15 maio 2010

MALAFÁIA DEIXA ASSEMBLÉIA DE DEUS

Na madrugada de 15/05/2010 a tão propalada bombaça que iria ser despejada na igreja brasileira pelo pregador Silas Malafáia não passou de um traque. Aquelas bombinhas que somente fazem as pessoas se alegrarem por rápidos segundos. Saiu da CGADB se defendendo e mostrando que existe algo de podre no reino assembleiano. O motivo da saída foi uma nova visão a ele concedida por Deus e nesta visão não comportava mais ser membro da Convenção Geral da Assembléia de Deus.

Algumas considerações:

1 – Diante dos últimos acontecimentos em seu ministério, principalmente a introdução de forma massiva da espúria Teologia da Prosperidade, bem como a parceria firmada com profetas americanos falidos como Morris Cerullo e Micke Murdoch não era para se estranhar tal posição assumida pelo tele evangelista. O próprio Malafáia vinha dizendo que havia sido fortemente influenciado pelo Sr. Murdoch, um dos homens mais sábios do mundo, na opinião dele, e que sua vida e ministério haviam sofrido profundas transformações…

2 – Diante das oposições que vinha recebendo por parte de pastores da Assembléia de Deus que ocupam cargos importantes dentro da denominação, seria de se esperar que em algum momento um confronto fosse vivenciado. Não creio que esse confronto se daria em nível de presidencia e seu staff, mas entre os pensadores assembleianos, que bem fundamentados na Palavra, não estavam dispostos a se calar como o Pr. Carlos Roberto Silva, Pr. Altair Germano, Pr. Geremias do Couto, conforme publicações em seus blogs e outros.

3 – Diante da postura megalomaníaca assumida pelo tele evangelista, bem como das posturas desafiadoras demonstradas recentemente, seria o caminho mais natural a ser percorrido o desligamento da Convenção de Pastores da Assembléia de Deus. Quanto o Sr. Malafáia deu um salto estratosférico no pedido de ofertas de R$ 30,00 para R$ 900,00 e R$ 1.000,00 respectivamente, demonstrou que ele havia perdido todo senso de modéstia, equilíbrio e decência tão próprio das pessoas equilibradas emocionalmente e demonstrou que essa perda é tão própria dos megalomaníacos.

4 – Diante da aceitação tácita de heresias propaladas por Cerullo e Murdoch ficou evidente que havia rompido com as doutrinas de sua antiga denominação e que agora passaria a aceitar aquilo que quisesse. Quando o tele evangelista assentiu com as afirmações de Cerullo e Murdoch que salvação entraria nas famílias que ofertassem em seu ministério, nada mais restou da Sã Doutrina que pudesse servir de âncora para ele.

5 – Diante da postura assumida em não querer aceitar ou ouvir qualquer discordância sobre suas práticas e por haver passado ao ataque com alto poder de virulência contra tudo e todos que discordassem dele, chegando ao ponto de adjetivar seus discordantes de malandros, bandidos etc., assumiu publicamente que estava acima do bem e do mal e que era inquestionável. Tais posturas somente levam ao total ilhamento/isolamento.

Agora vai fazer uma carreira solo no meio gospel. Não haverá mais pares para admoestá-lo, não haverá mais parâmetro no qual se basear e não terá ouvidos para os discordantes. Chego a ter pena, pois, a história se repete e o final normalmente não é agradável. Um dos piores momentos na vida de um homem é quando ele é entregue a si mesmo. Olhemos para a história e os exemplos saltarão em nossos rostos. Vejamos os imperadores romanos, os lideres cristãos que se rebelaram contra a igreja, os ditadores mundiais etc...

Durante 33 anos, segundo o tele pregador, foi membro da CGBAD e agora que chega a ocupar um cargo de destaque e possui muita visibilidade, quando poderia influenciar eficazmente sua denominação, podendo chegar a fazer tendência e inverter a maré se que ela estava ruim assim, abandona o barco porque está cansado da politicagem no meio em que viveu. Muito conveniente tal postura.

Quando o tele-evangelista diz que recebeu uma visão/orientação de Deus e que não está disposto a abrir mão dela de forma alguma, está dizendo que esta visão/orientação é superior, mais importante e profunda do que a visão/orientação de toda uma denominação que conta em seus quadros com mais de 25.000 pastores. Então agora ele é superior ou mais espiritual do que mais de 25.000 pastores? Chego a acreditar que em breve se intitulará semi-alguma coisa... Fico a me perguntar por que não rompeu antes da morte de seu sogro? Não rompeu, pois, não era o momento estratégico para fazê-lo. Agora conta com mais de 70 igrejas ligadas à igreja onde se tornou presidente. Acredito que seu sogro nunca concordaria com tal postura.

Há bem pouco tempo o tele evangelista usava como bandeira para arrecadar fundos o não ter uma igreja para bancá-lo. Agora o que dizer? Já é presidente de uma grande igreja. Vai dizer que a igreja é pequena e não tem recursos para ir tão longe? É o mesmo argumento de todos os outros. A igreja de R. R. Soares possui mais de 1.500 congregações espalhadas pelo Brasil, mas mesmo assim continua abrindo a bocona pedinte de dinheiro. Waldomiro Santiago... É bom nem falar. E se for falar de mais alguns não haveria memória em nenhum provedor do mundo para comportar. Todos tratam a igreja do Senhor Jesus Cristo como um grande BUSINESS.

A Assembléia de Deus perdeu uma das melhores oportunidades de se reafirmar como denominação séria e importante quando deixou de confrontar o Pr. Silas. Se o tivesse feito há uns 02 meses estaria em uma ótima posição neste momento e não teria de ouvir que o sistema está contaminado. Agora qualquer posição assumida, o que não vejo como algo que vá acontecer, terá um impacto muito menor.

Acredito que a postura da liderança da Assembléia de Deus será passiva e conformista. Se vier a público será bastante política e inócua como tem sido. O medo da confrontação tem efeitos deletérios no curto, médio e longo prazo.

Com certeza a Assembléia de Deus se vê livre de um grande abacaxi. Malafáia se vê livre de um grande abacaxi e o povo de Deus se vê às voltas com um leão voraz buscando todas as formas de aumentar seu bolo.

Apesar de todas incoerências creio que o Pr. Malafáia tomou uma decisão coerente com suas posturas.

No final todos perdem.

Soli Deo Glória

Pr. Luiz Fernando R. de Souza

39 comentários:

  1. Caro colega Pr. Luiz Fernando,

    Parabéns pelo seu pertinente e coerente texto.
    A verdade é essa, a CGADB agiu polidamente e politicamente com o pr. Silas Malafaia, ele por sua vez foi coerente e a Igreja como um todo perdeu.

    Quero aqui apenas colaborar, que a CGADB tem hoje em seus quadro ativo, cerca de 25.000 ministros credenciados, e que quase 6.000, foram os que votaram no pr. Silas Malafaia na última eleição, em abril de 2009 na cidade de Vitória - ES.

    Amplexos,

    Seu conservo,

    Pr. Carlos Roberto

    ResponderExcluir
  2. Prezado colega Pr. Carlos,
    a grande verdade é que o Reino como um todo perdeu e muito. Agradeço sua informção e vou mudar no blog o número de pastores.
    Um forte abraço
    em Cristo

    ResponderExcluir
  3. Abençoado Pastor Luiz Fernando.
    O que poderia se esperar destes lideres entregues a si mesmo? Estão perdendo a visão do reino e se dizendo donos das outras coisas que nos seriam acrescentadas. A doutrina de Jezabel, disse o mestre, seduziriam "os meus servos". E exatamente isto que está acontecendo. Todos estes fatos, estas noticias bombasticas, são conseqüências desta "ganância desenfreada". Vamos ver os próximos acontecimentos, pois certamente irão aparecer outros com "novas visões".

    ResponderExcluir
  4. Prezado Pr. Sílvio,
    suas colocações são acertadas. O Reino pouco importa o que tem relevância para tais pessoas são seus projetos pessoais. A trajetória assumida não aponta para fins razoáveis e sim para catástrofe. Resta-nos orar para que Deus tenha misericórdia.
    Obrigado por sua visita.
    Um abraço
    Em Cristo

    ResponderExcluir
  5. Apesar dos pesares penso que para a CGADB a saída do Malafáia foi bom. Ele não estava dando demonstração de que iria mudar de opinião, tampouco se arrepender do que estava propagando.
    Claro que sempre é triste estas situações e ainda não dá para ver todas as conseqüências, mas ainda acho que foi melhor, o risco de toda a AD ser profundamente contaminada pelas teologias do Sr. Malafáia era muito grande.

    ResponderExcluir
  6. Prezado colega Pr. Roberto,
    como disse na postagem tanto Malafáia quanto a Assembléia se viram livres de um grande abacaxi.
    Mas creio que foi melhor para a Assembléia se ver livre daquilo que certamente deturparia sua imagem.
    Agradeço sua visita.
    Um abraço
    Em Cristo

    ResponderExcluir
  7. Caríssimo Pr. Luiz
    A crítica é uma arte ou faculdade de julgar maniestações de caráter intelectual, avaliar, julgar, e em caso de doutrina desfavorável até mesmo censurar. nisso em mente, pensamos com a doutrina bíblica, que nos insentiva a crítica daquilo que ouvimos, e nos é dito tratar-se de "revelação de Deus" Deus já revelou o que tinha para revelar ao Homem, e a Bíblia é a sua revelação Escrita. a isso, nada deve ser acrescentado como sendo revelação de Deus, para que não se coloque estas coisas ditas como "Deus me revelou" ao lado da Escritura, mesmo que digam estes "homens ministries", uma árvore se conhece pelo fruto, qual será o fruto dado por estes tele-qualquer coisa? uma arrogância que faria qualquer cézar romano parecer inocente, com heresias que deixariam qualquer "Cerinto" corado de vergonha.
    realmente a AD perdeu uma oportunidade de ouro em confrontar abertamente uma heresia que foi introduzida no próprio arraial, como demorou, agora, ficou de vilã.
    Mas é assim, quando se quer fazer qualquer besteira, culpa-se o outro, Adão já fez isso com Eva. se o povo evangélico aceitar mais esta esparrela, não terá caráter para refutar nem mesmo os mormons que também afirmam ser sua religião dada por "revelação".
    belo texto Pr. Luiz, siga nos trazendo seus comentários sempre muito pertinentes
    abs

    ResponderExcluir
  8. Parabéns pelo blog amado Pr.passarei a acompanha-lo!
    Paz!

    ResponderExcluir
  9. Prezado colega Rev. Geremias,
    suas observações são pertinentes e bíblicas. Respaldar decisões encima de revelações é algo incabível. Creio que ele usou uma nova visão ou orientação de Deus como desculpa para se desligar.
    Agradeço sua visita, pois, ela enriquece o blog.
    Deus o abençoe ricamente.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  10. Prezado colega Ev. Jailson,
    obrigado por sua visita. O ato de seguir o blog somente o enriquece.
    Deus continue abençoando sua vida, família e ministério.
    Um abraço
    Em Cristo

    ResponderExcluir
  11. Prezado Pr. Luiz Fernando,
    Será que ainda seremos surpreendidos por mais alguma loucura em nosso meio? Certamente que sim!
    Como foi dito: No final todos perdem!
    Gostaria apenas de acrescentar algo, quando o irmão diz que: "Não haverá mais pares para admoestá-lo, não haverá mais parâmetro no qual se basear e não terá ouvidos para os discordantes", entendo que faz referência aos líderes da CGADB, pelos quais Malafaia não demonstra admiração, submissão ou respeito. Minha sugestão é que levantemos nossas vozes e, sejamos nós o parâmetro, a voz discordante a ser ouvida e o confronto na vida, não somente deste mas, de todo aquele que se levantar contra a sã doutrina, contra o Reino de Deus. Assim como tem sido a vida do irmão.
    Não podemos nos calar diante de tudo isso, especialmente, façamos disso motivo de nossas incessantes intercessões ao Pai Celestial.
    Que nossas mensagens sejam bíblicas, simples e verdadeiras!
    Sugiro uma boa leitura ao irmão. Trata-se do mais recente livro de Loren Cunningham: "O Livro que transforma Nações" Editora JOCUM. Certamente, esta leitura irá incendiar seu coração e renovar sua esperança.
    Deus o abençoe.
    Em Cristo,
    Pr. Francinaldo Freire
    JOCUM Pitangui/MG

    ResponderExcluir
  12. Pena é o espaço aqui desperdiçado, que bem poderia ser focado no Evangelho genuíno do Senhor Jesus Cristo... "Aquele que comigo não ajunta, espalha..." Mt 12:30b

    ResponderExcluir
  13. Pr. Luis Fernando.

    Não tenho dúvidas de que foi o melhor para a AD a saída desse cidadão.

    Em contra partida, acho que a AD perdeu uma grande oportunidade de exercitar uma das marcas da Igreja bíblica e apostólica: disciplina. Assim como Paulo resistiu Pedro face a face, Malafaia precisava ser resistido por aqueles que tinham autoridade sobre ele.

    Uma pena que a oportunidade foi perdida.

    ResponderExcluir
  14. Luiz, meu amado;

    Em 2005 escrevi o seguinte:

    "O Movimento Evangélico no seu fim. Lá e aqui, no Brasil e nos Estados Unidos, constato o fim da “Era Evangélica.” A Era Protestante acabou-se antes da virada do século e no início do novo é a vez do Movimento Evangélico...

    Esta discussão burguesa, intelectual, farisaica que se desenvolve no meio evangélico (referia-me a discussão sobre migrantes brasileiros nos Estados Unidos) que não traz nenhuma resposta prática na vida de milhares de evangélicos que vivem lá e aqui é a declaração de óbito do movimento evangélico. Há crise: é de caráter! Onde se prega o que não vive a morte impera livre. A credibilidade é escassa. Todo movimento que perde a credibilidade se extingue.

    O movimento evangélico não consegue se auto definir mais, distanciou-se de suas raízes históricas. A árvore cresceu, é frondosa, porém velha e só dá frutos raquíticos. Todo o movimento onde seus interlocutores não conseguem definí-lo já morreu. Falta enterrar. Foi assim com o comunismo em muitos países.

    E a Igreja segue triunfante, pois a Igreja cujas portas o inferno não pode prevalescer não é “a igreja evangélica.” Definitivamente.

    Observem só! É preciso inventar novos métodos, fazer marabalismos enormes – teológicos, de “praxi”, seguir uma nova corrente sempre, atrair pelo “marketing”, modernizar a mensagem, suportar o “movimento gospel – um mercado de bilhões de reais e a pobreza de nossos irmãos continua a mesma. Um movimento que precisa de novidades sempre é um defunto coberto com flores frescas.

    (...)
    Digo que o movimento evangélico faleceu, pois é só discurso, e boa parte das vezes é discurso revestido de uma falsa espiritualidade que se transcende aos céus porque não consegue responder as questões da vida aqui na terra.

    É discurso espiritualista hipócrita e soberbo pois não traz respostas para a vida das pessoas, ao contrário, aumenta a culpa e a miséria delas. E aí me lembro de Jesus e fico acalentado: “Misericórdia quero e não sacrifício...”

    O Evangelho continua o mesmo Evangelho! Mas a pregação do evangelho de hoje é somente ética, moralista e muito capitalista – aqui na América rica e lá na América adormecida. (...)

    E completo:

    É assim que este discurso acefálico (como o discurso do Sr. Malafaia que você faz referência que não respeita nem as próprias memórias) nem me irrita mais.

    Gente! Gente! Igreja de Deus é outra coisa!

    ResponderExcluir
  15. Gente, vamos preocupar em destruir o reino das trevas, deixa estas coisas para que Deus faça o julgamento, vamos ouvir o conselhor de Gamaliel, ou será que vocês já esqueceram!? Espero que não. Que vos abençoe. Que Deus salve nosso país, que o Senhor tenha misericórdia de todos nós, que enfrenta este sistema anti-biblíco, pois é isto que o diabo quer, que nós sejamos desunidos.
    Adoro o texto de Gn 11, pois lá vejo o homem, que apesar de estarem longe de Deus, receberam o testemunho de Deus, que eram unidos e falavam a mesma lingua, o que não é o nosso caso.

    Mas que o Senhor nos ajude a seguir a unidade, e a vontade de Deus, pois com ela e unidos, nada será difícil de alcançarmos, até mesmo a salvação de todo o nosso Brasil.

    Paz e Graça!

    Julio / BH.MG

    ResponderExcluir
  16. Lamento por ler textos assim. O meio evangélico há muito tornou-se um "reino dividido". O que menos importa é o que Cristo viveu e ensinou.
    Cristo gastaria seu tempo escrevendo sobre algum discípulo que o contrariou? Divulgando notícias que levassem os outros a se posicionarem contra o seu irmão?
    Se Silas Malafaia está errado, é por ser HUMANO. Então, oremos por ele!

    A verdade é que as organizações religiosas tem se convertido em grandes instituições políticas e econômicas.

    Já não tenho alegria em dizer que sou evangélica... Clamo ao Pai para que reavive em nós a chama do primeiro amor!

    Deus nos ajude a encontrarmos o caminho de retorno à Ele e aos ensinamentos de Jesus.

    ResponderExcluir
  17. Infelizmente o pastor Silas Malafaia tornou-se um dos estelionatáiros da fé que ele tanto refutou.

    ResponderExcluir
  18. Prezado colega Pr. Francinaldo,
    suas colocações são oportunas. Ser voz distoante neste momento da vida igreja nem sempre agrada. Muitos preferem se vestir do complexo de avestruz e não querer saber de nada, achando que assim será melhor. Vamos tentar manter o equilíbrio nestes momentos e orarmos ao Pai para que continue sua obra na igreja.
    Vou ler o livro sim. Obrigado pela indicação.
    Um abraço
    Em Cristo

    ResponderExcluir
  19. Prezado colega Breno,
    as vezes o silêncio causa um mal maior do que uma séria confrontação, haja vista, o absenteismo pré IIa Guerra Mundial, jogou o mundo no caos.
    Tem oportunidade que não volta mais e somente em seu tempo os resultados podem ser saudáveis.
    Obrigado por sua visita e bons estudos ai nos EUA.
    Um abraço
    Em Cristo

    ResponderExcluir
  20. Prezado colega Pr. Salum,
    o que mais poderia acrescentar ao seu comentário? Você foi no cerne da questão e o fez com muita propriedade.
    Ainda existem 7.000 que não dobraram seus joelhos à Baal.
    Um forte abraço
    Em Cristo

    ResponderExcluir
  21. Prezada irmã Quésia,
    agradeço sua visita e seus comentários embora não possa concordar com os mesmos em sua totalidade. Uma breve leitura do Novo Testamento e encontraremos Paulo apontando erros doutrinários, comportamentais e citando nomes. O fez sem o menor constrangimento. Entendi suas colocações, mas não precisamos em nome de uma espiritualidade superficial achar que tudo pode ser jogado para debaixo do tapete e esquecido. O que foi postado no blog reflete um debate de idéias e não de pessoas. Parece-me que pelo seu modo de pensar as pessoas podem fazer o que quiserem, dizer o que acham e ninguém pode criticar ou apontar erros. A vida não é assim. Infelizmente não aceito e não coaduno com os princípios doutrinários do sr. Malafáia e não apoio o tratamento que vem dando à obra de Deus transformando-a em um grande negócio. Somente isso. Oro sim e o faço com lágrimas, pois, quando um grande se desvia outros podem seguí-lo, pois, os grandes têm um enorme poder de gerar tendências. O interessante é que quando o Sr. Malafáia pregava a Palavra sem os seus malabarismos e seduções da Teologia da Prosperidade, ninguém o criticava ou ficava incomodado. Mas depois que se aventurou a ter como tutores homens como Cerullo e Murdoch, muitos se levantaram para apontar os desvios.
    Mas em tudo há quem goste de semear sementes de R$900,00 ou de R$ 1.000,00 e achar que receberão os falsos milagres liberados pelos vendilhões do templo gospel. Há gosto para tudo e isso precisamos respeitar.
    Deus a abençoe ricamente
    Em Cristo

    ResponderExcluir
  22. Pr.Luiz até entendo sua inconformidade com a decisão do Pr. Silas Malafaia de se desligar da CGADB, mas lhe confesso que não compreendo porque o Senhor e tantos outros pastores "assembleianos" estão despejando tanta cólera e intolerância em cima dEle, já que vocês reconheceram por tanto tempo a seriedade do Ministério dEle, dai só porque agora Ele resolveu tomar coragem, deixar de ser hipócrita, de fingir concordar com uma doutrina legalista, vocês resolvem descer o pau nEle, misericórdia Jesus, a que ponto a Igreja de Cristo está chegando. Ao se comportarem dessa maneira vocês afirmam a vossa maneira de pensar em relação as demais igrejas cristãs. Isso tudo é lamentável...

    ResponderExcluir
  23. Prezado Nestor,
    parece-me que o irmão não está inteirado do assunto. Seria bom ler novamente o conteúdo da postagem e avaliar cada ítem somente assim poderá dar uma opinião acurada.Vale lembrar que não sou assembleiano, mas Batista. Também não se fala de igreja mas de comportamentos e conteúdos doutrinários. Também não existe a postura de meter o pau, mas de apontar aquilo que não se enquadra na Palavra de Deus. Somente isso.
    Agradeço sua visita e seus comentários. Nas diferenças encontraremos o equilíbrio.
    Em Cristo

    ResponderExcluir
  24. Prezado irmão Antônio,
    acredito que os pregadores da Teologia da Prosperidade até tenham, em alguns casos, boas intenções, mas de boas intenções o inferno está cheio. O que nos resta é orar para que haja arrependimento e correção.
    Um abraço
    Em Cristo

    ResponderExcluir
  25. Prezado Júlio,
    e quando as trevas entram na igreja o que fazer? O que fazer com doutrinas espúrias e danosas para a vida da igreja? Somente deixar por conta de Deus? Não é esta a postura que encontro no Novo Testamento, nem em Cristo, nem nos apóstolos. Calar diante dos erros é o mesmo que abdicar da vida.
    Obrigado por sua visita e comentários.
    Em Cristo

    ResponderExcluir
  26. Pr. Luiz Fernando, sou da Igraja Batista da Lagoinha desde julho de 2000. O que mais prezo no meu Pastor é que não o vejo falando, muito menos escrevendo, mal de ninguém. Ele está sempre tão ocupado que não tem tempo para isto.
    Pense nisso Pr. Luiz Fernando! É para o seu próprio bem. Você se sentirá bem melhor tendo outras coisas para fazer. E as obras da igreja, a quantas anda? Estão ajudando a muitos semelhantes? Um abraço e que Deus o abençõe.
    Júlio César - IBL - BH.

    ResponderExcluir
  27. Prezado Júlio César,
    tudo anda excelentemente bem em nossa igreja. Cresce, faz missões mundiais e temos obras sociais que poucos têem. Então agradeço sua preocupação. Quanto seu pastor não falar mal de ninguém ele esta correto, pois, também aqui neste espaço a discussão de idéias é o que é feito. Talvez o que o irmão quis dizer é que seu pastor não emite opiniões sobre muitas coisas. Pode ser que ele esteja desatualizado, ou não se vê apto para tais coisas ou mesmo assumiu um papel Laissez-faire. Normalmente quando se observa algum ensino equivocado na igreja o primeiro a denunciar o erro é o pastor para que suas ovelhas possam evitar tais erros. Acho estranho seu pastor, e não sei qual é, ficar calado diante de tantos descalabros apresentados no meio evangélico. Talvez já tenha absorvido também tais erros e esteja alimentando suas ovelhas com eles. Mas talvez a sua postura Júlio seja a de ver os erros e jogar para debaixo do tapete. É mais cômodo mas também mais prejudicial. Se você prefere conviver com o erro e se calar é sua opção e eu respeito, mas prefiro denunciar e preservar minha identidade do que simplesmente jogar no lixo a ética, moral e o poder de influenciar.
    Agradeço sua visita e seus comentários. São importantes para o crescimento do blog.
    Deus o abençoe
    Em Cristo

    ResponderExcluir
  28. Pr. Luiz Fernando,

    aos que dizem que Jesus não tecia críticas a ninguém, aconselho: leia a Bíblia! Essa conversa é típica das pessoas que têm medo de verem expostos os seus erros doutrinários, que não têm compromisso com a verdade.

    Leiam Mt 23.1-12! E tantas outras passagens onde somos exortados à separação quando o que se está a pregar não é o Evangelho de Cristo, mas o antievangelho. Ao negar o Evangelho, está-se a negar Cristo. Ao aceitar o antievangelho, está-se a negar Cristo. Portanto, cuidado para que não sejais presa fácil do inimigo. Ou não foi o Senhor que nos alertou em sua Palavra? "Mas qualquer que me negar diante dos homens, eu o negarei também diante de meu Pai, que está nos céus. Não cuideis que vim trazer a paz à terra; não vim trazer paz, mas espada; Porque eu vim pôr em dissensão o homem contra seu pai, e a filha contra sua mãe, e a nora contra sua sogra... Quem ama o pai ou a mãe mais do que a mim não é digno de mim; e quem ama o filho ou a filha mais do que a mim não é digno de mim. E quem não toma a sua cruz, e não segue após mim, não é digno de mim" [Mt 10.33-38].

    Fica a pergunta: "Porventura também tornarás tu vão o meu juízo, ou tu me condenarás, para te justificares?" [Jó 40.8].

    Cristo o(s) abençoe(m)!

    ResponderExcluir
  29. MAIS UMA VEZ BRILHANTE E EQUILIBRADO, PR LUIZ LERNANDO! OREMOS POR MALAFAIA, POR MISERICÓRDIA A ELE E PARA QUE A OBRA DE DEUS NÃO SOFRA COM TANTOS ESCÂNDALOS. PR. SAMUEL FALCONE.

    ResponderExcluir
  30. Pr. Luiz
    Você pauta toda a jornada do pregador por apenas alguns atos isolados como a exorbitante soma pedida em seu programa em algumas oportunidades? E o que foi feito antes, a história do antes?
    É por acaso a cúpula da CGADB tão defensável assim? Um povo que vive oferecendo seus púlpitos e a sua manada, digo, rebanho, às urnas de políticos nunca comprometidos com Deus, mas com toda sorte de deuses capazes de elegê-los como vimos no passado e, com certeza, se repetirá nos meses por vir.
    Percebi, no artigo, um sentimento muito grande de rancor e, quiçá, desforra por algo que o autor considera praticamente uma queda, talvez, semelhante à de Lúcifer. E me pareceu que o articulista sentia prazer nisso.
    Silas Malafaia está errado? NÃO SEI, mas sei que ele tem história no Reino e na igreja brasileira, merece mais respeito e consideração por parte de quem quer que seja.

    ResponderExcluir
  31. Prezado irmão Jorge,
    parece-me que um percentual de cristãos assumiu que é anti-bíblico qualquer tipo de discordância e mesmo crítica. Parece-me que quem discorda é menos cristão do aqueles que concordam com tudo e todos. Mas é assim mesmo. Como bem disse o irmão é preciso ler e estudar mais a Palavra para enxergá-la como um todo.
    Um abraço
    Em Cristo

    ResponderExcluir
  32. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  33. Prezado irmão Moisés,
    agradeço sua visita ao blog e seus comentários. As discordâncias são benéficas em várias esferas da vida. Discordo de alguns posicionamentos seus. Em 1o lugar o blog tem como finalidade discutir idéias e não pessoas. Portanto, a pessoa do Pr. Silas não está em questão. O que está em foco são seus desvios doutrinários absurdos divulgados em rede nacional. Somente isso.
    2o - Na história, como um todo, não existem fatos isolados, mas um nexo que tudo prende, chamado nexo histórico. Assim sendo, o que estamos vendo no ministério do Pr. Silas não é fruto do acaso ou fatos isolados, mas uma concatenação de posturas mentais e práticas que culminam nas aberrações presentes.
    3o - Não defendi a CGBAD em momento algum. Não pastor assembleiano. Não sei de onde e o dileto irmão tirou está idéia. Antes me referi aos pastores da CGBAD e a Instituição Assembléia de Deus, que a meu ver é maior do que um ministério isolado. O que é feito dentro da CGBAD deve ser resolvido e confrontado pelos seus pares.
    4o. - Também não consegui entender de onde o irmão tirou sentimento de rancor e desforra. Não pertenço ao quadro daqueles que são íntimos do Pr. Silas e nunca ele fez nada contra a minha pessoa e eu contra a dele, portanto, tentar enxergar sentimentos em escritos é algo muito precário e descabido, não concorda. Entendo que é difícil conseguir extrair de um texto seu real significado ou a perspectiva do autor, mas com esforço creio que conseguimos avançar. Vejo sua afirmativa como um destes esforços em alcançar a perspectiva e significado do texto. Mas mesmo assim deve-se deixar de fora toda forma de juízo de valor, para que não caiamos em afirmativas sem critérios.
    5o - O final de seu comentário chega às raias do absurdo. Não comparei os comportamentos e ensinos do Pr. Silas com uma queda e muito menos com a queda de Lúcifer . Suas afirmações chegam ao limite da puerilidade.
    6o. Não consegui encontrar no texto de minha autoria qualquer demonstração de falta de respeito e consideração, antes pelo contrário. Talvez quando o irmão tiver melhor entendimento sobre literatura tudo fique mais claro em sua mente.
    7o. - Discordar e criticar são argumentos apresentados pelo próprio Pr. Silas em suas pregações. Sendo assim, somente usei dos artifícios propostos por ele.
    8o. - Para mim não existem ícones no meio evangélico, por isso, não existem pessoas isentas de erros e desvios, mesmo que estas tenham projeção midiática.
    Concluo que o irmão comete equívoco em afirmar o que afirmou e lembro a máxima do grande teólogo John Mackay: "Ação sem reflexão é paralisia da ração".
    Deus o abençoe ricamente.
    Em Cristo

    ResponderExcluir
  34. marcelo milhomem23 de maio de 2010 14:21

    e sempre a mesma coisa, ''tive uma visão de DEUS'' e aprontam mas uma vez com o REINO,como disse o ap.joão, ''sairão de nos mas não eram de nos, poque se fosse de NOS ficariam conosco..'' GRAÇA E PAZ DA PARTE DO SENHOR JESUS. pr.marcelo milhomem

    ResponderExcluir
  35. Toda a resposta está aqui
    ESLAVEC
    Qnd eu ví falar sobre isso fiquei pensando ,com qual propósito estão pagando tudo? AGORA EU SEI.
    COM TRISTEZA ,MAIS A RESPOSTA CHEGOU.

    ResponderExcluir
  36. muito triste ver isso acontecer. tenha Deus misericordia de nossas vidas!

    ResponderExcluir
  37. Temos que denunciar sim ,mas a respeito de o Reino perder... o Reino não perde quem perde são os que se desviam do caminho e se corrompem pela ganância desse mundo, mas sejamos sóbrios senão nos preocuparemos de mais com isso, e nossa preocupação tem que ser com a Sã Doutrina.

    ResponderExcluir
  38. Pastor José Euliotério18 de outubro de 2011 09:42

    Minha opinião e que deixemos de criticar os outros e simplesmente olhar para JESUS ele nunca mudou nem nunca mudará.Vamos evangelizar o povo impio. Gastar nossa energia em algo positivo para o Reino Celestial.Vamos evangelizar ,o mundo está sedento da palavra de DEUS. Jesus está voltando.

    ResponderExcluir
  39. Deixa eu só entender uma coisa. Quando o Caio Fábio fala o que o senhor registrou aqui ele é um falso profeta, mas quando o senhor escreve é um santo homem de Deus. Gostaria de entender mais sobre o que de fato você pensa. Não o estou atacando por favor, e também não sou nenhum fã -nático- por Caio Fábio, apenas percebi algumas incoerências. Mas desejo-lhe sucesso em tudo, e que Deus abençoe seu ministério.

    ResponderExcluir