem apontar que o Governo Federal é o culpado pela crise que o país vive. Sim vivemos uma grande crise, mas herdada de mais de 25 anos de governos de esquerda que solaparam muito as bases da economia, moral e ética. Se não fosse a pandemia, o país estaria voando baixo em termos econômicos. Mas mesmo com a pandemia o Brasil crescerá mais de 5% e o PIB mundial 6%, quase o mesmo número. Isto é algo fenomenal.

Esse discurso cheira muito um alinhamento com a narrativa de esquerda. Na hora da denominação tomar uma posição firme contra essa anarquia que vem sendo imposta pela esquerda, a denominação se coloca encima do muro. Mais uma vez a denominação se acovarda diante de um grande momento.

Não existe pacificação grandiosa demais que impeça o avanço do mal. O mal deve ser combatido com coragem e disposição para o sofrimento. Se queremos ter um futuro para nossos filhos e netos precisamos agora nos posicionar, antes que derrubem nossas cercas, pisem nossos jardins e roube-nos a voz.

Um comunicado desse, 5 dias antes da maior manifestação cívica que este país já viu, é um chamado a covardia e à insignificância. É uma demonstração de cinismo para com nossa pátria. Nada será mudado se não for mudado a forma de fazer.

A independência entre igreja e estado não implica em um cancelamento da cidadania do cristãos batistas, mas antes pelo contrário, implica em um envolvimento valoroso com o país que o nosso Deus nos deu para vivermos.

Esse comunicado institucional é um chamado a nos calarmos diante do mal. Gostaria de parafrasear o grande teólogo alemão da 2ª Guerra Mundial, Dietrich Bonhoeffer: “Se a igreja vir o mal grassando e nada fizer para deter o mal, ela se torna no próprio mal”.

Indigna-me esta postura alinhada com a esquerda no meio Batista Nacional. Deste que a Teologia da Missão Integral entrou no arraial Batista Nacional, acriticamente, perdemos muito de nossa força denominacional. Um retorno a uma teologia clássica faria muito bem.

Deus nos ajude a sermos importantes para o nosso país e ao Seu Reino.

 SOLI DEO GLORIA

 Pr. Luiz Fernando Ramos de Souza

Pastor Sênior da Igreja Batista Nacional da Aliança – BH/MG.

24 agosto 2021

ENCONTRO DE CASAIS 21/08/2021 - IGREJA BATISTA DA POMPÉIA - BH/MG.



Depois de 18 meses parado, o Ministério de Casais da Igreja Batista da Pompéia, pastoreada pelo colega e amigo Pr. Roberto, retomou as atividades com um excelente Encontro de Casais. O tema abordado foi: 5 Razões Porque os Casamentos Terminam. Foi um privilégio participar desse evento ontem. Deus abençoe toda comunidade.


 

20 agosto 2021

DEUS PAI ABANDONOU JESUS CRISTO?

 


DEUS ABANDONOU JESUS NA CRUZ?

E, à hora nona, Jesus exclamou com grande voz, dizendo: Eloí, Eloí, lamá sabactâni? que, traduzido, é: Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?” Mc. 15:34.

A expressão *“Meu Deus, Meu Deus, por que me desamparaste”* é classicamente abordada em sermões antes da semana santa como as Sete Palavras da Cruz. Vale lembrar que quando Cristo nasceu em plena noite luzes irradiaram, como se a natureza se exultasse e alegrasse com a chegada do Emanuel, mas na cruz a natureza se envergonhou quando foi executado.

O grande reformador Martinho Lutero disse sobre esta passagem: *“Deus abandonou Deus. Não consigo entender isto!”.* Creio que nós não iríamos mais longe do que Lutero, mas nos irmanaríamos com ele e diríamos: nós também não.

No Getsemani Cristo pediu ao Pai que passasse dele o cálice, mas se não, ele o beberia. O que fez Cristo suar gotas de sangue não foi a eminência da cruz, mas sim o *“Eloí, Eloí, lamá sabactâni?”*. Para quem havia vivido em plena intimidade com o Pai vislumbrar a possibilidade de ter e ver Seu rosto virado para o lado, era a maior angustia que um ser poderia experimentar.

Na cruz o Senhor Jesus estava recebendo sobre si todos os pecados de toda a humanidade passada, presente e futura e era aceito pelo Pai como nosso vicário. A grande implicação disso era que o Pai, em sua natureza ser santa em sua totalidade, não contemplaria o pecado imputado ao Seu Filho. Jesus foi desamparado para que nós nunca nos víssemos desamparados. Suportou a ira de Deus para que nós desfrutássemos do Seu amor eterno. Ele assumiu o nosso desamparo.

O bispo Ryle vai dizer: *“o significado pleno desse grito não pode ser penetrado. Mas certamente sua base não se encontra primariamente no sofrimento físico, no fato de que Jesus, por um momento, foi feito pecado por nós (II Cor. 5:21); e ao pagar a penalidade como substituto de pecador, foi amaldiçoado por Deus (Gal.3:13). Deus, na qualidade de Pai, não o abandonou (Lc. 23:46); mas na qualidade de Juiz, tinha de separar-se dele para que experimentasse a morte no lugar do homem pecador.”*

Mas a cruz é a perfeita expressão da santidade, como do julgamento. Cristo não estava somente confessando/assumindo o pecado humano; estava também confessando a santidade de Deus e revelando-a. Há somente uma coisa que pode satisfazer a santidade de Deus: a santidade. A única adequada confissão de um Deus santo é um homem perfeitamente santo. Isso significa que a santidade da cruz é mais importante do que sua dor. Deus não se satifaz com a dor ou morte como tais, senão somente com a santidade. O instrumento da expiação não é o sofrimento, mas a santidade e obediência do Filho divino.

O desamparo não foi um abandono, no sentido de uma ruptura definitiva de relações. Na realidade foi uma aceitação do que Jesus fizera. O desamparo vivido por Cristo foi o grande momento da aceitação de seu sacrifício que nos incluiria.

A palavra pecado no hebraico *Hattat* tem um duplo significado, o pecado em si, a ofensa humana, e a oferta pelo pecado, a redenção, o ato divino. Jesus não era pecador, por isso, o Pai o tonou oferta pelo nosso pecado. A oferta pelo pecado tinha de ser pura. O Hattat por excelência tinha que ser sem Hattat. O que Paulo diz em II Cor. 5:21 poderíamos parafrasear assim: *“Aquele que não praticou Hattat, Deus o fez Hattat por nós, para que fôssemos feitos *Tsadiq* (o homem a quem Deus não imputa pecado)*.

Notemos que na cruz o Senhor Jesus quando deu este brado de desamparo, chama meu Deus. Antes sempre se referia a Deus como Pai, mas agora é meu Deus. Aqui não houve um abandono sentido, mas real. Calvino foi direto ao afirmar: *“Se Cristo tivesse enfrentado apenas a morte física, isso teria sido inútil. Se a alma dele não vesse sido afetada pelo castigo, seria somente salvação de corpos”*. Por consequência, *“Ele pagou um preço muito maior e mais elevado ao sofre os terríveis tormentos de um homem condenado e abandonado”.*

A ocultação da face do Pai era o gole mais amargo do cálice de tristeza que ele decidiu beber.

Ele sofreu apenas como homem ou como Deus também? Poderia gastar muito tempo neste assunto, mas foi resumir assim: *Sofreu como Deus/homem*. Deixo para os amados o desenrolar desta afirmativa.

O clamor de Jesus na cruz - *Eloí, Eloí, lamá sabactâni?*, teve como resposta o silencio de Deus.

Dois mil anos antes, na mesma região, Moriá, Abraão, na sua angústia e carregado de perguntas ao subir o monte para sacrificar seu filho, teve como resposta a voz de Deus – *Não toque no rapaz. Não lhe faça nada.*. Mas a voz proferida em Moriá estava agora silenciosa no Calvário. *Daria um ótimo sermão*.

Mas por que o Filho foi abandonado pelo Pai? A resposta está no Sl. 22:3 *“Porém tu és santo, tu que habitas entre os louvores de Israel”*.

O Pai abandonou o Filho porque sua santidade o exigia. Esse abandono foi temporário e passageiro, pois na mesma cena do Calvário Lucas vai dizer que Ele disse: *“E, clamando Jesus com grande voz, disse: Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito. E, havendo dito isto, expirou”*.

Seu último brado foi a eterna afirmação que Deus era seu Pai.

O drama do Calvário revela a hediondez do pecado, a santidade de Deus e a plena manifestação do seu amor.

Que o Senhor nos ajude a valorizarmos cada dia mais a obra do Calvário e a Graça de Deus.

 Soli Deo Gloria

 Pr. Luiz Fernando R. de Souza

 

 

30 julho 2021

NOTA DE REPÚDIO

 NOTA DE REPÚDIO 

Diante da intimação do MPMG feita ao Exmo. Pr. Jorge Luís Coelho Linhares para dar explicações pela publicação em redes sociais, de um vídeo onde expõe as crenças e valores do Colégio Batista Getsemani sobre binaridade sexual, manifesto meu repúdio diante desta intimidação às igrejas e cristãos representados nesta intimação na pessoa do Pr. Jorge Linhares. Os valores defendidos pela instituição Colégio Batista Getsemani, são aceitos e cridos pela maioria esmagadora da população brasileira, bem como praticada pela mesma. Em momento algum na mídia circulada nas redes sociais pela instituição e pastor intimados, houve ofensa ou desmerecimento a quem quer que seja, mas somente tornou-se público suas crenças individuais. Quem se sentiu ofendido deveria apresentar provas cientificas que comprovem seu modo de pensar, mas até o momento a ideologia de gênero somente se apresenta, como seu embasamento, uma construção discursiva totalmente desprovida de embasamento científico, querendo impor seu modo de pensar sobre as outras formas de pensamentos. Aqueles que se dizem serem os mais tolerantes, apresentam-se como os mais intolerantes de todos, como se sua cosmovisão não permitisse questionamentos e fosse a única possível e viável. Em um Estado Democrático de Direito, as várias vertentes de pensamentos devem e precisam conviver harmonicamente. O próprio Ministério da Educação já se posicionou contra qualquer imposição neste sentido. Vale lembrar que a laicidade do Estado não pode interferir nas crenças e valores individuais, se assim o fizer, deixaremos de ser democracia e nos tornaremos em um Estado absoluto, coisa que já foi superada na história. O MPMG deveria agir na vertente de proteger as crenças e valores comuns à maioria esmagadora da população e não intimidar aqueles que aceitam a naturalidade da vida.

Que as instâncias superiores saibam tratar com justiça este momento negro na história brasileira. Que antes das autoridades se posicionarem a favor ou contra uma forma de pensamento busquem embasamento nas diversas áreas do saber para emitirem conclusões razoáveis e não conclusões embasadas sobre discursos vazios e autoritários, ou, no politicamente correto. O que está em jogo neste momento é a liberdade de pensamento e sua manifestação pública. O Estado deve ser o guardião desta liberdade e não um meio repressor da mesma.


Belo Horizonte, 29 de julho de 2021

Pr. Luiz Fernando Ramos de Souza

O PEQUENO SERÁ POR 1000

                                               O PEQUENO SERÁ POR 1000 “ O menor virá a ser mil, e o mínimo uma nação forte; eu, o SENHOR,...