12 maio 2010

SERÁ QUE SOU HOMOFÓBICO?

A revista veja, desta semana, trouxe como reportagem de capa uma tendenciosa reportagem onde aborda a alegria de ser homossexual e fez isso com um viés jovem. Encontrei em meus arquivos este excelente texto do Rev. Wayne Perryman.

Rev. Wayne Perryman

O dicionário define homossexualidade como: “que deseja alguém do mesmo sexo [gênero] ou o ato de ter sexo com alguém do mesmo sexo [gênero]”. Em outras palavras, é uma conduta sexual feita com alguém do mesmo sexo. O dicionário não definiu esse termo como duas pessoas do mesmo sexo que por acaso se amam.

Simplificando: tanto a homossexualidade quanto a heterossexualidade tratam de sexo. Uma expressão sexual está perfeitamente em harmonia com a maneira como a natureza designou nossos corpos para propósitos reprodutivos (heterossexualidade), enquanto a outra não (homossexualidade). Nenhuma das duas expressões sexuais tem algo a ver com amor. Ambas são condutas sexuais expressas por meio de contato físico entre duas ou mais pessoas.

A atividade sexual pode ser uma expressão de amor, mas o próprio sexo não é amor. Todos os adultos maduros sabem que sexo e amor são duas coisas diferentes. O amor puro não é expresso na maior parte das vezes de forma sexual.

Pais que amam seus filhos darão a vida por eles, mas eles nunca têm sexo com os filhos. Soldados deram a vida — a expressão máxima de amor conforme a Bíblia (João 15:13) — por um colega de farda (do mesmo sexo), mas eles nunca tiveram sexo com seu colega. Irmãos e irmãs têm sacrificado a vida por seus irmãos doando os próprios órgãos para salvar a vida do outro, enquanto outros têm deixado sua herança inteira para seus irmãos, mas em ambos os casos essas expressões de amor jamais incluíram sexo.

O ato sexual é meramente um ato físico que é na maior parte das vezes expresso na privacidade do lar. Portanto, esse ato não deve ficar sob a proteção de leis de direitos civis. Seu devido lugar de proteção são as leis de privacidade, não leis de direitos civis. As leis deveriam ser criadas para desestimular condutas criminosas, não apoiar condutas sexuais privadas.

Quando gays disseram que nasceram desse jeito e se compararam com negros, uma criança negra escreveu:

Meu ato sexual não me fez negro

Isso é algo que os gays não podem dizer

Pois é fato que o ato sexual deles

É o que os faz gays

A homossexualidade e a heterossexualidade são comportamentos sexuais que se expressam. Não são condições físicas como a cor negra ou branca.

Havendo dito isso, será que sou homo-fóbico se eu não gostar, não aceitar ou não me sentir bem com a expressão (conduta) sexual dos gays? Homo-fóbico significa temer ou odiar o indivíduo gay ou homossexual que se engaja em tal conduta? Antes de responder a essa pergunta, por favor permita-me compartilhar com você outras condutas com as quais não me sinto bem.

* Não gosto de (ou não me sinto bem com) heterossexuais que se exibem com gestos escandalosos em público quando podem fazê-lo na privacidade de seus lares. Será que sou hetero-fóbico e odeio heterossexuais?

* Não gosto de (ou não me sinto bem com) indivíduos que traem o cônjuge. Isso significa que tenho fobia e ódio dos que traem seus cônjuges?

* Não gosto (ou não me sinto bem) quando meus filhos se comportam como membros de gangue. Será que odeio ou temo meus filhos? Será que isso é fobia dos próprios filhos?

* Não gosto (ou não me sinto bem) quando motoristas fazem ultrapassagens perigosas em outros motoristas. Será que tenho ódio ou fobia de motoristas?

* Não gosto (ou não me sinto bem) quando meus irmãos e irmãs negros usam a palavra “preto”. Isso significa que tenho medo e ódio de meus irmãos e irmãs afro-americanos?

* Não gosto de (ou não me sinto bem com) muitos dos meus maus hábitos. Será que tenho ódio e medo de mim mesmo?

Imagino que você está entendendo o que estou querendo dizer. Só porque não gosto de certas condutas ou não me sinta bem com certas condutas, isso não significa que temo ou odeio a pessoa que se engaja em tal conduta.

Não devemos permitir que outros nos rotulem ou coloquem em nós um peso de culpa naqueles entre nós que não gostamos, não aceitamos e não nos sentimos bem com o estilo de vida homossexual. Tenho certeza de que mesmo dentro da população homossexual há certas condutas que eles não gostam, mas isso significa que eles temem ou odeiam as pessoas que demonstram tal conduta?

Eu odeio ou temo gays? Absolutamente não! Se eu visse alguém tentando prejudicar fisicamente um gay, como cristão e tal qual o “Bom Samaritano” da Bíblia, eu seria um dos primeiros a socorrê-lo, não porque o indivíduo prejudicado é gay, mas porque ele, como eu mesmo, é amado por Deus. (João 3:16)

Considerações finais: Conforme declarei antes, os gays muitas vezes comparam sua experiência com a experiência dos negros, mas os negros nunca tiveram a opção de esconder sua pele negra no armário para escapar ou evitar perseguição. E nós nunca fomos odiados por causa de nossa conduta. Nós éramos odiados simplesmente porque éramos negros.

Fonte: Americans for Truth

Soli Deo Glória.

Pr. Luiz Fernando R. de Souza

16 comentários:

  1. Claudio Sampaio (Pr.)12 de maio de 2010 03:29

    Meu Caro Luiz Fernando,

    Parabéns pela abordagem. Ela é clara, inconfundível e muito bem contextualizada.

    Claudio Sampaio (Pr.)

    ResponderExcluir
  2. Prezado Irmão!

    Excelente colocação!Creio que não é preciso dizer mais nada. Está absolutamente bem explanada a questão e não resta quaisquer dúvidas sobre o tema em sua colocação. quisera que aqueles que têm - de má-fé , colocado a questão sob o prisma da aversão com intenção de acusar sob pretexto de preconceito ou prejuízo contra 'a' ou 'b' visse tal mensagem e entendesse a questão de uma vez por todas!

    12 de maio de 2010 09:44

    ResponderExcluir
  3. Presado Pr.

    Incrível a colocação desse texto, não gosto de um tanto de coisas na nossa sociedade contemporãnea, e nem por isso significa que odeio ou tenho fobia por isso ou aquilo...

    mas é fato que os que são vencidos pelo pecado, se tornam escravos do pecado, então como devemos nos sentir perante alguém que está escravizado? Como nos colocaríamos perante alguém que está algemado e dominado por traficantes???
    Imagine alguém agora num cativeiro imundo e com fome, acorrentado, amordaçado e com os olhos furados, como nos comportaríamos perante tal pessoa??? quem é escravo perde o seu livre arbítrio.
    Mas sabemos que não importa onde, se tais pessoas clamarem, o Senhor os ouvirá, ele não faz distinção de pessoas, e tem prazer no arrependimento....

    cabe a nós, que parecemos com Cristo, como bons samaritanos, como citado no texto, levar até eles essa notícia; que estão escravizados, amordaçados, na imuncícia do pecado, e com os olhos vazados, e dizer-lhes tamb. que se clamarem e invocarem o nome do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo serão salvos....
    então o Espírito Santo os convencerá do pecado da justiça e do juízo...

    nossa luta não é contra carne ou sangue, ou contra um grupo de pessoas...

    estar perto de um gay, ou homeossexual, e não se compadecer, ou ver que estão completamente dominados, me faz pensar o seguinte:

    quem me deu o direito de selecionar as pessoas que serão conduzidas ao arrependimento???


    com carinho:
    Zuco

    ResponderExcluir
  4. Prezado Pr. Cláudio,
    o texto foi muito bem escrito pelo Pr. Perryman e foi claro e incisivo.
    Ajuda-nos a argumentar em alto nível.
    Um abraço
    Em Cristo

    ResponderExcluir
  5. Prezado colega do O Peregrino,
    agradeço sua visita ao blog e seus comentários. Realmente nada precisa ser acrescentado ao texto. Creio que de alguma maneira este poderá ser multiplicado na WEB.
    Um abraço
    Em Cristo

    ResponderExcluir
  6. Prezado colega Pr. Zuco,
    realmente não podemos escolher a quem vamos evangelizar e anunciar a mensagem salvadora de Cristo. Podemos sim arrazoar com inteligência e competência com aqueles que tendem a polarizar o diálogo.
    Agradeço sua visita e que o Senhor o abençoe.
    Em Cristo

    ResponderExcluir
  7. MARAVILHOSO artigo, pequeno mas profundo e impactante.
    .
    Com simples palavras DESMONTOU por completo a tese de que comportamento homossexual é como o negro no sentido do preconceito
    .
    Parabens pela postagem Pr Luiz, topmei a liberdade de postar em meu blog
    .
    .

    ResponderExcluir
  8. Amado,
    Excelente abordagem sobre o tema, claro e objetivo.
    Copiei e publiquei em meu blog principal esta postagem, mantendo é claro seus créditos.
    Confira em http://minhafamiliaamada.blogspot.com
    Sobre seu novo template, acho bonito mas deve ter um cabeçalho mais elaborado e chamativo. Compare com o resultado que consegui no blog da nossa igreja (mesmo template) http://ibnvsobradinho.blogspot.com

    Ou se quiser outra idéia de template mais simples, veja meu blog pessoal http://matheussouzablog.blogspot.com

    A paz

    Matheus

    ResponderExcluir
  9. Olá meu amado irmão recebi sua mensagem com carinho, e ao ler esta sua postagem retirada do American for Truth, achei ela muito positiva com relação a este assunto tão debatido hj em nossa nação, e como tbm sou um defensor da não aprovação da Lei PL122, que é homo-fóbica, peço-lhe autorização para transcreve-la em meu blog, desde já obrigado.
    Graça e paz!
    Pr.Dilson Mendonça

    ResponderExcluir
  10. Olá meu irmão!muito positiva,é dificil entender e eceitar sempre que vem a tona e tenho oportunidade de me pronunciar sobre esse assunto,nao tenho muitas palavras,mesmo repudiando,foi muito bom,ler aqui. um abraco

    ResponderExcluir
  11. Bom texto. Só uma observação sobre uma outra coisa: palavras latinas não levam acento, por isso "Soli Deo Gloria" não deve ser acentuado. Saudações fraternais.

    ResponderExcluir
  12. Parabens!!! e que Deus continue abençoado-te pela coragem e clareza na defesa das verdades Bíblicas.

    ResponderExcluir
  13. Deixa ver se eu entendi. A opção sexual não pode ser defendida pelas leis, mas pode ser atacada pelas religiões? Estranha contradição. Sempre me intrigou essa estranha obcessão religiosos com tudo aquilo que os indivíduos fazem na intimidade de seus quartos.

    Esse texto ainda sugere que homossexuais não podem amar seus parceiros, afinal, a atração sexual é algo meramente físico, enquanto o amor (que não teria nada a ver com sexo) seria algo puro e elevado. Ai, ai.

    Ademais, a analogia apresentada compara a homossexualiade ao exibicionismo, traição, criminalidade, temeridade, preconceitos e vícios pessoais.

    Talvez não haja aqui o medo de homossexuais, mas há claramente um preconceito arraigado que se sustenta em justificativas desprovidas de sentido.

    ResponderExcluir
  14. Prezado Guto,
    creio que realmente você não entendeu o texto.
    Uma nova leitura do mesmo seria interessante.
    Pr. Luiz Fernando

    ResponderExcluir
  15. Luiz, meu caro, você está enganado. Li e compreendi muito bem.

    Infelizmente.

    O texto se sustenta na ideia de que o homossexualismo é apenas uma opção e, como tal, pode ser abandonado a qualquer momento.

    Estudos há, porém, que apontam que a homossexualidade pode ter origem genética, não sendo portanto uma questão de escolha. A observação de comportamento homossexual em animais corrobora essa teoria.

    De forma que o homossexual, tal como o negro, ou a mulher, não poderia deixar de ser o que é (embora num ato de autoviolência possa mentir para si mesmo).

    Até concordo que o sr. Perryman não tema ou homossexuais (e nem trapaceiros, exibicionistas, motoristas imprudentes etc), mas certamente ele alimenta um preconceito que escorre entre suas palavras.

    --
    Embora não tenha opinião formada quanto a leis que limitem o direito de se opinar quanto a determinadas condutas, sou veementemente contra os ataques recorrentes que religiosos fazem aos homossexuais, associando sua prática ao demônio, pecado, perversão, doença etc.

    Na prática, dizer que condena apenas a atitude, mas não a pessoa em si, não ajuda em nada quem recebe tais "críticas".

    Estranha-me que as pessoas aqui não questionem um texto que se fundamenta numa série de pressuposições que não encontram fundamento prático.

    ResponderExcluir