23 março 2017

ESSA HISTÓRIA SOBRE JULGAR AS PESSOAS É MELHOR QUE VOCÊ VAI LER HOJE



Tudo começou quando um médico foi chamado às pressas ao hospital para fazer uma cirurgia em um garotinho.
Depois de receber o chamado do hospital, o médico trocou de roupas rapidamente, chegou ao hospital em alguns minutos e seguiu direto ao centro cirúrgico.
Ao chegar no local, encontrou o pai do garoto andando para lá e para cá no corredor esperando por ele.
Ao vê-lo, o pai gritou: “POR QUE VOCÊ DEMOROU TANTO? VOCÊ NÃO SABE QUE A VIDA DO MEU FILHO ESTÁ EM PERIGO? VOCÊ NÃO TEM NENHUM SENSO DE RESPONSABILIDADE?”
O médico apenas sorriu e respondeu: “Me desculpe. Eu não estava no hospital e vim o mais rápido que pude depois de receber a ligação e, agora, por favor, se acalme para que eu possa fazer o meu trabalho”.
“ME ACALMAR? E se fosse o seu filho naquela sala de cirurgia agora, você ficaria calmo? Se o seu próprio filho morre enquanto espera pelo médico, o que você   faz?”, respondeu nervosamente o pai.
Mais uma vez, o médico sorriu e respondeu: “faremos o nosso melhor com a ajuda de Deus e você deveria rezar pela saúde de seu filho também”.
Dar conselhos quando não está preocupado é muito fácil”, resmungou o pai do garoto.
 cirurgia durou algumas horas e, quando o médico saiu do centro cirúrgico feliz, deu a boa notícia ao pai do garoto: “Graças a Deus, o seu filho está salvo!”
Sem esperar pela resposta do pai, ele se despediu correndo: “se tiver qualquer dúvida, fale com a enfermeira.”
“Que arrogância! Não dava para ele esperar alguns minutos enquanto eu perguntava mais sobre o estado do meu filho?”, o pai comentou com a enfermeira quando ela chegou logo após a saída do médico.
Com lágrimas nos olhos, a enfermeira respondeu: “o filho dele faleceu ontem em um acidente de carro. Ele estava no enterro quando ligamos para que ele fizesse a cirurgia do seu filho.”
E continuou: “agora que ele salvou o seu filho, voltou para terminar o enterro do filho dele”.

Real ou não, essa história nos ensina uma grande lição

Não sabemos se essa história é real, mas ela nos mostra o quanto somos ágeis em julgar o próximo.
É muito importante que não façamos isso quando nos deparamos com alguém que não conhecemos e, consequentemente, não sabemos nada sobre sua vida.
Cuidadores como médicos e enfermeiras, por exemplo, quase nunca recebem o valor que merecem e, mesmo assim, estão lá para nos ajudar todos os dias, salvando vidas.
Estes profissionais trabalham períodos longos e estressantes, apesar de terem suas vidas particulares, sentimentos e seus próprios problemas.
Professores, garçons, garis, enfim, todos merecem o respeito que gostaríamos de ver dispensado para conosco.
Compartilhe essa história com seus amigos e vamos todos refletir sobre essa lição valiosa.

09 fevereiro 2017

OS RECENTES TUMULTOS NO BRASIL E UMA PALAVRA PROFÉTICA



Mais uma vez vemos uma palavra profética dirigida à igreja brasileira. Aqui não comento pessoas, mas idéias. As pessoas preservaremos até o fim. Diante do exposto no vídeo vemos a mesmice de sempre. Sempre a dependência de uma profetiza ou profecia. Nada original. A profetiza Cindy Jacobs é muito amiga de nossa irmã Ana Paula e exerce uma grande influência sobre sua vida. Gostaria de ponderar sobre algumas afirmativas contidas no vídeo. 1o. Onde encontramos na Palavra de Deus que existe potestade da corrupção? Como podemos identificar corrupção com poderes demoníacos? Essa mania de endemoninharmos tudo tira do homem a responsabilidade por seus atos e transfere para o mundo espiritual. Dessa maneira jogamos a vida na sarjeta e deixamos de andar com nossos próprios pés. Corrupção é consequência de pecaminosidade e isso está na esfera humana e não demoníaca. 2o. A profetiza disse que havia recebido uma palavra de Deus para que a igreja precisava derrubar o principado da corrupção. Nada mais descabido e exótico. Principados não se derrubam somente com orações, mas com toda armadura de Deus, principalmente com a preparação do Evangelho da paz. Creio firmemente que a corrupção neste país somente diminuirá quando a igreja empreender um grande esforço evangelístico e levar a luz do evangelho para expulsar as trevas. Oração sempre é bom e sempre será bem vinda, mas somente orações sem ações concretas aprisionarão a igreja em quatro paredes. As orações são a retaguarda da igreja que deve ao mesmo tempo sair e mostrar sua cara com uma mensagem transformadora no poder do Espírito. 3o. A profetiza disse que se a igreja não orasse Deus abalaria a economia do país. Essa profecia não é nova. Deve ter mais de uns 05 anos pelo menos. Qual o trato de Deus com o Brasil? Desde quando o Brasil é nação de Deus para que ele se dirija dessa maneira a este povo? Somente a igreja é o povo de Deus. O tempo de Deus pactuar com uma nação ficou no Antigo Testamento e essa nação foi Israel. Agora é tempo da igreja e esta está espalhada por toda a terra. Em 2014, quando era para se reeleger Dilma, dizia para igreja a qual pastoreio lá pelo mês de maio que se o PT ganhasse as eleições presidenciais a economia deterioraria mais rapidamente do que estava acontecendo. Lula esgotou o modelo do plano Real e Dilma e sua equipe não percebeu isso dando vazão para a quebradeira total. Não precisou de profetiza dizer isso, mas simplesmente uma análise da conjuntura econômica apontava para isso. Lembro-me que disse ao meu médico para ele investir em dólar porque este chegaria aos R$ 4,00 e ele ficou incrédulo. Logo depois o dólar alcançou este patamar. Essa fala atribuindo tudo ao mundo espiritual é pueril e inócua. Economia é ciência exata. 4o. Cada vez que a sociedade expulsa Deus de seu meio ela deteriora rapidamente. A visão de um A dentro de um círculo como sinônimo de anarquia, não tem nada a ver. Uma economia debilitada como a nossa, uma inadimplência das autoridades e uma baixíssimo padrão moral somente podem nos levar a qual nível social? Barbárie, caos. A igreja usar da autoridade em nome de Jesus para deter o mal somente funciona quando ela se mistura na sociedade e anuncia a vileza do pecado e excelência da graça de Deus. Determinar que a anarquia e o mal parem de atuar é no mínimo risível. 5o. Ana Paula conclui dizendo par declararmos que em nossa rua não haverá atuação do mal, em nosso bairro não e em nossa cidade não. Sei da ótima intenção de nossa irmã e isso deve ser valorizado, mas não deixa de ser infantil e desconexo. Será que no estado do Espírito Santo a igreja já não fez isso? E qual foi o resultado? Caos, caos e caos. Esses decretos espirituais são inúteis diante do mal. Somente a presença do bem anula o mal e não decretos falidos. 
Rejeito veementemente esse tipo de apelo. Não faço parte desse grupo que advoga tal comportamento. 
Deus nos ajude a sermos cristãos da Palavra e somente isso. 
Soli Deo Gloria 
Pr. Luiz Fernando R. de Souza 

19 novembro 2016

ASSOCIAÇÃO AMERICANA DE PEDIATRAS FULMINA IDEOLOGIA DE GÊNERO

A Associação Americana de Pediatras urge educadores e legisladores a rejeitarem todas as políticas que condicionem as crianças a aceitarem como normal uma vida de personificação química e cirúrgica do sexo oposto. Fatos, não ideologia, determinam a realidade.

1. A sexualidade humana é um traço biológico binário objetivo: "XY" e "XX" são marcadores genéticos de saúde, não de um distúrbio. A norma para o designhumano é ser concebido ou como macho ou como fêmea. A sexualidade humana é binária por design, com o óbvio propósito da reprodução e florescimento de nossa espécie. Esse princípio é auto-evidente. Os transtornos extremamente raros de diferenciação sexual (DDSs) — inclusive, mas não apenas, a feminização testicular e hiperplasia adrenal congênita — são todos desvios medicamente identificáveis da norma binária sexual, e são justamente reconhecidos como distúrbios do designhumano. Indivíduos com DDSs não constituem um terceiro sexo.

2. Ninguém nasce com um gênero. Todos nascem com um sexo biológico. Gênero (uma consciência e percepção de si mesmo como homem ou mulher) é um conceito sociológico e psicológico, não um conceito biológico objetivo. Ninguém nasce com uma consciência de si mesmo como masculino ou feminino; essa consciência se desenvolve ao longo do tempo e, como todos os processos de desenvolvimento, pode ser descarrilada por percepções subjetivas, relacionamentos e experiências adversas da criança, desde a infância. Pessoas que se identificam como "se sentindo do sexo oposto" ou "em algum lugar entre os dois sexos" não compreendem um terceiro sexo. Elas permanecem homens biológicos ou mulheres biológicas.

3. A crença de uma pessoa, que ele ou ela é algo que não é, trata-se, na melhor das hipóteses, de um sinal de pensamento confuso. Quando um menino biologicamente saudável acredita que é uma menina, ou uma menina biologicamente saudável acredita que é um menino, um problema psicológico objetivo existe, que está na mente, não no corpo, e deve ser tratado como tal. Essas crianças sofrem de disforia de gênero (DG). Disforia de gênero, anteriormente chamada de transtorno de identidade de gênero (TIG), é um transtorno mental reconhecido pela mais recente edição do Manual de Diagnóstico e Estatística da Associação Psiquiátrica Americana (DSM-V). As teorias psicodinâmicas e sociais de DG/TIG nunca foram refutadas.

4. A puberdade não é uma doença e hormônios que bloqueiam a puberdade podem ser perigosos. Reversíveis ou não, hormônios que bloqueiam a puberdade induzem a um estado doentio — a ausência de puberdade — e inibem o crescimento e a fertilidade em uma criança até então biologicamente saudável.

5. De acordo com o DSM-V, cerca de 98% de meninos e 88% de meninas confusas com o próprio gênero aceitam seu sexo biológico depois de passarem naturalmente pela puberdade.

6. Crianças que usam bloqueadores da puberdade para personificar o sexo oposto vão requerer hormônios do outro sexo no fim da adolescência. Esses hormônios (testosterona e estrogênio) estão associados com riscos à saúde, inclusive, mas não apenas, aumento da pressão arterial, formação de coágulos sanguíneos, acidente vascular cerebral e câncer.

7. Taxas de suicídio são vinte vezes maiores entre adultos que usam hormônios do sexo oposto e se submetem à cirurgia de mudança de sexo, mesmo na Suécia, que está entre os países mais afirmativos em relação aos LGBQT. Que pessoa compassiva e razoável seria capaz de condenar jovens crianças a este destino, sabendo que após a puberdade cerca de 88% das meninas e 98% dos meninos vão acabar aceitando a realidade e atingindo um estado de saúde física e mental?

8. Condicionar crianças a acreditar que uma vida inteira de personificação química e cirúrgica do sexo oposto é normal e saudável, é abuso infantil. Endossar discordância de gênero como normal através da rede pública de educação e de políticas legais irá confundir as crianças e os pais, levando mais crianças a serem apresentadas às "clínicas de gênero", onde lhes serão dados medicamentos bloqueadores da puberdade. Isso, por sua vez, praticamente garante que eles vão "escolher" uma vida inteira de hormônios cancerígenos e tóxicos do sexo oposto, além de levar em conta a possibilidade da mutilação cirúrgica desnecessária de partes saudáveis do seu corpo quando forem jovens adultos.

Michelle A. Cretella, M.D.
Presidente da Associação Americana de Pediatras

Quentin Van Meter, M.D.
Vice-Presidente da Associação Americana de Pediatras
Endocrinologista Pediátrico

Paul McHugh, M.D.
Professor Universitário de Psiquiatria da Universidade Johns Hopkins Medical School, detentor de medalha de distinguidos serviços prestados e ex-psiquiatra-chefe do Johns Hopkins Hospital


SOLI DEO GLORIA NUNC ET SEMPER

Pr. Luiz Fernando Ramos de Souza