06 agosto 2011

O TEMOR DO SENHOR, ONDE ESTÁ?

Pela misericórdia e pela verdade se purifica a iniqüidade, e pelo temor do Senhor os homens se desviam do mal.” Prov. 16:6
Nunca em toda história da igreja temos visto os cristãos praticarem o cristianismo sem o Temor do Senhor como nesses dias. Presenciamos pecados entrando no seio das igrejas e estas se acomodam a um padrão mundano de comportamento. O pecado tornou-se palavra bem vinda entre os cristãos. Fico pasmo quando ouço pessoas buscando serem abençoadas e suas vidas entregues a toda sorte de erros. Deus não mudou em Seu ser, pois, nEle não há sombra de variação. De tanto ouvirmos, vermos opiniões, filmes, novelas sobre assuntos abomináveis, concluímos que tudo deve ser como é. Esquecemo-nos que para os filhos de Deus o chamado é para santidade. Para Deus não vale 98% de santidade. Daí termos uma igreja fraca, mundana e sem o vigor do Espírito Santo. Agora virou moda nossas músicas expressarem os desejos carnais e sensuais da natureza humana, onde nossos pseudos adoradores convidam seus ouvintes a tirarem o pé do chão como se isso fosse algo fantástico. Estes pseudos adoradores não expressam mais seus desejos de adorarem ao Senhor na beleza da Sua santidade com hinos de louvor, mas se intitulam artista que estão trabalhando a faixa tal de seu último CD.
Temor do Senhor é levar Deus a sério. É fazer Sua obra do jeito que Ele ordenou e não copiarmos o mundo para parecermos mais aceitáveis. Nunca entendi direito o texto do Antigo Testamento que diz que Usá ao tocar a arca do concerto morreu quando os bois tropeçaram. Sempre achei muito duro da parte de Deus punir esse jovem por uma atitude, no mínimo, razoável. Mas ao estudar este texto percebi a gravidade do pecado de Usá. Davi havia copiado a maneira dos filisteus de transportar a arca. Eles fizeram uma carroça novinha e mandaram a arca para o deserto. Davi fez a mesma coisa. Mandou fazer uma carroça novinha e encaminhou a arca para Baal-Judá. Davi copiou o padrão do mundo. Davi havia esquecido que a arca não era para ser levada por carroça, mas pelos sacerdotes. Ninguém poderia tocar a arca em hipótese alguma. Quando Davi soube como a arca deveria ser transportada, ela o foi sem maiores problemas. O temor do Senhor deve prevalecer em nossos corações e mentes. Precisamos urgentemente perceber que o Senhor é santo em sua essência. Que os tratos dEle conosco são santos. E que quando não o levamos a sério abrimos a porta para Ele nos corrigir à Sua maneira.


Soli Deo Gloria

Pr. Luiz Fernando Ramos de Souza

4 comentários:

  1. EXCELENTE TEXTO.NOSSA POSIÇÃO NÃO É TIRAR OS PÉS DO CHÃO, MAS NOS DOBRAR (MISERÁVEIS QUE SOMOS) AOS PÉS DO TODO PODEROSO.
    'LEVAR DEUS A SÉRIO'. EXATAMENTE ISSO.ACHO QUE O MAIOR DESAFIO NÃO É SER UM CONHECEDOR DA BÍBLIA TODA, MAS VIVÊ-LA DIA A DIA.É PERMITIR QUE O EVANGELHO PERCORRA NAS ENTRANHAS DO MEU SER COM PROFUNDO RESPEITO, PAIXÃO E ARREPENDIMENTO.
    EM CRISTO
    ANDRÉIA

    ResponderExcluir
  2. Eu afirmo tudo isto hà muitos anos, levo a serio a Palavra, nunca preguei heresias, scredito ser intergro e temente a DEus, deixei a minha nação, a minha famiia, o meu trabalho e o meu conforto para fazer aqui no Brasil o seminario teologico. Formei no STEB, passei dificuldade que voce nem imagina. Agora de repente prosperei no trabalho secular. Não estou feliz, deixei tudo para servir o Senhor na obra, paa o meu chemado ministerial..parece que sou "oferecido" e não chamado! E vejo igrejas sem visão biblica, as igrejas e os lideres que eu sempre critiquei, prosperar. Eles tem um ministerio, eu não. Estou desepcionado: as vezes me pergunto se DEus se importa com esta bagunça que está sendo feita com a sua obra. Comprei muitas brigas com pastores lobos, mas parece que Deus "não está nem aí"... de me honrar nem se fala. È esta talvez a Igreja que Ele quer...

    ResponderExcluir
  3. Olá pastor Luiz,

    venho acompanhando seu blog onde tenho com muita alegria encontrado textos proféticos para o nosso tempo. Deus o abençoe nesse caminho apologético como voz profética para nós, cristãos hodiernos. Aproveito para convidá-lo a conhecer meu blog: flaviagcosta.wordpress.com
    Um abraço terno,

    Flávia Costa

    ResponderExcluir