09 março 2011

DEUS É SOBERANO



"O Senhor é a minha rocha, a minha fortaleza, e o meu libertador; o meu Deus, o meu rochedo em quem me refugio; o meu escudo, a força da minha salvação, e o meu alto refúgio." Sl. 18:2

Deus é soberano. Isto implica que tudo está debaixo do seu governo. Ele a tudo controla e dirige de acordo com seus propósitos. Sua soberania se estende desde as coisas criadas até os homens e seres espirituais.
Disse o Senhor Jesus Cristo que nenhuma folha de árvore cai sem que o Pai não sabia. Isto implica que todos os eventos de nossa história de vida estão em suas mãos. Nada nos pode acontecer sem que Ele o tenha permitido. Tudo está debaixo de Seu controle soberano. Ate o mal está limitado pelo poder soberano de Deus.
Tenho ouvido muitas pregações que dão ao Diabo um poder quase divino. Nestas pregações o Diabo faz e acontece, como se ele pudesse agir independentemente. Ele leva e tira as coisas dos cristãos e arrasa com suas vidas. O maior exemplo cantado desta heresia está na música Restitui. Como se o diabo tivesse o poder de tirar algo que pertence ao cristão independentemente da soberania de Deus. O Diabo somente pode agir dentro das limitações que Deus impõe. Precisamos lembrar que Deus é exclusivo e único. Fora Dele não há outro. Essa foi a máxima do shemá judaico: "Ouve, Israel, o SENHOR nosso Deus é o único SENHOR". Det. 6:4. Não somos maniqueista. Não existe um Deus do bem e outro do mal. Existe somente um Deus e este é o Pai de nosso Senhor Jesus Cristo. Fora dEle operam suas criaturas quer sejam homens ou anjos e todos operam debaixo da Sua vontade.
Muito se tem dito, nestes dias, sobre a possibilidade de uma escalada mundial do terrorismo. Cada vez que vemos um telejornal ficamos com a sensação de impotência e abate sobre nós um medo inexplicável. Parece que tudo só depende e esta circunscrito ao poder das grandes nações e dos terroristas. Paira sobre a humanidade a Espada de Dâmocles em forma de uma guerra química e bacteriológica ou ações terroristas globais, onde nenhum ser humano estaria a salvo.
Esquecemo-nos que o Senhor está assentado sobre um alto e sublime trono. Esquecemo-nos que todo o curso da história esteve, está e estará nas mãos de Deus. Que não sobe ao governo de qualquer país e também não sai dele um governante sem que Deus o tenha permitido. Afirmo, e essa é minha convicção, que o mundo árabe com todo seu radicalismo está sujeito à vontade soberana de Deus. Que o Senhor nosso Deus conduz o curso da história para seus propósitos superiores. Que nenhum movimento terrorista poderá anular o Senhorio de Cristo sobre tudo e todos.
Diz-nos a Palavra de Deus em Is. 12:2 "Eis que Deus é a minha salvação; eu confiarei e não temerei porque o Senhor, sim o Senhor é a minha força e o meu cântico; e se tornou a minha salvação".
Se o cabelos da minha cabeça estão contados, eu preciso me alegrar e exultar no Deus da minha salvação e não abrigar medo em meu coração.
Se tudo está nas mãos de Deus e "todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus", até a morte tem seu fim proveitoso dentro dos propósitos santos e justos de Deus.
Portanto, continuemos a trabalhar, cuidar de nossas famílias, estudar e formar, buscar novas oportunidades de empregos, enfim, continuemos a viver diante de Deus, levando tudo a Ele em oração.
"Espera tu pelo Senhor; anima-te e fortalece o teu coração; espera, pois, pelo Senhor". Sl. 27:14

Soli Deo Gloria

Pr. Luiz Fernando R. de Souza

37 comentários:

  1. Prezado Guto,
    deixei de publicar seu comentário por ter sido agressivo. Quando quiser participar para debater idéias e sobrepor fatos fique à vontade.
    Pr. Luiz Fernando

    ResponderExcluir
  2. É a mais pura realidade pastor...
    Muitos ainda não creram pelanmente nesse Deus que tem todo o controle em suas mãos e ainda acham que tudo é obra do acaso...
    Que o Senhor Deus tenha misericórdia de nossas vidas e que Seu Santo Espírito nos ensine a confiar somente Nele, que é a Rocha da nossa salvação...
    Fiquem todos na paz De cristo, que excede todo entendimento...
    Greicy

    ResponderExcluir
  3. Que segurança e alegria chega ao meu coração lendo estas palavras.Não estamos sós, dispostos a sorte, mas sob o governo soberano de Deus.
    Em Cristo
    Andréia

    ResponderExcluir
  4. Pr. Luiz Fernando, louvado seja Deus por esse texto que o senhor escreveu. Sinto-me consolada e confortada por saber e crer que o Senhor Deus é Soberano sobre toda a terra e principalmente sobre a minha vida. Muitas vezes é difícil entender as circunstâncias adversas que me acometem, mas no caminho em que sigo, que é Jesus, Ele coloca pessoas como o senhor para falar ao meu coração aflito e preocupado. Deus lhe abençoe muitíssimo!
    Aleida - Manaus - Amazonas

    ResponderExcluir
  5. Ola irmã Greicy,
    é verdade, precisamos crer e viver está maravilhosa experiência de estarmos nas mãos do Pai.
    Um abraço
    Em Cristo
    Pr. Luiz Fernando

    ResponderExcluir
  6. Irmã Andréia,
    realmente enche de alegria nossa alma a certeza que nosso Deus é soberano e que nossa vida está guardada em suas mãos.
    Vamos viver isso com intensidade.
    Um abraço
    em Cristo
    Pr. Luiz Fernando

    ResponderExcluir
  7. Prezada irmã Aleida,
    Deus tanto é soberano e cuida de nós que me fez postar este texto exatamente nestes dias. Viva em paz na alegria de saber que Deus está conduzindo tudo dentro de seus propósitos soberanos. Você é cuidada pelo Senhor do universo, só isso.
    Um abraço
    Em Cristo
    Pr. Luiz Fernando

    ResponderExcluir
  8. Acredito que tudo sao PROBABILIDADES. Me recuso a pensar que deus decide dar a um casal um filho com paralisia cerebral (que presente). Ou que ele quisese presentear um bebe com cegueira (outro presentaco). Sera` que deus nao sabe o sofrimento que isso causa para uma familia, para o individuo "sorteado"?

    Nao vejo nexo: deus coloca uma doenca incapacitante em alguem, so para ver a familia orar por DECADAS, ate que os filhos morram sem receberem a cura. Vi isso algumas vezes em minha caminhada enquanto evangelico.
    Por isso uso a expressao que o deus da doutrina judaico-crista criou seus PETS. Somos PETS de deus, com quem ele brinca, alimenta, da` doencas, e mata. A maioria, ele manda para o inferno. A minoria, os que concordam com ele, ele os leva para viver em mansoes e ruas de ouro no ceu.

    Minha familia diz que eu nao entendo mais essas coisas espirituais porque eu nao tenho o espirito santo em mim e minha vida eh comandada pelo diabo.

    Lamento por eles acharem isso.

    ResponderExcluir
  9. Prezado Rodrigo,
    acredito que seu equívo em relação A Deus seja de natureza filosófica. Você se esquece que mesmo com as orações possíveis algumas coisas ainda sairão erradas, pois, este mundo está manchado pelo pecado. Sua visão de Deus agindo como brincando com a raça humana é muito antiquada, faz lembrar os deuses gregos que a qualquer momento poderiam mandar catastrofes, pestes e males sem fim sobre os homens somente por picardia. Mas antes pelo contrário, vejo o Deus cristão sendo misericordioso e benigno com o homem a ponto de se humilhar e se integrar com a desgraça humana ao se encarnar e morrer na cruz no lugar deste homem. Sua visão de Deus é distorcida, pois, faz dEle o criador do mal e isso é uma impossibilidade filosófica, pois, o supremo bem nunca pode gerar o mal, e para seu governo Deus possui limitações sim. Ele não poder gerar nem conhecer o mal na prática, pois, em sua essência não comportaria tal coisa. Ele não poderia criar um círculo quadrado, nem uma água seca ou uma pedra tão pesada que não pudesse levantar, pois, isso seriam contradições em seu próprio ser. Portanto, suas afirmações carecem de base filosófica, bíblica e experiencial. Também não acredito que sua vida esteja comandada pelo diabo, mas que ainda você na fase das contradições e não se encontrou ainda.
    Agradeço sua visita e comentários.
    Um abraço de seu amigo
    Pr. Luiz Fernando

    ResponderExcluir
  10. Por isso que eu "PEDI PRA SAIR", pastor.

    Nao deu pra mim.

    E agradeco pela oportunidade democratica de permitir meus comentarios discordantes.

    Abracao!

    ResponderExcluir
  11. Rodrigo,
    Deus não desistiu de você e nem o fará.
    Conte comigo naquilo que precisar.
    Um forte abraço
    Pr. Luiz Fernando

    ResponderExcluir
  12. Caro Pastor,

    Não fui agressivo. Critiquei uma ideia e só. Não direcionei ataques a você ou a algum visitante, mas sim a uma concepção que é, ao meu ver, nada mais que uma ingênua tentativa de impor lógica onde não há.

    Peço desculpas se pareci ríspido.

    Vou recompor meu raciocínio de maneira mais clara:

    Se o mau e o diabo operam dentro dos limites da vontade de deus, não há necessidade prática de ambos. É como se eu tivesse um cão feroz preso a minha mão por uma corrente. Se eu o deixo morder alguém, a responsabilidade é minha, seja pela incapacidade de conter o animal, seja pela intenção de ferir outra pessoa.

    Por isso eu disse que deus é o diabo.

    Não pude deixar de notar sua resposta a Augustus. Meus dedos coçaram para responder, então... ;-)

    Deus misericordioso que morreu por nós?
    Bom, o deus fecunda sua filha (José engole calado, afinal foi DEUS, que há de se fazer...) para ele mesmo nascer, crescer e então se sacrificar-se para si mesmo para nos salvar da punição dele próprio.

    Que lógica há nisso?

    As orações atuam dentro dos limites da possibilidades. No entanto, as probabilidades de algo algo acontecer não se alteram pelas orações. Logo, orar ou não dá na mesma. Um exemplo interessante é do piloto que começou a rezar quando o avião que pilotava apresentou uma pane: http://g1.globo.com/Noticias/Mundo/0,,MUL1057260-5602,00-PILOTO+QUE+COMECOU+A+REZAR+ENQUANTO+AVIAO+CAIA+E+CONDENADO+NA+ITALIA.html

    Deus possui limitações??? Ele não era onipotente?

    Um detalhe: nós podemos criar água seca, chama-se gelo! :-)

    Sinto muito, mas não vejo coerência nessas ideias. Elas não se sustentam, são frágeis demais. Precisamos de uma religião capaz de lidar com os problemas próprios dos dias de hoje e não de concepções trazidas de 2000-3000 anos atrás a custas de dogmas.

    Mas isso é só uma opinião...

    Abraços

    ResponderExcluir
  13. Prezado Guto,
    as vezes o texto é interpretado de maneira adversa ao nosso propósito, por isso, desculpe-me se compreendi seu comentário de maneira agressiva. Sua visita ao blog somente o enriquece. Gostaria ,com sua anuência, de ponderar alguns pontos do seu comentário:
    1 - É preciso lembrar que o mal não existe ontologicamente, por isso, sempre ele será a privação do bem. O mal é necessário para que se possa ter padrão de bem. O bem nunca seria aquilatado se o mal não existisse. Por isso, Deus é soberano mesmo com a atuação do mal e mesmo dentro daquilo que entendemos ser algo negativo, Deus trabalha em todas estas coisas para o bem daqueles que o amam segundo Rom. 8:28.
    2 - Qual a lógica disso, foi sua pergunta? Um pouco de teologia talvez ajude. O homem ao pecar ele não peca ou erra contra outra criatura e sim contra Deus e este é eterno. Assim sendo, o homem passa a ter uma dívida eterna com o Criador. Martinho Lutero, que era Dr. em teologia, sofreu com esta grande pergunta durante muito tempo: Como pode um Deus Justo perdoar um homem injusto e pecador? Por mais que se esforçasse em penitência Lutero nunca encontrou a resposta. A resposta é que homem algum pode ser justificado diante de Deus por si só, porque tudo que ele fizer para saldar sua dívida com o Criador sempre terá a mancha do pecado. Deus se encarnar não é ilógico, pode estar acima da lógica, mas não é contra a lógica, mas é o maior ato criativo de salvação. Realmente ultrapassa a lógica humana. Diante da impossibilidade humana de pagar sua dívida com o Criador, este se fez carne e toma o lugar do homem. Por isso, o Senhor Jesus Cristo é único na história da raça humana e única foi sua obra. O apóstolo Paulo diz que Ele é o único mediador entre Deus e o homem, pois, é ao mesmo tempo Deus/homem. Sendo assim, o sentimento que devemos ter não é de estranheza, mas de assombro e admiração por tão grande amor demonstrado.
    3 - Seu argumento de que as orações atuam dentro dos limites das probabilidades somente se sustenta dianta da possibilidade da não existência de Deus. Se assim for, não precisamos de orações. Deixemos tudo ao acaso. Mas o acaso é impessoal e imponderável, assim sendo, em termos de influência sobre seres humanos ele é inútil. Muitos filósofos do Sec XIX por excluirem Deus do seus expectros de pensamentos concluíram que somente existia o nada e sendo assim muitos deles suicidaram por entenderem que a vida não tinha significado. Somente Deus confere significado para a vida e esperança ao homem.
    As orações possuem seus plenos significados porque existe Deus que as responde e a Bíblia nos incentiva a orar.
    4 - Por que a estranheza sobre as limitações de Deus? Por ser Deus Ele não pode fazer nada contrário à sua natureza, dai contemplarmos Sua perfeição e poder. Porque se Deus pudesse fazer algo contrário à sua natureza isso seria uma contradição em si mesma, o que seria ilógico e irracional.
    5 - Acredito que uma revisão em sua cosmovisão poderia ajudar em sua caminhada existencial.
    6 - Podemos criar uma água seca? Gelo, segundo sei e posso estar enganado, é água do mesmo jeito só que em outro estado, assim como o vapor é água em outro estado.
    Guto você é sempre bem vindo neste espaço e suas opiniões importantíssimas.
    Deus o abençoe ricamente.
    Um abraço
    Pr. Luiz Fernando

    ResponderExcluir
  14. Caro Pastor,

    Obrigado pelas respostas!


    1)
    Segundo entendo, tanto o bem quanto o mal não existem por si, são dependentes da existência de seres que possam experimentar prazer ou sofrimento. Basicamente, chamamos de mal quando alguém sofre.

    É uma péssima justificativa dizer que o mal não passa de uma ferramenta para que possamos medir o bem. Crianças morrem para que saibamos que morrer é ruim?

    Quer dizer que as coisas são apenas aparentemente ruins? Ora, então o Japão deveria estar em festa, por que deve haver um bom motivo para tantas mortes.

    Se isso fosse verdade, o maior sacrifício que um pai faria pelo filho seria matá-lo o quanto antes, assim a criança não experimentaria o mal e viveria num estado onde o bem é eterno.

    Isso não parece-me lógico.

    ======

    2)
    Lutero também disse para perserguir os judeus e queimar suas sinagogas, não?

    Deus se tornar homem (fecundando sua filha e então se tornar filho dela e neto de si mesmo!) para se sacrificar a si mesmo (mesmo não podendo morrer!) para saldar nossa dívida para com ele próprio é totalmente bizarro e implausível, mas típico do pensamento mítico.

    "Deus se encarnar não é ilógico, pode estar acima da lógica, mas não é contra a lógica, mas é o maior ato criativo de salvação. Realmente ultrapassa a lógica humana."

    Em outras palavras, não é lógico! ;-) Transpor o entendimento para além da compreensão humana é uma ótima maneira de explicar o que não pode ser explicado.


    =====


    3)
    Estamos sobre influência do acaso sim (embora o acaso tenha uma estranha regularidade, conforme parece apontar a teoria do caos), mas temos alguma força para mudar o rumo das coisas. Se orações funcionassem seria relativamente fácil medir seu efeito.

    Da mesma forma que filósofos se mataram enlouquecidos, o Budismo floresceu 2500 atrás na índia ensinando que não há um deus e Buda morreu com 80 anos por razões naturais.

    Eu concordaria que temos uma tendência em sermos religiosos, mas essa tendência se manifesta de inúmeras formas.


    ======


    4)
    Então deus não é onipotente. Se o fosse, ele deveria ser capaz inclusive de fazer coisas contrárias a sua natureza, afinal, você não disse que ele está além da lógica humana?


    ======


    5) Já fiz várias revisões. Devo estar na versão 10.0! ;-)


    ======


    6) Sim, o gelo é água. Do mesmo modo um bloco de ferro sólido se torna líquido se a temperatura aumentar suficientemente. Então há tanto água seca como ferro molhado.



    Entendo que uma religião hoje precisa ser capaz de lidar com o rápido avanço do conhecimento científico e com questões inerentes ao nosso tempo. Por exemplo, outro dia fabricaram uma bactéria, ou seja, criaram um ser que não existia na natureza, talvez daqui a algumas décadas sejamos capazes de criar seres humanos em laboratório. Pode parecer uma ideia louca, mas há uma possibilidade real disso acontecer. Como fica a religião diante disso?

    ResponderExcluir
  15. Prezado Guto,
    entendo suas ponderações e as respeito muito, mas ainda não consigo ver onde ela nos leva a não ser para o limbo existencial.
    1 - Não podemos confundir prazer com bem nem mal com sofrimento.
    2 - Se o bem e o mal não existem então implica que Deus não existe assim a vida seria um absurdo, pois, não teríamos parâmetro para nada e não poderiamos justificar atos com bons ou maus.
    3 - Sem o mal o bem não seria aquilatado não aponta para um pai matando seu filho para que este não experimentasse o mal ou fosse totalmente privado do bem, mas aponta para um princípio, um norte no pensamento. Dizer que as perdas não fazem avaliar o bem maior é algo no mínimo pueril, pois, fazem sim. Não defendo isto que fosse propês e nunca o faria, pois, seria um contra senso.
    4 - A grande dificuldade não está em Deus, mas nos preconceitos existentes. Se Deus é o supremo bem, qual o problema dEle existir?
    Deus se encarnar ultrapassa a lógica, mas não é ilógico. Assim como a Trindade ultrapassa a lógica, mas não é contra a lógica. Seria estranho afirmamos como verdade algo totalmente ilógico. Aqui vale o princípio da filosofia da não contradição.
    5 - Lutero foi próprio para seu tempo e agil como um homem do seu tempo. Olharmos para a história de 500 de anos com nossos conceitos de hoje é um erro crasso. Afirmo isso pois sou formado em História.
    6 - Levantemos uma hipótese: Se o que a Bíblia diz for verdadeiro, como você se justificará diante de Deus? Com certeza você cairá na mesma angústia de Lutero, não é verdade? Então a encarnação de Cristo se faz necessária e nunca seria contigente. Mas esta apreensão desta verdade cristã não se dá simplesmente pela razão é necessário que o Espírito Santo a comunique. Quanto mais endurecido formos para esta verdade, mais ela se tornará distante de nós, mas nunca será ilógica.
    7 - Guto é mais irracional crermos no acaso do que crermos em Deus. Como já disse, acaso é impessoal e somente seres pessoais podem influenciar seres pessoais, princípio filosófico básico. Assim como vida somente vem de vida, lei da biogênese. Se o acaso existe nada é ponderável ou pode ser previsto. A morte seria acaso, a vida seria acas, o prazer seria acaso etc... logo, para que serveria a vida? Ela seria totalmente sem significado. Essa foi a conclusão chegada por Camus, Houxley etc. Eles disseram que o maior sentimento do homem é náusea diante da vida ou diantde do próprio homem.
    8 - Guto gelo ou ferro líquido são em suas essências água ou ferro. ...
    9 - A criação de seres humanos em laborátorio sempre será algo impossível, pois, permanece o princípio da biogenese. As tentativas de criar vida em laborátorio esbarraram no básico: criação de enzimas elementares. Impossível. Basta dar uma lidinha rápida nestas tentativas. É impossível o homem criar o DNA. Mas dê uma estudada na teoria do Design inteligente. Não responde a tudo mas dá uma outra perspectiva para nosso modo de encararmos estas coisas.
    10 - Acho que a pergunta mais estigante seria: Como fica a religião diante da clonagem humana?
    Suas ponderações me fazem raciocinar e isso é muito bom. Diante de tanta bobagem que tenho visto ultimamente você vem fazendo o contra ponta a isto tudo. Parabéns.
    Um forte abraço
    Pr. Luiz Fernando

    ResponderExcluir
  16. Pastor,

    Muitos calvinistas "clássicos" tem alterado a visão de "Deus permite" por "Deus causa" e isso em si, para quem defende, é mais coerente com o ensino Escrituristico. Segundo essa linha, a teologia calvinista classica do compatibilismo (Deus permite) é muitissimo pior do que Deus causar, pois isso implicaria em uma atitude passiva do Criador de todas as coisas.

    Os links para confirmar seguem abaixo:

    http://www.monergismo.com/textos/problema_do_mal/mal_cheung.htm

    http://www.monergismo.com/textos/problema_do_mal/cheung_mal_privacao.htm

    Não estou apoiando ou discordando dessas posições, apenas trazendo ao conhecimento de quem se interessar

    Abraços

    Leonardo

    ResponderExcluir
  17. Prezado irmão Leonardo,
    os texto de Cheung não servem de palavra final sobre estes assuntos. Já os li e não concordo com eles. Ainda prefiro a interpretação tradicional sobre estes assuntos, mesmo porque, distanciarmos demais do nexo histórico é algo altamente perigoso, não concorda?
    Li recentemente o livro de Cheung "O Autot do Pecado". Ele avança nesta tese de Deus ser o criador do mal. Para mim nada tem de escriturístico. Tenho minhas ressalvas.
    Sua visita ao blog é muito importante. Obrigado por comentar.
    Um abraço
    Pr. Luiz Fernando

    ResponderExcluir
  18. Ao ler os comentários acima, quero deixar algo a se pensar: Será que uma pessoa normal ou seja ,sem deficiência é mais feliz que uma cega? Limitações todos nós temos, seja emocional ou física. E muitas vezes a emocional nos limita a uma grande cegueira.A felicidade, a falta do vazio,a paz não está no físico.Mas guardada dentro desta caixa chamada esqueleto.
    Trago também a fala de um psiquiatra "Quando a fé entra a ciência cala". Maravilhosa esta fala.E somente bons profissionais, competentes dão conta de reconhecer esta verdade sem perder seus títulos e diplomas.
    DEUS È SOBERANO e não se discute.

    ResponderExcluir
  19. Concordo com o Guto. Acredito nas PROBABILIDADES.
    Inclusive um dos posts em meu blog fala de como o cristao ve a oracao quando ela e` "atendida" ou nao.

    Tambem concordo com ele quanto ao sofrimento das pessoas. Me recuso a pensar que exista um DEUS INFINITAMENTE AMOROSO que faz as pessoas sofrerem. E eu morando na Africa vejo um tipo de sofrimento que poucos brasileiros conseguem dimensionar: pessoas que nascem, sao estupradas dos 5 aos 15 anos, quanto entao morrem com uma bala de AK47 na cabeca. Nunca deram um sorriso por colocarem um sorvete na boca nem andarem de bicicleta. E por nao terem Jesus, ainda provavelmente vao de cabeca para baixo para o inferno.

    Eu nao tenho mais deus como sentido da minha vida, mas deixo claro que nao tenho tendencias suicidas. Falar que so deus da` sentido `a vida de alguem e` uma generalizacao perigosa. Se assim fosse verdade, SO` OS EVANGELICOS teriam alegria e felicidade no viver e o indice de suicidios seria infinitamente alto, seria como uma epidemia entre as outras religioes.

    Eu tenho sim, curiosidade de saber o que existe do outro lado, se e` que existe. Mas vou esperar minha vez chegar.

    Abracos a todos!
    R.

    ResponderExcluir
  20. Prezado Rodrigo,
    mais uma vez você parte da premissa errada. Deus não faz as pessoas sofrerem. Isso não condiz com um mínimo de racionalidade. A menos que Deus tire toda decisão da mão do homem e o faça um autômato, ai sim, Ele impingiria crueldade à raça humana. Cada ação tem sua consequência. Por exemplo: você morando na África com sua família, e espero que esteja morando em Johannesburg, caso contrário, isso em tese, você mesmo estará impingindo um sofrimento aos seus que talvez eles não pediram. Mas se você os deixou no Brasil então existe sofrimento do mesmo jeito. Seus filhos sofrerão a ausência do Pai como modelo, companheiro, provedor material e espiritual, não poderão compartilhar seus bons momentos, sua mulher estará insegura nas decisões da vida, viverá a ausência do seu parceiro etc. Onde Deus entra nisto? Não foi sua decisão? Sempre na história grupos dominaram outros grupos, guerras aconteceram. Por exemplo: em plena Roma, nos tempos de início da igreja sacrificios de crianças eram comuns, mesmo com toda sua cultura. Somente com a chegada do cristianismo essa horrível prática foi extirpada da sociedade como costume. Suas dúvidas sobre Deus ser bom e as misérias dos homens não são novidades e nem abalam o cristianismo. Existem respostas para essas dúvidas e elas já existem a séculos.
    Volto a afirmar que oração como probabilidades somente se Deus for o acaso. Isso seria o cúmulo da insensatez, mas há quem acredite nisso. Aí é escolha de cada um. Acho que valeria a pena meditar, com sinceridade, nos argumento por mim exarados. Somente ficar nessa ladainha não vai conduzir a crescimento nenhum.
    Pondere nisto: se a Bíblia tiver 1% de probabilidade de estar certa, você vai arriscar toda a eternidade no pior estado que ela diz?
    A menos que se prove que Deus não exista, ai sim, podemos viver do jeito que quisermos, pois, não existirá vida pós morte, nem um Deus para se defrontar.
    Um abraço
    Pr. Luiz Fernando

    ResponderExcluir
  21. Anônimo,
    nada a acrescentar ao seu comentário. Muito bom.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  22. Pastor Luiz:
    Sobre a porcao final do seu comentario: assim funcionam as religioes, principalmente o cristianismo: MEDO. A ameaca que a biblia faz a todos que nao concordarem com ela, o INFERNO (que alias foi declarado inexistente pelo Benedito XVI outro dia)

    "e se a biblia estiver certa" foi a frase que mata todos os argumentos. Veja, estamos discutindo sobre uma coisa que NEM SABEMOS SE E` CERTA!!! Num pedaco de papel alguem escreveu que a biblia e` a verdade e uma massa humana acredita naquilo SEM COMPROVACAO ALGUMA.
    Quisera eu ter lido de voce: "Rodrigo, como a biblia E` CERTA, vc vai arriscar toda a eternidade...?

    Nada tira da minha cabeca que o deus de infinito amor e misericordia, e que tambem e` SOBERANO, permita tanto sofrimento na terra. E que tenha criado um inferno EXCLUSIVAMENTE para punir a maioria da populacao de pets que ele criou. Voce nao cre assim. E e` aih que meu papo com evangelicos termina, pois ficamos falando em cima de fe`, de coisas que nao podem ser provadas, mas apenas ACEITAS.

    Meu filho ja nao esta entusiasmado com igreja pois ele ja me questionou um monte de coisas. Para a maioria delas eu disse a VERDADE: FILHO, NAO SEI. E quando ele me pergunta o papel de deus em tudo isso, eu so respondo que se houvesse um deus de amor e compaixao e tao poderoso, onisciente, e onipresente, deve ser tambem OMISSO para deixar tudo isso acontecer na terra.

    Nem falei com ele sobre o fato de deus criar o homem com os sentimentos bons e ruins, so para ve-lo pecando, brigando, matando, roubando, pilhando, arrependendo, pedindo perdao, voltando a fazer tudo isso de novo, ou seja, UM TEATRO MACABRO DE MARIONETES!!!!!!!

    Que meus posts sirvam pelo menos para uma coisa: que os pastores e responsaveis por colocar a doutrina na cabeca das pessoas nao passem uma imagem tao ruim da religiao para suas audiencias como me foi passado. Depois de quase 4 decadas buscando fervorosamente a Deus e o seu sobrenatural, querendo servi-lo e adora-lo de verdade , hoje busco atraves de discussoes como essa, entender o porque do meu abandono da religiao e certificar-me da minha decisao a cada dia.

    (na minha familia acusam que tudo o que eu fiz foi falso, que eu busquei a deus de maneira errada e que nunca tive experiencia NENHUMA COM DEUS. Facam-me o favor...)

    ResponderExcluir
  23. Quantos comentários? Bem, sobre a questão de Deus e do mal, sugiro a leitura de "Diálogo sobre o Lívre Arbítrio", de Santo Agostinho (como Luiz Fernando disse, essas questões que se fingem de novas já estão respondidas há séculos). Sobre Lutero e suas ações questionáveis, como luterano sugiro o ótimo "Lutero e Libertação", do professor Walter Altmann. Se me permitem, gostaria de mudar um pouco o foco da conversa. É que algo curioso me incomoda: o fato de que popularmente se tira a soberania de Deus (e se passa a tratá-lo como uma força do bem usada mágicamente para combater as forças do mal, os encostos, espíritos ruins etc) e se fantasia uma soberania do Governo. As pessoas, então, criam a ideia de que nossos governos têm que solucionar tudo. Construímos casas à beira de rios que naturalmente transbordam em certas épocas e os governos têm que fazer o rio se conter. Jogamos lixo reciclável no meio dos outros, enchemos os aterros e os governos têm que conseguir mais espaço para tanto lixo... Fazemos concursos públicos, pois cremos que o emprego público é ESTÁVEL. Sim, é estável dentro de certas condições, mas não percebemos que essas condições podem mudar. E assim vamos, iludidos de que esse deus-governo vai sempre CONSEGUIR!!! Aí, um dia, um desafio maior aparece (talvez o do crack, por exemplo) e o deus-governo se revela em desgoverno! Enfim, prefiro tentar ver o governo como governo e Deus como Deus. As inquietações dos ateus e agnósticos não me afetam. Se minha fé é infantil, dou graças a meu Deus por tê-la assim. Afinal, preciso tornar-me como uma criança, em toda sua aptidão para crer, para herdar o que Ele me preparou.

    Abraço anônimo, mas sincero a todos e, em especial, ao pr. Luiz, que se revela paciente.
    De uma ex-ovelha que preferiu fazer-se luterano, não agnóstico, mesmo reconhecendo com carinho as inquietações desses.

    ResponderExcluir
  24. Prezado Rodrigo,
    o pior cego é aquele que não quer ver. O que não pode ver ainda enxerga com os olhos da alma, como foi o caso de Bartimeu relatado na Bíblia. Gostaria de ter mais tempo para ponderar sobre a existência de Deus ou não. Acho que farei um post sobre o assunto. Gostaria de ponderar sobre seus comentários:
    1- Medo de punição todos já temos dentro de nós quando aprendemos sobre o certo e o errado. Desde que existam normas estabelecidas o medo é inerente em uma sociedade civilizada. Vemos a escalada da violência no mundo, em muitos casos, porque o medo de punição deixou de fazer parte da agenda dos marginais. Assim sendo, o medo é um fator importante para o equilíbrio emocional do homem. Tire o medo do homem e este não terá parâmetros de conduta. Imagine um mundo sem leis e sem punições. Se convivemos com isso no cotidiano (leis e punições) quanto mais quando relacionado com o Criador que estabeleceu princípios sim para o homem. Agora você usa o medo de forma equivocada. Ninguém vem a Cristo com medo do inferno, mas sempre que alguém O aceita o faz por amor. Deus não atrai homens para si com o terror do inferno nas pontas do dedos, mas o faz com as marcas da cruz nas mãos do Salvador. E quer você aceite ou não o apóstolo Paulo diz que chegará o dia em que todo homem será julgado pelas intenções de seu coração. Então haverá sim um dia prestações de contas e isso é plenamente racional já que existe Deus como soberano do universo. Quanto ao papa ter dito que o inferno não existe, não é novidade. Creio que João XXIII disse o mesmo na década de 60 do século passado. Mas estas falas de homens não anulam as afirmações de Cristo.
    2 - Quando utilizei a expressão "se a Bíblia estiver certa" o fiz como um recurso da filosofia e da lógica, quando alguém dá o privilégio da dúvida para o seu debatedor. Não estava afirmando uma dúvida sobre a existência de Deus. Falei em tese. O que estou percebendo é que você está tão cheio de preconceitos e não tem olhos para perceber o mínimo de racionalidade nos argumentos que contrapõem os seus. Antes de responder procure entender o que o outro está dizendo, assim este momento na blogsfera ficará muito mais rico.
    3 - Parece-me que você nada aprendeu sobre a Palavra de Deus, pois, ela não procura provar nem a existência de Deus com argumentos quaisquer, Isso foi feito durante século pelo filósofos cristãos e entendo ser muito importante o estudo destes argumentos. Na Bíblia os homens experimentaram Deus e convidam seus semelhantes a fazerem o mesmo. Deus não precisa ser provado nem muito menos pode ser dissecado ou analisado em uma lâmina de laboratório.
    Por isso creio que seu argumento onde você espararia encontra uma afirmação minha é inócuo.
    4 - Rodrigo, acredito que um embasamento filosófico lhe ajudará imensamente em sua busca pela verdade. Você não crê num Deus que pune, então para que as leis existem? E por que elas prescrevem limitações e punições? Se o homem, como criatura, assim procede quanto mais o criador! Creio que existe em você um grande temor de encarar Deus um dia. Isso não se resolve negando-o mas rendendo-se a Ele.

    ResponderExcluir
  25. CONTINUAÇÃO
    5 - De novo afirmo que quem tratava os seres humanos como pets eram os deuses gregos nunca Deus o faria, pois, o homem foi criado à Sua imagem e semelhança e é isso que confere dignidade ao homem,é por isso que a vida é tida como o maior bem existente.
    Gostaria que você me provasse que a teoria do Big Bang pode ser provada. Ninguém prova isso pelo método científico, pois, por esse método o acontecimento deveria se repetir e neste caso não pode. E ninguém esteve lá para comprovar. Assim sendo, os cientistas exercem a mesma faculdade dos cristãos, a fé. Seria isto uma vergonha ou desmerecimento para a ciência? Quantos experimentos que deram certos tiveram como base a fé que eles poderiam dar certo. Vocẽ exerce fé todos os dias quando se assenta em uma cadeira e crê que ela não quebrará com você. Vocẽ quando vai a um dentista você crê que ele lhe anestesiará e não lhe infundirá uma dose letal de um veneno. Portanto, não vejo o porque de tanta ojeriza quando à fé. Você deve ter aprendido em Hebreus a seguinte afirmação: "Sem fé é impossível agradar a Deus", "Todo aquele que se aproxima de Deus creia que Ele existe e que galardoador daqueles que O buscam". assim sendo meu prezado Rodrigo a fé é natural e faz parte de contexto dos meros seres humanos.
    6 - Gostei quando você disse ao seu filho que não sabe muitas coisas. Parabéns. Eu também não sei, apesar de estudar teologia a mais de de 30 anos e depois de ler em todas as áreas do conhecimento que foi possível. Só que a minha postura com meu filho difere da sua em relação quanto as grandes questões da vida. Ele estuda direito e me apresentou um argumento que seu professor explanou em sala de aula sobre Maquiavel. Ele me disse: "Pai o professor destruiu o cristianismo com tal argumento", como querendo dizer: " e agora como fica minha fé?" Simplesmente acentei-me com ele e expus o pensamento de Maquiavel. Mostrei-lhe o contexto em que Maquiavel escreveu o seus motivos. Demonstrei-lhe as falhas do pensamento de Maquiavel e a aplicação equivocada de seu professor. Depois o convidei a ler uma dezenas de livros que estão em minha biblioteca sofre o pensamento de Maquiavel. Ele me perguntou: "o senhor já leu isso tudo?" e eu lhe respondi: Li e o fiz para conferir se minha fé era verdadeira. Estudei história para conferir se que o Bíblia diz era verdadeiro e apesar do coordenador do meu curso dizer que todo historiador é um ateu, sai da faculdade crendo mais em Deus e em Sua Palavra. Essa é a diferença!
    Agora, o que você gostaria que Deus tivesse criado? Robos? Seres autômatos? Já imaginou um mundo onde todos os seres existentes fossem desprovidos de sentimentos, emoções, desejos e volição? Seria uma maquete de um circo do terror. Somente um deus desprovido de ineligência faria isso. Não foi o caso de Deus. Ele fez o homem como pessoa e isso implica que este homem pensa, sente e tem vontade própria. Estas características definem uma pessoa e a pessoa humana agrega mais uma característica, possui corporeidade e Deus é tão sábio que na ressurreição o corpo é restaurado.
    7 - Seus post somente despertam em pessoas inteligentes a vontade conhecer a Deus e servi-lo mais, pois, expressam as angústias existencias, não somente suas, mas de milhares de pessoas que andando na caminhada existencial buscam Deus tateando tentando encontrá-lo. Mas o Senhor Jesus disse: "EU SOU O CAMINHO, A VERDADE E A VIDA, E NINGUÉM VEM AO PAI SENÃO POR MIM".
    8 - Rodrigo, seu problema não é com Deus, mas com sua famĩlia.
    Ontem, quando me aprontava para ir à igreja, disse para minha mulher:
    "como gostaria de estar perto do Rodrigo e o abraçar. Gosto muito dele. Lembro-me dele ainda adolescente e o quanto ele é valoroso". Tenho uma grande estima por você e cada vez que trocamos idéias oro mais e mais por você.
    Um forte abraço
    Pr. Luiz Fernando

    ResponderExcluir
  26. Caro Pastor,

    Obrigado pelas respostas. É bom poder discutir esses assuntos. Pelo menos para mim. Quando resolvi deixar de crer no deus, foi doloroso. Me sentia desamparado, perdido e sem respostas - e agora? Vou morrer e virar nada? É isso que sempre pensam dos ateus. Mas depois do choque inicial a gente desencana. Deixei de lado a questão da morte, não dá para responder mesmo. Passei então a me preocupar mais com o agora e deixei de lado o céu, o inferno, Jesus, deus, Maria e a miríade de santos. Foi um grande alívio. E mais, não me tornei mau, cruel, insensível ou suicida. Admito que tudo melhorou, mas não tanto assim. No final, continuo sendo eu mesmo.

    Seguem minhas respostas. Uma longa resposta. Pensei muito em tudo que você disse com cuidado, mas os argumentos contra pipocam na minha cabeça, são tantos que o texto ficou imenso. Por isso continuo sem razão suficiente para crer nalgum deus, menos ainda no deus bíblico!

    De novo obrigado, você não tem ideia de como sua cortesia e respostas me ajudaram.



    =====================
    1 - Não podemos confundir prazer com bem nem mal com sofrimento.
    Nao confundi mal/bem com prazer e sofrimento. Pelo menos não foi essa minha intenção...

    Bem é aquilo que traz felicidade, tranquilidade, bem estar... Mal o causa dor sofrimento, inquietude, estresse... Nenhum deles tem existência independente ou prevalência sobre o outro. Ambos surgem da relação dos seres sencientes entre si e com o ambiente que os rodeia. Além disso, eles não surgem puros, vem sempre misturados em diferentes proporções. Sabedoria envolve a capacidade de escolher ações que causem mais bem do que mal.
    Essa interpretação parece-me a mais econômica e elegante e, de fato, funciona muito bem.
    Dizer que há um bem absoluto e eterno que emana de um deus dá origem a uma série de questões que suscitam uma série de dilemas insolúveis.
    Por exemplo: Poderíamos perguntar se 1) Esse deus define arbitrariamente o que é bom ou 2) ou tudo que ele faz é automaticamente tido como bom?
    Se 1, então amanhã ele pode declarar que estupro e assassinato são atos bons. Nesse caso, não há bom ou mal, há apenas arbitrariedades e nossa desobediência resulta em punição
    Se 2, fica implícito que há um bem que transcende o próprio deus. Aqui então há algo maior que deus, então o deus não é de fato um deus, mas uma subdivindade que segue algo superior a ele.

    2 - Se o bem e o mal não existem então implica que Deus não existe assim a vida seria um absurdo, pois, não teríamos parâmetro para nada e não poderiamos justificar atos com bons ou maus.

    Primeiramente: o raciocínio "se bem e mal não existe, então deus não existe e a vida é um absurdo" carece de lógica. Uma coisa não tem relação com a outra.
    Bem e mal existem, mas de maneira relativa, conforme eu disse acima. De forma que o parâmetro são os seres, se algo causa dor, sofrimento, estresse, inquietude... a um ou mais seres, esse algo é mau. Mas se traz o bem estar, alegria, tranquilidade... então é bom.

    ResponderExcluir
  27. Continuando...

    3 - Sem o mal o bem no seria aquilatado não aponta para um pai matando seu filho para que este não experimentasse o mal ou fosse totalmente privado do bem, mas aponta para um princípio, um norte no pensamento. Dizer que as perdas não fazem avaliar o bem maior é algo no mínimo pueril, pois, fazem sim. Não defendo isto que fosse propôs e nunca o faria, pois, seria um contra senso.

    Você pressupõe um bem absoluto. Como eu disse acima, não acho que isso se sustente, fica tudo muito mais complicado.
    Veja:
    Se uma criança morre, ela não ganha o paraíso eterno automaticamente???
    Mas se essa criança crescer ela não pode cometer pecados que a condenariam ao inferno eternamente???
    Diante disso, não é melhor que alguém mate todas as crianças? Seria um grande sacrifício onde uma pessoa iria para o inferno a fim de garantir que muitas crianças ganhassem o céu eterno.
    É uma lógica perversa, eu sei! Mas a doutrina permite tal raciocínio. Embora possa haver algum louco colocando tais pensamentos em prática (e de fato houve, nos EUA, onde uma mãe matou todos seus filhos) não vejo cristãos fazendo isso. Ainda assim, a incoerência persiste.

    4 - A grande dificuldade não está em Deus, mas nos preconceitos existentes. Se Deus é o supremo bem, qual o problema dEle existir?
    Deus se encarnar ultrapassa a lógica, mas não é ilógico. Assim como a Trindade ultrapassa a lógica, mas não é contra a lógica. Seria estranho afirmamos como verdade algo totalmente ilógico. Aqui vale o princípio da filosofia da não contradição.


    A encarnação de deus em um homem, Jesus, além de ser uma coisa estapafúrdia pelos motivos que já expus e que exige uma explicação complicadíssima - navalha de Ockham nela - traz uma série de problemas.

    Digamos que o homem que nasceu de Maria fosse mesmo o deus encarnado.

    Bom, numa concepção normal 23 cromossomos vem do pai, 23 da mãe. Como seriam os 23 cromossomos de deus?

    Todos os seres são pontos de fluxo de matéria e energia. Assim comemos, respiramos, tomamos sol e o alimento, o ar, e a energia solar ser tornam parte de nós, se tornam técidos, órgãos e células. Células liberam excreções que são liberadas no ambiente, o mesmo vale para quando elas morrem. Fezes, urina, saliva, esperma, suor, pus fizeram parte de nós, mas são liberados / descartados no ambiente e eventualmente se decompõe e se tornam parte de outros seres. Assim, nosso corpo é totalmente substituído de tempos em tempos. A partir daí pergunto, o deus-Jesus ao morrer e ressucitar levou tudo isso com ele ou deixou para trás?

    Outra, um evento em tese tão importante quanto esse - o deus universal encarnando num ser ínfimo - foi muito circunscrito no tempo e espaço. A história do universo tem cerca 13.000.000.000 de anos e se espalha, segundo estimativas, por cerca de 156.000.000.000 de anos-luz (cada ano-luz equivale a 9.500.000.000.000 de km). O homem moderno teria surgido a 200.000 anos. A terra tem cerca de 500.000.000 km2. Mas apesar desse números imensos o tão importante deus ficou na terra por 33 anos e manteve-se numa área que não passou de 1000 km2.

    Dentro do pensamento mítico tudo isso pode fazer sentido, mas quanto contraposto a fatos perde muito a importância.

    5 - Lutero foi próprio para seu tempo e agil como um homem do seu tempo. Olharmos para a história de 500 de anos com nossos conceitos de hoje é um erro crasso. Afirmo isso pois sou formado em História.

    Concordo plenamente. Por essa razão não acho que Lutero - que decidiu tornar-se monge por medo de uma tempestade - possa contribuir nesse debate.

    ResponderExcluir
  28. Continuando...

    6 - Levantemos uma hipótese: Se o que a Bíblia diz for verdadeiro, como você se justificaria diante de Deus?

    Pastor, esse argumento constitui a Aposta de Pascal, e já foi amplamente refutado. Mais informações. No fundo isso é uma chantagem vazia.


    Com certeza você cairia na mesma angústia de Lutero, não é verdade? Então a encarnação de Cristo se faz necessária e nunca seria contigente. Mas esta apreensão desta verdade cristo não se dá simplesmente pela razão é necessário que o Espírito Santo a comunique. Quanto mais endurecido formos para esta verdade, mais ela se tornará distante de nós, mas nunca será ilógica.

    Não foi fazer um resumo aqui da minha história espiritual pois tomaria muito espaço, mas posso te assegurar que procurei ser sincero e ter o coração aberto diante de todas as tradições religiosas com as quais me envolvi. Estive inclusive bem próximo de me converter e tornar-me evangélico. Teria sido mais fácil, admito. Mas sou muito honesto comigo mesmo e sempre gostei de aprender. Quando conversei seriamente comigo próprio, vi que não acreditava em deus ou Jesus.
    É tão típico nós ocidentais encararmos razão e emoção como coisas distintas. Razão e emoção são uma coisa só. Não existe pessoa 100% racional ou 100% emocional. As próprias explicações religiosas revelam isso: uma vontade de acreditar deliando uma tentativa de racionalização.


    Guto é mais irracional crermos no acaso do que crermos em Deus.

    Por quê?


    Como já disse, acaso é impessoal e somente seres pessoais podem influenciar seres pessoais, princípio filosófico básico.

    Como assim? Eventos impessoais nos influenciam o tempo todo. A que tipo de influência você se refere?


    Assim como vida somente vem de vida, lei da biogênese.

    Essa é uma verdade incompleta. Formas complexas de vida, de fato, surgem apenas de outras formas de vida com grau de complexidade semelhante.
    Mas é teorizado que a matéria pode se organizar de modo a criar organismos simples, os que evoluem e dão origem a organismos mais e mais complexos. Evidências para isso são:
    1) Os fósseis, que mostram que complexidade aumenta com o tempo; 2) O DNA, o mecanismo básico da vida é compartilhado por TODOS os seres vivos, de plantas a seres humanos, passando por baratas; 3) O experimento de Haldane, que demonstrou o surgimento espontâneo de aminoácidos - base das proteínas;


    Se o acaso existe nada é ponderável ou pode ser previsto.

    Ora, a regularidade presente no universo permite-nos fazer previsões precisas! Mas há sistemas complexos onde a previsão é muito difícil, nesses casos recorre-se à Teoria do Caos - que também acaba apresentando impressionante regularidade.

    A morte seria acaso, a vida seria acas, o prazer seria acaso etc... logo, para que serveria a vida? Ela seria totalmente sem significado.

    Você precisa que alguém te dê o significado de sua vida? Para mim, viver é o significado!

    Essa foi a conclusão chegada por Camus, Houxley etc. Eles disseram que o maior sentimento do homem é nausea diante da vida ou diantde do próprio homem.

    Buda disse que a vida é dukkha - insatisfatoriedade, estresse, sofrimento - e que a causa para isso é o apego, o desejo egoísta. Ele criou um método para lidar com isso e viveu esse método.

    ResponderExcluir
  29. Continuando...

    Guto gelo ou ferro líquido são em suas essências água ou ferro.

    Pastor, é complicado falar de essências aqui. Tudo bem, podemos reduzir um bloco de ferro a seus átomos, mas então os atómos de ferro poderiam ser quebrados em suas partículas (prótons, nêutrons e elétrons), que poderiam ser quebradas em subpartículas. Além disso, matéria vira energia, energia vira matéria. Esse assunto é complexo e tenho um entendimento apenas superficial, mas não vejo essências aqui.

    9 - A criação de seres humanos em laborátorio sempre será algo impossível, pois, permanece o princípio da biogenese. As tentativas de criar vida em laborótorio esbarraram no básico: criação de enzimas elementares. Impossível. Basta dar uma lidinha rápida nestas tentativas. É impossível o homem criar o DNA.

    Enzimas são proteínas, proteínas são feitas de aminoácidos, aminoáciodos podem ser sintetizados. O DNA já pode ser sintetizado. Lembra da bactéria articial que criaram ano passado? O problema é que o DNA humano, assim como o de outras espécies superiores, é muito grande. Decodificar seu funcionamento vai levar tempo. Eu tinha dito que em décadas poderíamos produzir humanos em laboratório, mas creio exagerei. Ainda assim, creio que é uma questão de tempo.

    Mas dê uma estudada na teoria do Design inteligente. Não responde a tudo mas dá uma outra perspectiva para nosso modo de encararmos estas coisas.

    Pelo que sei o Design Inteligente tem colhido apenas fracassos e a grande maioria dos cientistas sérios não o considera ciência. A teoria da evolução tem se mostrado mais elegante e possui muitíssimas evidências ao seu favor e as tentativas de refutá-la têm se mostrado infrutíferas.

    10 - Acho que a pergunta mais estigante seria: Como fica a religião diante da clonagem humana?

    Realmente, parece ser algo mais próximo de nós!

    ResponderExcluir
  30. Pr. Luiz Fernando,

    muito boa postagem.
    Discordo apenas da afirmação de Agostinho de que o mal é a ausência do bem, mas como não entendo nada de ontologia, é uma percepção de leigo. Estou mais para a posição de Gordon Clark, R.K. McGregor Wright e de Cheung de que até mesmo o mal é criação divina. O que não torna Deus mau, pois ele é o próprio bem. Por essa perspectiva entendo Agostinho: onde Deus não age reordenando o caos, o mal existe e persiste; mas ainda resta uma pergunta: de onde veio o caos?
    Como está envolvido em uma discussão com céticos [e céticos podem levar uma discussão "ad infinitum" sem sair do lugar], vamos deixar essa conversa para uma próxima vez, especialmente se for naquela churrascaria que o irmão indicou [rsrs].

    Grande e forte abraço!

    Cristo o abençoe!

    ResponderExcluir
  31. Prezado irmão Anônimo,
    seus comentários são muito pertinentes e bem vindos. Achei muita graça você ter dito que virou um luterano e não um agnóstico. Sensacional.
    Suas indicações bibliográficas são enriquecedoras.
    Também para mim as inquietações e questionamentos adversos à fé cristã não me incomodam, pois, não creio por estar enganado, mas creio por experiência pessoal com Cristo e por estudar a mais de 30 anos assuntos ligados à fé.
    Obrigado por sua visita.
    Um abraço
    Em Cristo

    ResponderExcluir
  32. Olá Guto,
    sempre é bom saber que pessoas inteligentes como você voltam a comentar ou replicar comentaŕios já expressos.
    Alguns pontos de seus último comentário gostaria de ponderar:
    1 - Em sua introdução você diz que abandonou tudo ligado ao que é espiritual, deixou de pensar na morte e demais correlatos. Pois bem, se o homem fosse somente corpo e mente lhe daria toda razão. Mas sabemos que isso seria limitar muito a pessoa humana, por isso, ao abandonar as questões espirituais você deixou o vazio interior sem preenchimento e consequentemente muitos questionamentos sem resposta. Mas foi sua opção e merece respeito. Lembro-lhe que em nossa caminhada existencial precisamos ter como alvo a plenitude de vida e isso não se dá abortando o lado espiritual. Creio que deve ter sido doloroso erradicar isso de sua vida, pois, é parte inerente à constituição humana e comum a todos os seres humanos em todas as culturas. Sugiro-lhe la leitura de um livro interessante chamado Fator Melquisede.
    2 - Você esbarra em uma questão simples que as vezes confunde. Deus amanhã nunca declarará que estupro e assassinato são comportamentos aprovados por Ele em qualquer tempo, pois, isso iria de encontro à Sua Palavra e feriria seu ser. Por exemplo: Deus deu a lei do talione no Antigo Testamento. Essa lei previa olho por olho dente por dente. Muitos a entendem com uma lei draconiana e belicosa, mas o princípio desta lei era limitar a violência. Na antiguidade quando alguém matava outro, então a família ofendida ou um membro dela matava todos da outra família. Deus ao estabelecer esta lei estava limitando a violência. Ele mandou amar o próximo, logo, nunca aprovaria o estupro ou assassinato. Somente aconteceria algo parecido com o que você propôs se Deus mudasse. Mas a palavra Deus implica que Ele é imutavel. Ele não pode melhorar amanhã em seu conhecimento por exemplo, por isso, a sequência de seu argumento não procede porque Ele nunca se auto contradirá. Filosoficamente é impossível haver dois Deuses.
    3 - no seu ítem 02 você traz o padrão de bem e mal para dentro do homem e isso é muito perigoso e catastrófico. Se aquilo que traz prazer, alegria for o bem, e como vocẽ disse depende do homem e suas relacões, então caimos no caos total, pois, para um traficante prazer e tranquilidade é vender o máximo de droga possível e muitas vezes a morte do seu rival é tida em grande estima.
    Por isso é que as leis são estabelecidas para tirar para fora do homem o padrão de certo e errado. Certo e errado não depende de cada um mas de padrões superiores que delimitam, em última instância, as ações do homem. Estamos colhendo a pior safra de imoralidade, perversidade, desonestidade etc nesta geração, porque tudo ficou relativo. O que é certo para você pode não ser certo para outrem, daí vivermos em um nível tão baixo de moral e ética.

    ResponderExcluir
  33. Desculpe Guto, perdi o que estava escrevendo e não consigo escrevê-lo novamente por motivo de cansaço mesmo. Se der volto em outro momento para terminar o que estava dizendo.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  34. Prezado Jorge,
    realmente as discussões podem levar muito tempo. Vou fazer outra postagem para encerrar com esta. rsrsrsrs.
    Na hora que vocẽ quiser saborear aquele belo churrasco lá no porção é só convidar, oK? rsrsrs
    Um abraço forte

    ResponderExcluir
  35. Caro Pastor,

    Na verdade, não abandonei o espiritual, apenas deixei de crer em deus. Continuo sentindo-me atraído pelas diversas formas de religiosas, deviado ao seu grande poder simbólico. Atualmente, meu velho interesse pelo Budismo canônico está retornando de forma renovada. Também estou lendo um livro de Karen Armstrong sobre o processo que levou à formação das principais religiões mundiais. Segundo ela, todas teriam surgido no mesmo período, o qual ela chama de Era Axial. Não sei bem se concordo, mas a descrição da evolução das diversas tradições religosas e bem interessante. Talvez seja difícil de acreditar mas, seguindo o exemplo de Carl Sagan, tenho encontrado muita espiritualidade na Ciência! Parece contraditório eu sei, mas a compreensão do funcionamento do universo nos causa grande assombro. Nesse ponto recomento o belíssimo filme Pálido Ponto Azul: http://www.youtube.com/watch?v=EjpSa7umAd8

    ResponderExcluir
  36. Depois de tantas explicações e argumentos deixo a minha opinião e a certeza que ... DEUS É SOBERANO pois DEUS É AMOR!!!

    ResponderExcluir
  37. Tchê. Esse assunto é bom complexo e polêmico. Eu creio que Deus só é soberano onde ele tem o domínio, ou seja, para quem se entregou a ele como Senhor e Salvador. O mundo (o resto que não entregou a sua vida a ele) como disse o apóstolo João jaz no maligno. Para quem ama a Deus como diz a bíblia todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus. Se acontecer algo de ruim como diz em Gênesis 50:20 Deus transforma a maldição em bênção. Agora quem não tem a Cristo me dá uma leve tendência a concordar com os post do Guto, que foram bem argumentados, diga-se por sinal. Abraço a todos!

    ResponderExcluir