17 dezembro 2015

IGREJAS CHEIAS – PESSOAS VAZIAS



IGREJAS CHEIAS – PESSOAS VAZIAS
Há pouco tempo fui convidado a participar de um programa de rádio onde o tema acima foi discutido. Na ocasião constatamos que é uma realidade crescente e de grande impacto sobre a vida da igreja e consequentemente sobre o desenvolvimento do Reino de Deus sobre a terra.
Um fato incontestável é que temos megas igrejas com predominância de um conteúdo pobre. Não estou aqui afirmando que crescimento de igreja seja sinônimo de empobrecimento de conteúdo, mas destacando o fato de que via-de-regra isso acontece. Como exemplo, cito o fato de que até alguns anos atrás as fontes de conhecimento ou mesmo pensar teológico estavam nas faculdades ou seminários. Com o passar do tempo isso migrou para as grandes igrejas e consequentemente ocorreu o enfraquecimento teológico, pois igrejas não têm como fundamento o pensar teológico exclusivamente como tem um seminário ou faculdade. A doutrina perdeu seu espaço para a experiência e as pessoas passaram a raciocinar com o sentimento e pensar com a visão e não com o cérebro. A Teologia deu lugar à religião e isso roubou o conteúdo das pessoas. Agora esbarramos com aberrações doutrinárias porque as pessoas que formam o corpo de Cristo são incapazes de confrontar as heresias. Terceirizam isto para seus líderes que em um percentual razoável não estudaram ou abdicaram da teologia. O quadro apresentado é preocupante porque pessoas vazias não conseguem ou conseguirão dar razão de sua fé quando lhes for pedido. Apelarão para aquilo que sabem, experiência, sentimentos e arrepios. Consequentemente momentos espetaculares quando poderíamos demonstrar nossa fé em um padrão razoável, serão desperdiçados. Isso leva a igreja a praticar a maior desenvangelização no meio onde atua. Estamos entregando segmentos da sociedade para cultos exotéricos, espiritualismos exóticos etc., simplesmente porque a igreja está composta de pessoas vazias.
Esse vazio da Palavra gera cristãos fracos até para enfrentarem as crises da vida. Não existe uma estruturação mental nos cristãos e isso fica claro nos enfrentamentos das adversidades. Cristãos lotam consultórios de psicólogos e psiquiatras consumindo drogas em quantidades assustadoras para equilibrar seus cérebros. Não conseguem experienciar com equilíbrio a morte de um ente querido, um divórcio ou perda de emprego etc. Não estou dizendo que são experiências menores e de fácil assimilação. Também não estou dizendo que tais experiências são isentas de profundo sofrimento, mas quero destacar que tais experiências são partes integrantes do viver e o viver deve compreender o perder e o sofre os danos. Quando não reagimos bem a tais experiências nos tornamos frágeis diante da vida quando está diz não. Esquecemos de aprender a arte de sorrir quando o mundo diz não.
Outra consequência dessa ausência de conteúdo da Palavra é que leva a uma evangelização defeituosa. Onde deveria haver anuncio do terror do pecado e suas funestas consequências, encontramos o anuncio de um deus com anomalias em seu ser. Um deus somente amor e não justiça, um deus somente perdoador e não juiz de toda a terra. Um deus que não exige compromisso por parte daquele que o serve. Daí termos cristãos que viraram consumidores frequentando igrejas que se transmutaram em empresas. Nos dizeres de Spurgeon, pastores que divertem bodes ao invés de pastorearem ovelhas.
Com tristeza constato que outra consequência desestruturante nestes dias é que pastores que deveriam se aprofundar na Palavra e interpretarem a mesma para suas ovelhas, estão indo beber de fontes sujas e ineficazes. Recentemente fui convidado por um colega para participar de um treinamento de coaching cristão. Agradeci o convite, mas disse que não iria porque isso abordava técnicas de gestão de empresas ou similar e que não acreditava ser necessário para a vida da igreja. Também disse que as técnicas de gerenciamento de recursos humanos é próprio do mundo empresarial e que enquanto fui executivo de uma instituição financeira já as conhecia de sobra. Vim do meio financeiro e já havia travado contato com coaching a pelo menos 15anos atrás. Mas para vários pastores essa pretensa novidade no meio evangélico é algo fenomenal. Alguns chegam a dizer que isso é de Deus. Para mim nada mais é do que mais uma forma de arrecadar dinheiro de líderes despreparados e incautos. Tais lideranças esparramarão o que aprenderam nas mentes de suas ovelhas e consequentemente aprofundarão o vazio existente em seus seres.
Outra constatação terrível que vemos decorrente do vazio dos cristãos é o meio musical gospel. Musicas chorosas ou rock pesado com letras de conteúdo no mínimo espúrio. Nestas músicas o centro é o homem e Deus passa a ser coadjuvante. Deus é aquele que ao invés de ser adorado é reduzido a um mero coach (treinador) que vem para melhorar a vida do homem. Observe em várias músicas atuais como aparece o pronome eu, meu, minha etc. Um exemplo clássico dessa pornografia musical gospel é a musica Raridade. Veja este exemplo: "O ouro eu consigo só admirar, mas te olhando eu posso a Deus adorar, sua alma é um bem que nunca envelhecerá." O que é isto senão colocar o homem no centro? Esta vergonhosa música foi feita para adorar o criador ou para engrandecer o homem? Observe como Deus entra neste verso somente para compor. Ele não deveria esta ai, mas para vender para um público gospel puerizado introduzem o nome de Deus para travestir o antropocentrismo exacerbado em alguma coisa parecida com espiritual. Uma vergonha!
Observe a reação de nossos jovens que ao invés de adorarem a Deus pulam iguais a macacos, extravasam suas energias e fazem catarses sentindo-se aliviados e dizendo-se abençoados.
O que dizer de pastores que se vestem de personagens da mídia para chamar atenção de seus ouvintes? Pastores que demonstram comportamentos alucinados para se dizerem jovens junto aos jovens? Dessa indústria gospel que são mais vendilhões do que servos? Dessa disputa infantil entre os midiáticos gospel ao participarem de Troféus X, Y, Z.
Comportamentos bizarros lotam igrejas de pessoas vazias.
A Palavra exposta no poder do Espírito atrai pessoas sedentas de Deus.

Soli Deo Gloria

Pr. Luiz Fernando R. de Souza

05 dezembro 2015

EXPOSIÇÃO DA CARTA DE PAULO AOS EFÉSIOS TODOS OS DOMINGOS ÀS 19H NA IGREJA BATISTA DA ALIANÇA



Meus queridos irmãos e amigos, A partir deste domingo 06/12/2015 e demais domingos inciarei a exposição da carta de Paulo aos Efésios. Farei a exposição versículo por versículo e serão sermões expositivos. A carta aos Efésios é tidas pelos teólogos como a coroa da teologia de Paulo. 
Local Igreja Batista da Aliança - Rua Ártica, 220 - Bairro Caiçara - BH-MG
Horário - às 19H. Sua presença e de sua família nos alegrará muito. Deus abençoe.


02 novembro 2015

CRISE DE IDENTIDADE DA IGREJA NO SEC. XXI


Sermão pregado no congresso IGREJA EM FOCO no dia 31/10/2015  na Igreja Batista Missão e vida.

                        CRISE DE IDENTIDADE DA IGREJA NO SEC. XXI.

INTRUDUÇÃO
Através dos séculos de existência a igreja manteve uma identidade de alguma maneira. Isso implicava em adoção de um corpo de doutrinário e comportamentos que a identificavam como igreja do Senhor Jesus Cristo. Em nossos dias constatamos que a igreja se tornou em um corpo amorfo sem características distintivas e conteúdos que a identifiquem com o modelo do Novo Testamento.
A assimilação dos princípios do mundo descaracterizou a igreja que mais se parece com um supermercado gospel onde encontramos de tudo um pouco para a satisfação de seus clientes.
Se perguntássemos quais seriam as marcas distintivas da igreja, com certeza, não conseguiríamos elenca-las. Para nós cristãos existe uma tremenda confusão quanto a isso.
Precisamos nos perguntar 03 coisas:
Por que perdemos nossa identidade?
Com qual padrão podemos equipar a igreja de nosso tempo com algum modelo?
Tem como resgatarmos a nossa identidade?

I – Um Padrão Histórico de Identidade Eclesiástica.
Se pudermos olhar para a história e encontrarmos um padrão de identidade eclesiástica podemos então nos ver à luz desse padrão.
Um modelo recente na história poderia nos ajudar muito a nos encontrarmos como igreja.
Creio que o melhor seria a Reforma do Sex. XVI iniciada por Martim Lutero. Coincidentemente hoje celebramos o dia da Reforma Protestante. Há exatos 498 anos Lutero fixava as 95 teses na porta da Catedral do Castelo de Wittemberg. Naquele momento desencadeava-se o maior movimento de transformação social, espiritual, político da história da raça humana depois do advento do Senhor Jesus Cristo.
Os reformadores assumiram em 5 princípios a identidade da igreja. Em teologia chamamos de os cinco solas, os quais são:

 ·         1 Os cinco solas:
o    1.2  Solus Christus (somente Cristo)
o    1.4 Sola Fide (somente a fé)

Gostaria de trata-los nesta noite.

Sola Scriptura  – Somente a Fé.

Nos dias da reforma a urgência era em determinar a autoridade dos cinco solas. Lutaram para provar a autoridade da Fé, Escritura, de Cristo, da Graça e atribuir somente a Deus a Glória.
Em nossos dias lutamos por outra coisa. Sabemos que os cinco solas são autoridades na igreja, mas esta mesma igreja não crê que sejam suficientes para a vida cristã.
Quando dizemos que somente a Escritura é nossa autoridade estamos afirmando que somente por meio das Escrituras temos a revelação completa da Pessoa de Deus em Cristo bem como de nossa condição diante dele. Afirmamos que somente as Escrituras nos mostram o caminho de salvação que o sangue derramado na cruz do Calvário.
Hoje a igreja não aceita isso como 100% de verdade. Outras autoridades intermedeiam Deus e os homens. Novas revelações se interpõem diante de nós reclamando autoridade e acriticamente passamos a aceitar isso como verdade verdadeira.
Somos a geração mais ignorante de Bíblia que já existiu no planeta em todos os tempos, mas ao mesmo tempo somos a geração que mais possui à nossa disposição documentos, livros, exposições sobre a Palavra de Deus. Chega a dar medo a indiferença que o cristão trata a Palavra de Deus. Basta observarmos a frequência à Escola Bíblica Dominical. Não atrai mais os cristãos. Estes se acomodaram a um padrão de conhecimento paupérrimo e se sentem cheios disso. Quantas vezes você perguntou seu pastor sobre alguma passagem da Bíblia que não entendeu? Sabe por que não perguntou? Porque não você não a lê, não estuda e nem a ama como Palavra de Deus.
O apóstolo Paulo faz uma afirmação radical em relação a algumas pessoas que: 2Tm 3:7 Que aprendem sempre, e nunca podem chegar ao conhecimento da verdade.
Paulo nos diz que existem pessoas que nunca chegarão ao conhecimento da verdade, porque não possuem amor pela verdade. Disse o Senhor Jesus: Santifica-os na verdade, a tua Palavra é a verdade.
Mas o mesmo Paulo diz outra coisas oposta a esta em
1Ts 2:13 Por isso também damos, sem cessar, graças a Deus, pois, havendo recebido de nós a palavra da pregação de Deus, a recebestes, não como palavra de homens, mas, como palavra de Deus, a qual também opera em vós, os que crestes.
Pedro nos diz em sua carta “2Pe 1:3 Visto como o seu divino poder nos deu tudo o que diz respeito à vida e piedade, pelo conhecimento daquele que nos chamou pela sua glória e virtude
Tudo o que precisamos para nossa vida está na Palavra de Deus.
Quem quer se usado por Deus baseia-se na Palavra. Ali encontra sustentação doutrinária para enfrentar os erros que aparecem. A igreja tem aceitado erros grotescos porque se abdicaram da Palavra. Nesses dias tudo é pelo Espírito e nada pela Palavra. Vale lembrar que o Santo Espírito nunca fica aquém da Palavra e nem vai além da Palavra. Ele fica na Palavra.
A Palavra é nosso padrão de ética e comportamento. Este padrão nada mais é do que SANTIDADE AO SENHOR. Vemos toda sorte de comportamento pornográfico no meio evangélico e isto não mais nos incomoda. Símbolos sexuais que se dizem convertidas ao Evangelho, mas ainda fazem filmes pornográficos. Políticos que se dizem evangélicos e estão envolvidos em propinas, escândalos ou descaradamente usam do dinheiro público para proveito próprio.
Sola Scriptura – Somente a Escritura.

Solus Cristus – Somente Cristo.

Nossa época aponta para  muitos ídolos que apareceram em nosso meio, numa época onde a atitude de muitos seria de montar uma tenda para Jesus e outras para os pastores e cantores famosos, temos aqui um direcionamento dado por Deus sobre quem devemos buscar ouvir e ver: Somente a Cristo.
Somente Cristo pode satisfazer a sede de nossas almas. Milagres veem e passam. Arrepios são transitórios. Experiências perdem seus impactos. Mas Cristo é o mesmo ontem, hoje e eternamente. Ele é a rocha em que devemos ancorar nossas almas.
Deus disse quando do batismo de Jesus: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo, a ele ouvi”.
O prazer de Deus está em Cristo. Não há nada e nem ninguém
fora de Cristo e nem além dEle que possa satisfazer a Deus.
Dai somos instados por Deus a ouvir Cristo. Somente Cristo e nada além de Cristo. Ele é o fundamento e Ele a resposta para os nossos mais profundos anseios. Mas como ouvir Cristo? Através da Palavra. Ali Ele se revela como é e nos mostra como deveríamos ser. E, começando por Moisés discorrendo por todos os profetas expunha-lhes o que a seu respeito constava em todas as Escrituras.” (Lc. 24:27).

A libertação que Cristo dá é suficiente. Não precisamos introduzir outros mediadores entre Deus e o homem. “Se o filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres”.
Mas a igreja abriu mão de Cristo. Abraçou ensinamentos erráticos que a afastou do Salvador. Exemplo: Quando acreditamos que precisamos fazer quebra de maldições para sermos libertos de atuações demoníacas. Quando acreditamos e aceitamos processos de libertação que são praticados após sermos alcançados pela Graça salvadora do Senhor Jesus. Nada disso é necessário porque a Graça nos basta. E ela vem através de Cristo.
Jo 1:17 Porque a lei foi dada por Moisés; a graça e a verdade vieram por Jesus Cristo.
Nossos cultos se tornaram estranhos. Como certo servo disse: “Em muitos lugares raramente é possível ir a uma reunião cuja única atração seja Cristo. Só se pode concluir que os filhos de Deus estão entediados dele, pois é preciso mimá-los com pirulitos e balinhas na forma de filmes religiosos, jogos, atrações outras e refrescos” Cristo hoje é tratado como um mero coadjuvante e não como o Protagonista.

Sola Gratia – Somente a Graça.

“Então lhe disse Davi: Não temas, porque usarei de bondade para contigo, por amor de Jônatas, teu pai, e te restituirei todas as terras de Saul, teu pai, e tu comerás pão sempre à minha mesa. Então se inclinou, e disse: Quem é teu servo, para teres olhado
para um cão morto tal como eu?” 2 Samuel 9:7-8

Somente pela graça, e unicamente por ela, é que somos abençoados por Deus.
A graça é o favor imerecido de Deus às suas criaturas. É o favor que não fazemos jus a ele. O texto de 2 Samuel é um exemplo aplicável da graça entre os seres humanos. Tal como Davi favorecendo Mefibosete por amor a Jonatas, assim também nós somos alvos por causa do favor de Deus e por causa do amor de Deus Pai à Deus Filho.
Assim como Mefibosete se viu indigno do favor do Rei “Quem é o teu servo, para teres olhado para um cão morto tal como eu?”, assim também nós devemos nos prostrar em face à maravilhosa graça do Senhor em nos estender o seu favor na pessoa de Cristo. Não temos o direito de estar diante de Deus, mas, unicamente pela Graça, temos o privilégio de estarmos na presença dEle. Podemos aplicar a figura de um cão morto. Somos como um cão morto diante de Deus, somente pela Sua infinita Graça é que somos aceitos diante dEle em Cristo.
Essa Graça deve nos bastar. Quando Paulo pediu libertação do seu espinho na carne recebeu como resposta a GRAÇA. Nossa sustentação como seres humanos nesta vida se dá pela Graça. Nossa perseverança até o fim se dá pela Graça. Toda benção que Deus nos concede é pela Graça. Não existe mérito em nos que sensibilize Deus a nosso favor. Não são nossas orações, petições, exigências e declarações que movem Deus para nós. Somente a Graça opera. Somente a Graça distribui. Somente a Graça engrandece Deus em nossas vidas.
Somos salvos pela Graça por meio da fé e isso não vem de nós, mas de Deus.
Hoje é comum ouvimos os cristãos dizerem “eu determino”, “eu declaro”, “eu isso”, “eu aquilo”, tais pessoas nada sabem de Deus e muito menos da Sua graça, pois se acham dignos e merecedores das coisas que estão reivindicando diante de Deus. Criatura, servo não reivindica, mas implora por misericórdia, e Deus que é gracioso tem prazer em abençoar seus filhos. 
Confie na Graça e se apoie nela. Ela é uma fonte que jorra da eternidade e invade o tempo e o espaço. Ela produz transformação e vida naqueles que creem. Viva na Graça.

A Estranha Graça

A estranha graça de Jesus 
Um infeliz salvou! 
Eu cego estava, deu-me luz, 
Perdido, e me buscou! 

A graça, então, meu coração 
Do medo libertou; 
Oh! quão preciosa a salvação 
Que a graça me ganhou! 

Perigos mil atravessei, 
E a graça me valeu; 
Eu, são e salvo, agora irei 
Ao santo lar do céu. 

Promessas deu-me o Salvador 
E nele eu posso crer; 
É meu escudo e protetor 
Em todo o meu viver!
- 1772
Letra - John Newton (1725-1807)

Sola Fide – Somente a fé.
“Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie.” Efésios 2:8-9
Somente pela fé, e unicamente por ela, o pecador é salvo com base nos méritos eternos de Cristo. Sendo assim, a presente sola reafirma os três solas anteriores: a Escritura é o meio pelo qual Cristo é revelado, sendo este o alvo da fé, sendo que a fé é um
presente concedido graciosamente por Deus “e isto (a fé) não vem de vós”.
Somente pela fé na pessoa e obra de Cristo é meio dela pelo qual Deus declara o pecador injusto em justo. A necessidade de tal ato se dá por causa da nossa total inabilidade e capacidade para satisfazer a justiça de Deus. Porque somos pecadores, todas as nossas obras estão corrompidas pelo pecado e, portanto, são inúteis a Deus, ou como a própria Escritura trata (Isaías 64:6) , como algo podre:
Diante da nossa impotência e incompetência, não podemos confiar em nossa carne, em nosso esforço e sim unicamente na obra de Cristo na cruz. A fé é a atitude de total confiança no que as Escrituras declaram a respeito de Cristo e sua Obra.

O alvo de nossa fé não deve nossa própria fé. Muitos creem que se crerem somente tudo acontecerá. Isso esvazia o conteúdo da fé. O conteúdo da fé é Cristo e somente Cristo. Muitos afirmam que “eu tenho fé” e isso basta para Deus abençoar. Ter fé não implica em nada. A fé precisa ser canalizada para Cristo porque Ele é o autor e consumador de nossa fé. Crer por crer não significa nada, somente religiosidade. A fé deve se alegrar em Cristo e vibrar com sua intervenção na vida. A fé se alimenta da Palavra e sobrevive pela Graça.

Soli Deo Gloria – Somente Deus seja a Glória.

Somente para Deus a glória, e unicamente para Ele. A Igreja existe para a demonstração deste valor: o valor que Ele tem. Nós fomos chamados para louvor da sua glória. Não a respeito de nós, ou o que nós buscamos ter, mas sim exclusivamente a Ele, de modo que os hinos e cânticos girem em torno da pessoa e dos atributos de Deus. A mensagem não deve ser antropocêntrica (o homem como o centro) e sim Cristocêntrica (Cristo como o centro).
Veja as músicas que cantamos hoje. Somente o homem é destacado. Nossos louvores devem apontar para Deus e somente para ele. Vejam estes exemplos antagônicos: A música Raridade:

Não consigo ir além do teu olhar
Tudo que consigo é imaginar
A riqueza que existe dentro de você
O ouro eu consigo só admirar
Mas te olhando eu posso a Deus adorar
Sua alma é um bem que nunca envelhecerá

O pecado não consegue esconder
A marca de Jesus que existe em você
O que você fez ou deixou de fazer
Não mudou o início: Deus escolheu você
Sua raridade não está naquilo que você possui
Ou que sabe fazer. 
Isso é mistério de Deus com você.

Você é um espelho
Que reflete a imagem do Senhor
Não chore se o mundo ainda não notou
Já é o bastante Deus reconhecer o seu valor
Você é precioso, mais raro que o ouro puro de ofir
Se você desistiu, Deus não vai desistir
Ele está aqui pra te levantar
Se o mundo te fizer cair....

Agora vejamos este hino do Cantor Cristão:
Antífona
 
A Ti oh Deus Fiel e Bom senhor
Eterno Pai Supremo Criador
Nós os teus servos vimos dar louvor
Aleluia aleluia

A Ti Deus filho salvador Jesus
Da graça a fonte da verdade a luz
Por Teu amor medido pela Cruz
Aleluia Aleluia

A Ti oh Deus real consolador
Divino Fogo santificador
Que nos anima e nos acende o amor
Aleluia Aleluia

A Ti Deus trino, Poderoso Deus
Que está presente sempre junto aos teus
A ministrar as bênçãos lá dos céus
Aleluia Aleluia

Somente para Deus a glória, e unicamente para Ele. Este o fim principal da nossa existência: a glória de Deus. Glorificar a Deus é tão somente reconhecer a atribuir a Ele todas as perfeições dEle. Somente na pessoa dEle termos o nosso gozo.
Somente para Deus a glória, e unicamente para Ele, sendo Ele a fonte (Porque dele) o mantenedor (por meio dele), e o alvo (para ele são todas as coisas) de tudo isso. Rm. 11:36
Sendo assim, a vida dentro e fora da igreja vem dEle. Se obtermos dEle o que necessitamos, sermos mantidos por Ele e com o fim de para Ele fazermos todas coisas.

O Catecismo Maior de Westminster em sua primeira pergunta diz: Qual é o fim supremo e principal do homem? Resposta. O fim supremo e principal do homem e glorificar a Deus e gozá-lo para sempre. (Rom. 11:36; 1 Cor. 10:31; Sal. 73:24-26).

Soli Deo Gloria

Pr. Luiz Fernando R. de Souza

07 agosto 2015

CANIBALISMO ECLESIÁSTICO



CANIBALISMO ECLESIÁSTICO
A busca alucinante por crescimento a qualquer custo tem levado igrejas e pastores a ultrapassarem limites sadios de convivência. Se observarmos o meio neopentecostal isso é vivido escandalosamente. Abrem igrejas divididas por paredes sem o menor constrangimento, buscando somente, creio eu, aumento de receita e nada mais. Ainda por cima abusam de faixas, som alto, panfletagem etc. como meios de divulgação poluindo o ambiente de todas as formas.
Parece-me que as grandes igrejas adotaram o mesmo comportamento e falo de igrejas que sustentam placas de igrejas históricas, o que na verdade já deixaram de ser a muito tempo. Entendem que podem e devem invadir espaços ocupados por igrejas coirmãs, sem o menor constrangimento levando assim a uma divisão do “Reino de Deus”. Chegam com todo aparato possível, estruturas diversas e impõem sua marca como detentora do mercado. Como corolário esvaziam igrejas menores que veem lutando há anos para levar o evangelho onde estão plantadas, piorando a vida dos colegas pastores e suas famílias. Na verdade não se preocupam com “Reino de Deus”, mas com os seus deuses que são seus próprios ventres.
Lembro-me de ter participado de uma palestra no final do curso de Pós Graduação em Administração Financeira em uma Instituição liga à PUCMINAS, onde o palestrante dono de uma gigantesca locadora de veículos disse: “No ano tal tínhamos X concorrentes menores, como queríamos dominar o mercado mandei quebrar 50% delas. Alguém perguntou como vocês fizeram isso? Ele simplesmente respondeu: Segurei os meus preços por seis meses. Como a inflação estava altíssima os concorrentes não aguentaram e quebraram”. Isso é concorrência predatória no mercado capitalista que vemos em todo momento acontecer. Esse mesmo canibalismo capitalista entrou no meio eclesiástico. Sem o menor pudor e ética, pastores das grandes igrejas praticam tal canibalismo simplesmente quebrando as igrejas menores em nome de Deus. Abrem filiais das igrejas mães em frente de igrejas coirmãs e assim roubam membros de outras igrejas, literalmente quebrando essas menores. Essa megalomania se apresenta como distúrbio emocional e espiritual. Vale lembrar que a soberba precede a queda. Muitos pastores abdicaram de seus ministérios para se juntar a essas estruturas desumanizantes e se perderam no meio de milhares de membros em troca de uma pseudo-estabilidade.  Para mim tais pastores nunca foram pastores, mas fracassados que abdicaram da vida pelo vil metal. Procuram um evangelho sem dor, ideal e sofrimento para viverem uma espiritualidade infantil e doentia que não exige nada e ainda por cima dizem que são pastores de tal e tal igreja, Comem sardinha e arrotam camarão. São pastores de ninguém e de nada.                                           
O que chama atenção é que quando questionados porque abriram igrejas em frente ou perto de igrejas coirmãs tais líderes enfatuados de suas arrogâncias dizem de boca cheia: “É uma visão que Deus no deu e estamos seguindo esta visão, nada pode ser feito”. Gostaria de perguntar se tais líderes vivessem o lado oposto da moeda como reagiriam? Diriam amém para tal atrocidade ou sentiriam na pele o desgaste? Olhariam para suas famílias com alegria e diriam: veja como o “Reino de Deus” caminha em harmonia, tudo está bem. Creio que chorariam amargamente vislumbrando a possiblidade de anos de trabalho serem anulados e a tragédia batendo à suas portas. Tais líderes megalomaníacos olham de cima para baixo e não conseguem enxergar nada e nem ninguém, a não ser eles mesmos. Mas que visão é essa que Deus deu que fere frontalmente a Sua Palavra? Que procedimento é esse que despreza a nossa regra de fé e prática? Lembro-me do apóstolo Paulo ao dizer em II Cor. 8:1-6 do exemplo das igrejas de Macedônia que se alinharam com as necessidades do crentes pobres da Judéia. Além de dinheiro doaram a si mesmos com amor. Aqui prevaleceu o princípio da ajuda mutua e da colaboração. Esse é o padrão bíblico e o mais saudável e nunca o canibalismo eclesiástico. Por outro lado vale questionar se essa visão de crescimento a qualquer custo vem de Deus mesmo ou de outro deus qualquer? Tais líderes, por viverem uma espiritualidade doentia e distorcida, esquecem-se que essa pseudo-visão é antiética e que o Deus da Bíblia é extremante ético. Esquecem-se que uma casa dividida não subsiste. Esquecem-se que melhor é servir do que possuir. Esquecem-se que a derrocada do pequeno não engradece o grande. Tais líderes me fazem lembrar David quando quis possuir Bate-Seba. Precisou destruir uma família para tentar construir a sua. Nenhuma estrutura construída em cima e à custa das cinzas de outra tem valor ou deixa um legado que será lembrado com alegria. Tais líderes ainda encontrarão seus Natãs que lhe dirão: “Esse homem és tu”. 
Somente tenho que lamentar tais posturas canibalísticas que copiam desavergonhadamente o padrão do mundo invadam a igreja do Senhor. Lamento que quem pratica esse canibalismo atribua essa visão a Deus. Lamento pelos colegas que passam por tais desgastes não terem a quem recorrer dentro das estruturas que servem, pois tais estruturas são geridas por homens que borram as botas diante dos grandes.                           
I Pe. 4:17 “Porque já é tempo que comece o julgamento pela casa de Deus...

A ESPERANÇA ESTÁ EM DEUS.

Soli Deo Gloria

Pr. Luiz Fernando R. de Souza
 


21 julho 2015

THALLES ROBERTO A "QUEDA" DE QUEM NUNCA SUBIU

Tomou conta da rede nessa semana a polêmica das declarações de Thalles Roberto. O projeto de cantor disse em alguns lugares que hoje ele é o melhor da música gospel e o resto é medíocre, e tudo isso ao som de "glória a deus"  (é deus com minúscula mesmo porque aquele negó$io não tem nada a ver com o Deus do céu) de uma juventude surtada. Anunciou também que vai começar a gravar fora do meio, porque ser o melhor entre os ruins é fácil, mas "deus" disse a ele que ele deve ser o melhor entre os bons, quer dizer, fora do meio gospel. O vídeo VOCÊ ASSISTE AQUI porque do youtube ele mandou tirar. As declarações depois de ele estar com muita amizade com o funkeiro Naldo (aquele do "em cima, em cima, em cima") parecem muito normais. Naldo deve ter mostrado ao Thalles o caminho das pedras. Pois bem, aqui vai o que penso.

Thalles e Naldo parceria que promete... não sei o que, mas sei que não é bom
1- O fato de Thalles sair do meio gospel para mim é ótimo. Isso vai nos livrar de música ruim e muita heresia que caso contrário continuaria a vir de suas modas e "ministrações". Infelizmente temos uma juventude que não conhece a Bíblia, e quem tem feito a cabeça desse pessoal é a turma do gospel, principalmente quem faz sucesso. Sou pastor e sei que as nossas pregações e estudos surtem pouco efeito, porque nas pregações poucos prestam atenção, e nos estudos (quando a igreja ainda tem cultos de estudo bíblico e Escolas Dominicais) ninguém vai. Mas, em contrapartida todos tem um celular cheio de música desses "gritadores" da moda que escutam o dia inteiro. E ainda com o apoio de muitos "pastores" que não estão nem aí contanto que tenha gente na casa para pagar o seu salário. 
Porém, ao mesmo tempo em que não conhece a Bíblia o jovem crente também é extremamente supersticioso, ele  só escuta quem diz que é crente. De crente qualquer lixo serve, mas se o cara não for do metiê ninguém ouve. Assim, Thalles no "mundo" é menos "liberação de unções", "palavras proféticas", poluição e má influência no meio dos jovens das igrejas.

2- Que a música gospel realmente é um poço de mediocridade o Thalles está certíssimo.Ora, não é preciso entender de música para saber que Damares, Trazendo a Arca (ou Levando a Arca, não sei o nome daquilo), Diante do Trono, Marcela Thaís, o próprio Thalles, Fernanda Brum, Anderson Freire, Cleber Lucas, e quem mais faça sucesso por aí (perdoem a minha ignorância de nomes, não escuto esse negó$io) são muito ruins mesmo. Não tem letra, profundidade, construção melódica, poesia. Os nossos músicos de igreja espancam os instrumentos e em certos lugares o famoso "período de louvor' é uma tortura porque as referencias que escutam são esse tipo de coisa. Peça para um músico de igreja tocar um "nayabing", ou um Sambarock, e espere.... sentado. Com respeito ao que cantam é tudo um repeteco sem tamanho e quando não um festival de heresias. Já viu o cantor da igreja querer imitar o seu ídolo gospel, fazer carinha de santo, postar as mãos e "miar" feito Ana Valadão? Aí é o fim. Qualquer um com um mínimo de discernimento bíblico verá que tem música aí que é até pecado ouvir. 

Agora quando falo de "música gospel" não estou falando aqui da música cristã em si, estou falando desse movimento comercial inspirado no inferno que adentrou as igrejas a partir da década de 90, capitaneado pela Renascer. Na música cristã, que é outra coisa, temos pessoas que estão entre os melhores cantores e músicos do Brasil, é só da uma ouvida em Silvia e Cintia, Vencedores por Cristo, Grupo Logos, Stênio Marcius, Wanda Sá (sim a maior cantora de Bossa Nova do Brasil é cristã e faz música cristã), Victorino Silva, Diego Venâncio, Roberto Diamanso, Quarteto Vida, Carol Gualberto, João Alexandre, Nelson Bomilcar, Gladir Cabral, Jorge Camargo, Shirley Spindola, Baixo e Voz, Sal da Terra, Silvestre Kuhlmann, Carlinhos Veiga, Expresso Luz, Josué Rodrigues, Priscila Barreto, Guilherme Kerr, Gerson Borges, Carlos Sider, Sérgio Lopes, para citar alguns, pois tem muito mais. Não confunda por favor o que está na mídia, o tal "movimento gospel" que de tão original até o nome é importado (a palavra gospel é da língua inglesa), com música cristã. Esse movimento faz parte de um plano comercial onde multinacionais como Sony, ou gravadoras como a Som Livre, contratam os "artistas" apenas para faturar. Eles não têm nenhum compromisso com o Evangelho, pois gravam tanto o padre como o pastor, ou o xangozeiro, assim façam sucesso e deem lucro. Por isso as músicas gospels hoje podem ser cantadas por qualquer um, numa "igreja", num bloco de carnaval (Ivete gosta de cantar Thalles), ou num palco de programa de TV com bailarinas seminuas dançando ao fundo.

3- Não entendo a surpresa de muitos. Uma coisa que não entendo é a surpresa de muitos. Ou é muita besteira, ou é falta de cérebro mesmo. Alguém que conhece a Bíblia e o Evangelho acha que quem que cria um boneco (ídolo) com seu nome (Thalleco), bonés, camisas, Biblia, para vender e arrecadar. Alguém que vive dizendo e cantando o que o Thalles canta e diz por aí (tudo gravado em vídeos diversos e veja suas letras) é cristão? Caramba, será que todo mundo está cego? Eu falo nisso faz tempo, sou criticado por meio mundo, mas nunca me calei. Aquele negó$io de Trazendo a Arca (sei lá o nome) que brigaram, se dividiram, meteram processo um no outro é coisa de cristão? Quem canta que quer ver quem não o ajudou ferrado na plateia enquanto ela está no palco (Damares) é cristã? Quem fica misturando judaísmo com cristianismo como o Leonardo Gonçalves da Sony (ele nem escreve mais Deus, mas D-us como os judeus messiânicos) é cristão? Quem sai berrando e de 04 no palco (Ana do Diante do Trono) é cristã? Nunca me enganei. O Catedral eu dizia faz tempo não são músicos cristãos todos conhecem o fim da historia. O Thalles eu sempre disse, e que também era muito ruim, uma zuada dos infernos. E tem muitos cantores gospels que não são cristãos e faturam dentro de igrejas, mas não saem co medo da opinião pública. O Thalles foi corajoso, é isso que um homem deve ser. Essa turma nunca me enganou.

Thalles e suas unções e palavras proféticas
O que fica de tudo isso? Bem, primeiro que o conceito de musica de Thalles, como de seus fãs (sim cantor gospel tem fãs que o defendem com unhas e dentes, mais do que a Cristo) é muito pobre. Porque se ele acha que os grunhidos que ele emite, e a pantomima que faz no palco é música, me digam o que é que faz Paulo Cézar do Logos, Stênio Marcius, Victorino Silva. Porque uma coisa é certa, o que esses cristãos fazem é muito, mas muito diferente do Thalles e seus semelhantes. Segundo, lá no "mundo' como dizem, ele quem sabe faça sucesso mesmo, pois veja o caso de seu amigo Naldo, se aquilo faz sucesso você duvida que o Thalles fará. Num país em que uma multidão de universitários, infelizmente morreu numa casa de show porque estavam lá para ouvir uma banda chamada "Gurizada Fandangueira", o que você deve esperar? 

Assim, vai com Deus Thalles e que muitos outros "músicos gospels" sigam seu exemplo.
Fonte: GRAÇA PLENA

Soli Deo Gloria

Pr. Luiz Fernando R. de Souza

13 julho 2015

OREMOS PELO PR. ENÉAS TOGNINI

Resultado de imagem para IMAGENS PR. ENEAS TOGNINI

Segundo relato do Pr. Jonas Neves (Presidente e Pastor da Igreja Batista do Povo), o estado de saúde do Pr. Enéas Tognini (101 anos) é muito delicado.
Hoje ele não consegue mais se levantar da cama, toda sua higiene é feita no local. Também não consegue mais se alimentar por força e vontade própria, somente por sonda, e já não consegue se lembrar das pessoas com quem conviveu e o cercam.
Somente a eternidade nos dirá o quanto foi amado pelo Senhor e o reconhecimento do tanto que serviu a obra do Pai na terra. Como todos nós o Pr. Tognini caminha para o encontro com aquele que o salvou e o arregimentou para Sua obra. Exemplo de Pastor que nunca trouxe escândalo e vergonha para o Reino. Amado e reconhecido por muitas denominações como destaque.
Oremos por este obreiro de Deus e por sua família.

Soli Deo Gloria

Pr. Luiz Fernando R. de Souza


10 julho 2015

UMA DECLARAÇÃO EVANGÉLICA SOBRE O CASAMENTO

UmaDeclaracao

Diante da Recente decisão da Suprema Corte dos EUA de redefinir o Conceito de Casamento, Mais de 100 pastores assinaram Uma Declaração Evangélica Sobre o Casamento.
Como cristãos evangélicos, discordamos da decisão da Suprema Corte que redefinir O Casamento.  O Estado NÃO CRIOU A Família, e NÃO Deveria tentar Recriar A Família A SUA Própria Imagem. NÃO capitularemos Quanto Ao Casamento, POIS Uma Autoridade Bíblica Exige Que o façamos NÃO. O desfecho da decisão da Suprema Corte de redefinir O Casamento Representação O Que Parece Ser resultado de Meio Século de testemunhar o Declinio fazer atraves Casamento do Divórcio, coabitação e Uma cosmovisão da Liberdade sexual Quase Sem Limites. Ações Como Como da Suprema Corte representam Riscos incalculáveis ​​Paragrafo hum Tecido volátil Já Sociais Ao alienar aqueles Cujas crenças a Respeito do Casamento São motivadas POR Profundas convicções Bíblicas e Preocupação Cabelo Bem Comum.
A Bíblia claramente Ensina a Verdade Permanente de que O Casamento fazer Consiste de um homem e uma mulher.  De Gênesis a Apocalipse, a Autoridade da Escritura testifica da Natureza do Casamento bíblico Como especificamente limitado à complementaridade de homem e mulher. Tal Verdade Não É negociável. O proprio Senhor Jesus Disse Que O Casamento Existe desde o Princípio (Mt 19,4-6), portanto, nenhuma Instituição humana TEM Uma Autoridade de redefinir O Casamento Assim Como nenhuma Instituição humana TEM Uma Autoridade de redefinir o evangelho, Que O Casamento misteriosamente reflete (Ef 5,32). A decisão da Suprema Corte de redefinir O Casamento demonstra hum discernimento equivocado Ao desconsiderar O Que a História e incontáveis ​​civilizações passaram Adiante Até Chegar a nos, mas também Representação hum resultado com o qua evangélicos OS PROPRIOS, infelizmente, Não São inocentes de ter contribuído. MUITAS vezes, evangélicos professos falharam em Sor modelos dos ideais que preciosamente Tão estimamos e cremos Serem Centrais Paragrafo uma proclamação do evangelho.
Igrejas evangélicas devem Ser Fiéis Ao Testemunho bíblico do Casamento, Independente de Mudanças Culturais.  Como Igrejas Evangélicas dos Estados Unidos encontram-se em Uma nova ágora Paisagem chama moral Que nsa um zumbido contexto ministrar em Cada Vez Mais hostil à ética Bíblica sexual. ISSO Não É Novo na História da Igreja. Primórdios DESDE SEUS, Quer Fosse na Margem da sociedade OU em Uma posição de influencia, Uma Igreja E Definida Pelo evangelho. Insistimos que NOS O EVANGELHO Boas Novas Traz a todas Como PESSOAS, independentemente de Uma cultura ou Não considerar Como Novas  boas .
. O evangelho DEVE informar Nossa Abordagem Ao Testemunho Público  Como evangélicos animados Pelas Boas Novas de que Deus oferece Reconciliação atraves da vida, morte e Ressurreição do Seu Filho, Jesus, Nós Nos comprometemos a:
• Respeitar e orar Pelas Nossas Autoridades governantes, MESMO enquanto passamos Cabelo Processo Democrático de Reconstruir Uma cultura de Casamento (Rm 13,1-7);
• COMUNICAR A Verdade a Respeito do Casamento bíblico de Uma Maneira Que traga cura Paragrafo Uma cultura sexualmente Doente;
• Afirmar o mandato bíblico de que Todas Quanto PESSOAS, incluíndo Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, transexuais e Transgêneros (LGBT) e de quaisquer PESSOAS Otras orientações Sexuais, São criadas à Imagem de Deus e merecem Dignidade e Respeito;
• Amar OS NOSSOS Próximos independentemente de quaisquer desacordos Que surjam Como resultado de crenças conflitantes a Respeito do Casamento;
• Conviver de Maneira respeitosa e cívica com aqueles Que possam discordar de Nós, em Nome Do Bem Comum;
• Cultivar Uma cultura Comum de Liberdade Religiosa que Permita que Prospere hum Liberdade de viver e crer de Maneira diferente.
A redefinição do Casamento NÃO Devéria ocasionar hum Erosão da Liberdade Religiosa.  Nos anos Que se seguirão, PODE Ser Que Instituições evangélicas Sejam pressionadas a sacrificar SUAS sagradas crenças a Respeito do Casamento e da Sexualidade hum Fim de acomodar quaisquer exigências que Uma cultura eA lei exijam . NÓS NÃO TEMOS Uma Opção de nos adequarmos hum Tais exigências sem violar Nossas consciências e abrir Mão Fazer evangelho. NÓS NÃO permitiremos Que o Governo nsa coaja OU infrinja OS DIREITOS de Instituições de viver de um a Acordo com a sagrada Crença de Que APENAS Homens e Mulheres PODEM se unir em Casamento.
O evangelho de Jesus Cristo Determina Uma forma OE tom do Nosso Ministério.  A teologia Cristã Que Sejam considerados SEUS Ensinos Sobre O Casamento atemporais e imutáveis, é Assim, devemos posicionar firmemente nsa de um a Acordo com tal Crença. Daqueles Ultraje e Pânico Não São Reações Dignas que confiam NAS Promessas de Um Cristo Jesus Que reina. Embora creiamos que a Suprema Corte tenha Errado decisão em sua, NÓS nsa comprometemos a nsa posicionarmos de Maneira inabalável e fiel, testificando Fazer ensino bíblico de que O Casamento E o pilar do capital da sociedade, Designado UM UNIR Homens, Mulheres e Crianças. Prometemos proclamar e viver ESSA Verdade a Custo todo, com convicções que São comunicadas com BONDADE e amor.
Signatários:

Russell Moore, Presidente, Comissão de Ética e Liberdade Religiosa
Jim Daly, Presidente, Focus on the Family
R. Albert Mohler, Jr., Presidente, The Southern Baptist Theological Seminary
Jeff IORG, Presidente, Seminário Teológico Batista Golden Gate
David Platt, Presidente, Internacional Mission Board
Ronnie Floyd, Presidente, Convenção Batista do Sul | pastor sênior, Igreja da Cruz
Página Frank, Presidente e CEO do Comitê Executivo SBC
Danny Akin, Presidente, Southeastern Baptist Theological Seminary
Paige Patterson, Presidente, Southwestern Baptist Theological Seminary
David S. Dockery, Presidente, Trinity International University / Trinity Evangelical Divinity School
Jack Graham, Pastor, Prestonwood Baptist Church
Tony Evans, pastor sênior, Oak Cliff Bible Fellowship
Thom Rainer, Presidente, LifeWay Christian Resources
OS Hawkins, Presidente, Guidestone Recursos Financeiros
Robert Sloan, Presidente, Houston Baptist University
Barrett Duke, Vice-Presidente de Política Pública e Pesquisa e Diretor do Instituto de Pesquisa, Comissão de Ética e Liberdade Religiosa
Matt Chandler, Pastor Principal de Ensino, A Igreja da vila
John Huffman, Presidente do Conselho  Christianity Today  e Gordon-Conwell Theological Seminary
José Abella, Pastor, Providence Church Road, Miami
Raudel Hernandez, Pastor, Summit Español Raleigh, NC
Felix Cabrera, Pastor, Iglesia Bautista Central, Oklahoma City
Edgar Aponte, Diretor de Desenvolvimento de Liderança Hispânica, Southeastern Baptist Theological Seminary
Samuel Rodriguez, Presidente, Conferencia Nacional de Liderança Cristã Hispânica
Jason Duesing, Reitor, Midwestern Baptist Theological Seminary
Jeffrey K. Jue, Reitor, Seminário Teológico de Westminster
Roland C. Warren, Presidente e CEO, Net Care
Kevin Smith, Pastor de Ensino, Igreja Batista Highview
Paul David Tripp, Pastor, Escritor e Conferencista Internacional
Dean Inserra, Pastor Presidente, Cidade Igreja, Tallahassee
John Stonestreet, Palestrante e Membro, o Centro de Colson Chuck parágrafo Cosmovisão Cristã
Ramon Osorio, Mobilizador Hispánico Nacional de Igrejas, North American Mission Board
Jimmy Scroggins, Pastor Presidente, Igreja Família, West Palm Beach
Jackie Colina Perry, Escritora, Palestrante, Artista
Greg Laurie, pastor sênior, Colheita Christian Fellowship
Trip Lee, Rapper, Cantor, Poeta e Escritor
Denny Burk, Professor de Estudos Bíblicos, Boyce Colégio
Paul Chitwood, Diretor Executivo, Kentucky Convenção Batista
J. Ligon Duncan III, Chanceler e CEO, Professor da Cadeira John E. Richards de Teologia Sistemática e Histórica, Reformed Theological Seminary
HB Charles Jr., Pastor de Ensino, Shiloh Metropolitan Baptist Church
DA Carson, Professor Pesquisador de Novo Testamento, Trinity Evangelical Divinity School
David E. Prince, Professor Assistente de Pregação Cristã, Seminário Teológico Batista do Sul
AB Vines, pastor sênior, Nova Estações Igreja
Mike Cosper, o pastor de Adoração e Artes, Igreja da Comunidade Sojourn
Nathan Lino, Pastor Presidente, Nordeste Houston Baptist Church
Heath Lambert, Diretor Executivo, Associação de Conselheiros Bíblica Certificado
Tony Merida, Pastor de Pregação, Imago Dei Igreja
Clint Pressley, Pastor, Hickory Grove Baptist Church
Vance Pitman, pastor sênior, Igreja Esperança, Las Vegas
Bruce Riley Ashford, Reitor, Southeastern Baptist Theological Seminary
Phillip Bethancourt, Vice-Presidente Executivo, Comissão de Ética e Liberdade Religiosa
Jonathan Leeman, Diretor Editorial, 9Marks
Thomas White, Presidente, Universidade Cedarville
Karen Swallow Prior, Professora de Inglês, a Liberty University
Jason Allen, Presidente, Midwestern Baptist Theological Seminary
Rosaria Butterfield, Escritora e Palestrante
JD Greear, Pastor, A Cúpula Igreja
Collin Hansen, Diretor Editorial, O Evangelho Coalition
Eric M. Mason, Pastor Presidente, Epifânia Fellowship Church
Eric Teetsel, Diretor Executivo, Manhattan Declaração
Andrew T. Walker, Diretor de Estudos Políticos, Comissão de Ética e Liberdade Religiosa
Daniel Patterson, Chefe de Gabinete, Comissão de Ética e Liberdade Religiosa
Daniel Querido, Vice-Presidente de Comunicações, Comissão de Ética e Liberdade Religiosa
Trillia Newbell, Diretora de Alcance Comunitário, Comissão de Ética e Liberdade Religiosa
David French, National Review
Paul Nyquist, Presidente e CEO, Moody Bible Institute
Kevin Ezell, Presidente, North American Mission Board
Roger Spradlin, pastor sênior, Valley Baptist Church, Bakersfield, na Califórnia.
Carmen Fowler LaBerge, Presidente, Comité Lay Presbyterian
Tommy Nelson, pastor sênior, Denton Bíblia Igreja
JP Moreland, Professor honorario de Filosofia, Universidade Biola
Bryant Wright, pastor sênior, Johnson Ferry Baptist Church
Matthew Lee Anderson, Articulista, Mere Ortodoxia
Gabriel Salguero, Presidente, National Latino Coalition Evangélica
Bruce Frank, pastor sênior, Biltmore Baptist Church
Afshin Ziafat, pastor Presidente, Providence Church, Frisco, Texas
David Jeremiah, pastor sênior, Sombra da montanha Igreja da Comunidade
Christine Hoover, Escritor
Jim Baucom, pastor sênior, Columbia Baptist Church
Samuel W. "Dub" Oliver, Presidente, União Universidade
James MacDonald, pastor sênior, Colheita Bíblia Capela
Juan R. Sanchez Jr., pastor sênior, High Pointe Baptist Church, Austin, Texas
David Uth, pastor sênior, First Baptist Orlando
Timothy George, Reitor e Professor de Divindade, Beeson Divinity School
Alistair Begg, pastor sênior, Parkside Igreja
Naghmeh Abedini
Steve Gaines, Pastor, Bellevue Baptist Church
Richard Mouw, Professor de Fé e Vida Pública, Seminário Fuller
Ron Sider, Professor honorario Sênior de Teologia, Ministério Holístico e Política Pública, Seminário Palmer na Universidade Oriental
Randy Alcorn, Diretor, Perspectivas Eternas Ministérios
Kevin DeYoung, pastor sênior da Igreja Reformada Universidade
Justin Taylor, Escritor e blogueiro
Dennis Rainey, Presidente, FamilyLife Hoje
Nancy Leigh DeMoss, Revive NOSSOS Corações
Ray Ortlund, Pastor Presidente, Immanuel Nashville
John Bradosky, Bispo Presidente, North American Lutheran Church
Matt Carter, pastor de Pregação e Visão, O Austin Stone Church Comunidade
Owen Strachan, Presidente, O Conselho de masculinidade e Feminilidade Bíblica
Richard D. Terra, Presidente, Southern Evangelical Seminary
Sam Storms, Pastor Presidente de Pregação e Visão, Bridgeway Igreja
Bart Barber, Pastor, Primeira Igreja Batista de Farmersville
Hunter Baker, Professor Adjunto de Ciências Políticas e Reitor de Instrução, União Universidade
Bryan Chapell, pastor sênior, Grace Presbyterian Church
JI Packer, professor do Conselho, Teologia Regent College
Erwin W. Lutzer, pastor sênior, The Moody Igreja
DA Horton, Diretor Fazer ReachLife Ministérios, Coordenador Nacional de Missões Urbanas Acadêmicas
Mark Dever, pastor sênior, Capitol Hill Baptist Church
Fred Luter, Pastor, Franklin Avenue Baptist Church
Bryan Loritts, Pastor de Pregação e Missão, Trinity Igreja da Graça, Kainos Movimento
Mike Glenn, pastor sênior, Brentwood Baptist Church
Johnny Hunt, Pastor, Primeira Igreja Batista de Woodstock
Ken Whitten, pastor sênior, Idlewild Igreja Batista
Marvin Olasky, Editor-em-chefe, World Magazine
Todd Wagner, pastor sênior, Watermark Igreja
Christopher Yuan, Palestrante, Escritor e Professor de Bíblia
Tory Baucum, Reitor, Truro Igreja Anglicana
Bryan Carter, Pastor, Concord Church
Ron Johnson, pastor sênior, Aldeia Bible Church
Mac Brunson, Pastor, Primeira Igreja Batista de Jacksonville
Trey Brunson, First Baptist Church Jacksonville
Ray Pritchard, Presidente, Continuar Acreditando Ministérios
Erik Reed, Pastor, Igreja Journey
Michael Youssef, Pastor, A Igreja dos Apóstolos em Atlanta, GA
Nathan Finn, Reitor da Escola de Teologia e Missões enviar hum e Professor de Filosofia e Tradição Cristã, União Universidade
Rob Peters, pastor sênior, Calvary Baptist Church Winston-Salem, NC

29 junho 2015

Uma carta aberta aos pastores, por John MacArthur

Uma carta aberta aos pastores, por John MacArthur

A Suprema Corte neste país promulgou seu julgamento. As manchetes informam que um pouco mais da metade dos juízes da Suprema Corte consideram a liberdade de orientação sexual, um direito para todos os americanos. Esta troca de valores não aparece como uma surpresa para nós. Já sabemos que o deus deste século cega as mentes daqueles que não acreditam (2 Cor. 4: 4). O dia 26 de junho de 2015 fica como um marco americano de demonstração desta antiga realidade.

Nos próximos dias, irão esperar de você, como um pastor, que forneça comentários sensatos e conforto para o seu rebanho. Este é um momento crítico para os pastores, e surge como um lembrete de que uma formação adequada é crucial para um pastor. Estou escrevendo esta mensagem curta como de um pastor para outro. Os meios de comunicação estão cheios de atualizações, e eu não preciso juntar a minha voz nessa briga. Em vez disso, eu quero ajudá-lo a pastorear sua igreja nesse momento confuso. Além dos artigos úteis no blog Preaching and Preachers, eu também quero transmitir os pensamentos abaixo que, creio eu, vão ajudar a enquadrar a questão de uma maneira bíblica.

1 – Nenhum tribunal humano tem a autoridade de redefinir o casamento, e o veredicto de ontem não muda a realidade do casamento que foi ordenada por Deus. Deus não foi derrotado nesta decisão, e todos os casamentos serão julgados de acordo com fundamentos bíblicos no Ultimo Dia. Nada irá prevalecer contra Ele (Provérbios 21:30) e nada vai impedir o avanço de Seu Reino (Dan 4:35).

2 – A Palavra de Deus pronunciou seu julgamento sobre toda nação que redefiniu o mal como o bem, a escuridão como a luz, e o amargo como o doce (Isaías 5:20). Como uma nação, os EUA continuam a colocar-se na mira do julgamento. Como proclamador da verdade, você é responsável por nunca comprometer estas questões. De todas as maneiras, você deve se manter firme.

3 – Esta decisão prova que estamos claramente em minoria, e que somos um povo separado (1 Pedro 2: 9-11; Tito 2:14). Como escrevi no livro “Why Government Can’t Save You”, as normas que moldaram a cultura ocidental e a sociedade americana deram lugar ao ateísmo prático e ao relativismo moral. Esta decisão simplesmente acelerou a taxa de declínio dos mesmos. A moralidade de um país nunca vai ser mais alta que a moralidade de seus cidadãos, e sabemos que a maioria dos americanos não têm uma cosmovisão bíblica.

4 – A liberdade religiosa não é prometida na Bíblia. Na América, a Igreja de Jesus Cristo tem desfrutado de uma liberdade sem precedentes. Isso está mudando, e a novo norma pode, na verdade, incluir a perseguição (o que será algo novo para nós). Nunca houve um momento mais importante para homens talentosos ajudarem a liderar a igreja ao lidar, de forma competente, com a espada do Espírito (Efésios 6:17).

5 – O casamento não é o campo de batalha final, e os nossos inimigos não são os homens e mulheres que procuram destruí-lo (2 Coríntios 10: 4). O campo de batalha é o Evangelho. Tenha cuidado para não substituir a paciência, o amor e a oração por amargura, ódio, e política. A medida que você guiar cuidadosamente seu rebanho afastando-o das armadilhas perigosas que aparecem à frente, lembre-os do imenso poder do perdão por meio da cruz de Cristo.

6 – Romanos 1 identifica claramente a evidência da ira de Deus sobre uma nação: a imoralidade sexual seguida da imoralidade homossexual culminando em uma disposição mental reprovável. Esta etapa mais recente nos lembra que a ira de Deus veio na íntegra. Vemos agora mentes reprováveis em todos os níveis de liderança – no Supremo Tribunal Federal, na Presidência, nos gabinetes, na legislatura, na imprensa e cultura. Se o diagnóstico da nossa sociedade está de acordo com Romanos 1, então, também devemos seguir a receita encontrada em Romanos 1 – não devemos nos envergonhar do evangelho, pois é o poder de Deus para salvação! Neste dia, é nosso dever divino fortalecer a igreja, as famílias, e testemunhar o evangelho ao tirar os absurdos pragmáticos que distraem a igreja de sua missão ordenada por Deus. Homossexuais (como todos os outros pecadores) necessitam ser avisados do juízo eterno iminente e precisam ter o perdão, a graça e a nova vida, amorosamente oferecidos através do arrependimento e da fé no Senhor Jesus Cristo.

Em última análise, a maior contribuição ao seu povo será a de mostrar paciência e uma confiança inabalável na soberania de Deus, no Senhorio de Jesus Cristo, e na autoridade das Escrituras. Mire seus olhos no Salvador, e lembre-os de que quando Ele voltar, tudo será corrigido.

Estamos orando para que você proclame firmemente a verdade, e que se posicionamento de maneira inabalável em Cristo.
____________
Por John MacArthur
Via: Olhai e Vivei (tradução)