29 outubro 2010

SEGURANÇA EM MEIO AS CRISES DA VIDA


SEGURANÇA EM MEIO AS CRISES DA VIDA

Rm. 8:35-39

Às vezes pensamos e mesmo sentimos que estamos totalmente desamparados. Deus não nos ouve, nossas orações parecem vazias e ficamos sem sustentação psicológica. Os problemas do dia-a-dia nos roubam a real perspectiva do nosso relacionamento com Cristo

Por não encontrarmos rápidas respostas para os problemas e os encararmos como grandes demais, julgamos que estamos ilhados, desamparados e um sentimento de desassossego emerge de nossa alma.

Nos evangelhos encontramos os discípulos em pânico com o mar agitado e se preocupando tanto com o mar e suas fortes ondas que esqueceram que o Senhor Jesus estava no barco juntamente com eles.

Ao acordarem o Senhor Jesus eles estavam simplesmente reconhecendo que não percebiam a miopia espiritual reinante em suas vidas.

A visão distorcida das crises da vida nos faz esquecer ou mesmo subdimencionarmos a presença de Cristo em nós, bem como seu terno cuidado.

Para Ele não existe crise, dificuldade ou situação que seja por demais complicada.

O apóstolo Paulo nos faz lembrar que nada nos poderá separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus.

Ele usa linguagem enfática quando diz que nem a morte, nem seres espirituais, nem qualquer circunstância ou criatura, poderá nos separar do Senhor Jesus.

A Palavra de Deus é enfática em dizer que os verdadeiros cristãos estão seguros em Cristo. Paulo chega dizer que nossas vidas estão escondidas em Cristo (Col. 3:3).

Já abrimos as portas das nossas vidas para Ele e podemos descansar porque Cristo é maior que nossas dificuldades.

Devemos enfatizar, todos os dias, a grandeza de Cristo. Precisamos lembrar que por passarmos por crises, em vários níveis, Ele não vai embora.

Cristo é suficiente, para nós, em qualquer situação.

SE DEUS É POR NÓS, QUEM SERÁ CONTRA NÓS?

Solio Deo Gloria

Pr. Luiz Fernando R. de Souza

4 comentários:

  1. Verdades! Somos pequenos demais, falhos, fracos diante de um Deus tão grande, perfeito, amoroso e misericordioso. Que privilégio podermos chamá-lo de Pai, amigo. Aleluia!
    Andréia

    ResponderExcluir
  2. Pr. Luiz Fernando,

    em tempo de desespero, desesperança e confusão, nada melhor do que reafirmar que Cristo é a nossa rocha, e nele estamos seguros e firmemente guardados.

    Diferentemente daquele homem que construiu a sua casa na areia, a nossa está construída naquele que é inabalável, e de onde jamais cairemos.

    Ótima reflexão, e que os aflitos e incertos encontrem no Senhor Jesus o pouso seguro de suas vidas.

    Grande abraço!

    Cristo o abençoe!

    ResponderExcluir
  3. Pr Luiz,

    Já há quem pergunte; Ir à igreja? Para que?
    Estes são as lagartas incrédulas de quem falo em mensagem no blog.
    São estes que, por se sentirem desamparados, não voarão ao sol e prosseguirão, como lagartas, a se arrastarem. Como bem disse o insígne pastor - são míopes espirituais.
    Bem, muito bem; bom, muito bom o contexto a ser apreciado.
    seu conservo

    ResponderExcluir
  4. GLORIA A DUES PELA SUA MISERICORDIA E AMOR DEMOSTRADO INFINITAMENTE EM NOSSAS VIDAS. MESMO SENDO NÓS TAO FALHOS E PECADOR.

    ResponderExcluir