01 abril 2010

A VERGONHA

Imagem: Reprodução

Luis Fernando Veríssimo

Que me perdoem os ávidos telespectadores do Big Brother Brasil (BBB), produzido e organizado pela nossa distinta Rede Globo, mas conseguimos chegar ao fundo do poço. A décima (está indo longe) edição do BBB é uma síntese do que há de pior na TV brasileira. Chega a ser difícil encontrar as palavras adequadas para qualificar tamanho atentado à nossa modesta inteligência.

Dizem que Roma, um dos maiores impérios que o mundo conheceu, teve seu fim marcado pela depravação dos valores morais do seu povo, principalmente pela banalização do sexo. O BBB 10 é a pura e suprema banalização do sexo. Impossível assistir ver este programa ao lado dos filhos. Gays, lésbicas, heteros... todos na mesma casa, a casa dos “heróis”, como são chamados por Pedro Bial. Não tenho nada contra gays, acho que cada um faz da vida o que quer, mas sou contra safadeza ao vivo na TV, seja entre homossexuais ou heterosexuais. O BBB 10 é arealidade em busca do IBOPE.

Veja como Pedro Bial tratou os participantes do BBB 10. Ele prometeu um “zoológico humano divertido” . Não sei se será divertido, mas parece bem variado na sua mistura de clichês e figuras típicas.

Se entendi corretamente as apresentações, são 15 os “animais” do “zoológico”: o judeu tarado, o gay afeminado, a dentista gostosa, o negro com suingue, a nerd tímida, a gostosa com bundão, a “não sou piranha mas não sou santa”, o modelo Mr. Maringá, a lésbica convicta, a DJ intelectual, o carioca marrento, o maquiador drag-queen e a PM que gosta de apanhar (essa é para acabar!!!).

Pergunto-me, por exemplo, como um jornalista, documentarista e escritor como Pedro Bial que, faça-se justiça, cobriu a Queda do Muro de Berlim, se submete a ser apresentador de um programa desse nível.Em um e-mail que recebi há pouco tempo, Bial escreve maravilhosamente bem sobre a perda do humorista Bussunda referindo-se à pena de se morrer tão cedo. Eu gostaria de perguntar se ele não pensa que esse programa é a morte da cultura, de valores e princípios, da moral, daética e da dignidade.

Outro dia, durante o intervalo de uma programação da Globo, um outro repórter acéfalo do BBB disse que, para ganhar o prêmio de um milhão e meio de reais, um Big Brother tem um caminho árduo pela frente, chamando-os de heróis. Caminho árduo? Heróis? São esses nossosexemplos de heróis?

Caminho árduo para mim é aquele percorrido por milhões de brasileiros, profissionais da saúde, professores da rede pública (aliás, todos os professores), carteiros, lixeiros e tantos outros trabalhadores incansáveis que, diariamente, passam horas exercendo suas funções comdedicação, competência e amor e quase sempre são mal remunerados.

Heróis são milhares de brasileiros que sequer tem um prato de comida por dia e um colchão decente para dormir, e conseguem sobreviver a isso todo santo dia.

Heróis são crianças e adultos que lutam contra doenças complicadíssimas porque não tiveram chance de ter uma vida mais saudável e digna.Heróis são inúmeras pessoas, entidades sociais e beneficentes, ONGs, voluntários, igrejas e hospitais que se dedicam ao cuidado de carentes, doentes e necessitados (vamos lembrar de nossa eterna heroína Zilda Arns).

Heróis são aqueles que, apesar de ganharem um salário mínimo, pagam suas contas, restando apenas dezesseis reais para alimentação, como mostrado em outra reportagem apresentada meses atrás pela própria Rede Globo.

O Big Brother Brasil não é um programa cultural, nem educativo, não acrescenta informações e conhecimentos intelectuais aos telespectadores, nem aos participantes, e não há qualquer outroestímulo como, por exemplo, o incentivo ao esporte, à música, à criatividade ou ao ensino de conceitos como valor, ética, trabalho e moral. São apenas pessoas que se prestam a comer, beber, tomar sol, fofocar, dormir e agir estupidamente para que, ao final do programa, o “escolhido” receba um milhão e meio de reais. E ai vem algum psicólogo de vanguarda e me diz que o BBB ajuda a "entender o comportamento humano". Ah, tenha dó!!!

Veja o que está por de tra$$$$$$$$$$$$$$$$ do BBB: José Neumani da Rádio Jovem Pan, fez um cálculo de que se vinte e nove milhões de pessoas ligarem a cada paredão, com o custo da ligação a trinta centavos, a Rede Globo e a Telefônica arrecadam oito milhões e setecentos mil reais. Eu vou repetir: oito milhões e setecentos mil reais a cada paredão.

Já imaginaram quanto poderia ser feito com essa quantia se fosse dedicada a programas de inclusão social, moradia, alimentação, ensino e saúde de muitos brasileiros?

(Poderia ser feito mais de 520 casas populares; ou comprar mais de 5.000 computadores )

Essas palavras não são de revolta ou protesto, mas de vergonha e indignação, por ver tamanha aberração ter milhões de telespectadores.

Em vez de assistir ao BBB, que tal ler um livro, um poema de Mário Quintana ou de Neruda ou qualquer outra coisa..., ir ao cinema..., estudar... , ouvir boa música..., cuidar das flores e jardins... telefonar para um amigo... , visitar os avós... , pescar..., brincar com as crianças... , namorar... ou simplesmente dormir. Assistir ao BBB é ajudar a Globo a ganhar rios de dinheiro e destruir o que ainda resta dos valores sobre os quais foi construído nossa sociedade.

Obs.: Este texto foi atribuído a Luis Fernando Veríssímo. Não foi possível averiguar a originalidade.

Fonte: paoeprosa.wordpress.com

Soli Deo Glória.

Pr. Luiz Fernando R. de Souza


6 comentários:

  1. Já é hora de escancarar as portas das vergonhas brasileiras (tudo pluralizado mesmo!) e falar de nossas indignações. Digo nossas porque me identifico com tua posição nesse texto. Seria isso a roupa de sacos e a cobertura de cinzas para nós? Seríamos somente nós cristãos a enfrentar com desprezo esse tamanho desajuste social que se incentiva sobre o Brasil? Bem, o pior é ver em meio a cristãos, o contentamento e a permissividade por tais ações. Como foi bem citado e também é no livro de Paulo aos Romanos (cap 2) a depravação dissimulada está aproximando os homens de uma fatalidade.
    Acheguemo-nos confiadamente ao Senhor e a Sua Palavra onde há e sempre haverá segurança sem sombra de variação.

    SDG

    Gildo
    www.gildocarvalho.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Concordo plenamente com o texto e tenho falado a quantos posso a respeito deste mesmo assunto. Um dos meios que tenho usado é o meu blog:
    http://aiceb-reforma.blogspot.com/2010/02/big-brother-brasil-10-cartado-da-minha.html

    Que Deus nos ajude!

    ResponderExcluir
  3. Prezado irmão Gildo,
    suas ponderações são muito pertinentes. A minha maior inquietação é ver a igreja se alimentando desse besteirol global. Quantas reuniões de oração ficaram vazias porque os cristãos não tiveram tempo para frequentá-las. Quantos foram esvaziados porque o alimento veio do BBB. Ao invés de uma repulsa consciente desse programa os cristãos foram contaminados integralmente.
    Nossa indignação deverá ser sempre manifestada mesmo que se constitua em uma voz que clama no deserto.
    Um forte abraço
    Em Cristo

    ResponderExcluir
  4. Claudio Sampaio (Pr.)4 de abril de 2010 12:30

    Pastor Luiz Fernando,

    Nunca vi este programa. Até quando passa nos comerciais de alguma programação eu troco de canal. Falo abertamente na igreja que isso é lixo. Se existe uma campanha que poderíamos promover é contra este lixo Global. Quem sabe desafiarmos os irmãos de nossas igrejas a orar, ler a Bíblia, reunir-se com a família, ou qualquer outra coisa que não seja nos alienarmos diante desta aberração. Conte comigo numa luta como esta.

    ResponderExcluir
  5. Hermes P. Santos6 de abril de 2010 16:51

    Prezado Rev. Pr. Luiz Fernando,

    Graça e Paz.

    Desconcertante nossa passividade! Vergonhosa nossa incapacidade de mobilização para o bem! O texto, atribuído a Luiz F. Veríssimo - acho que não é dele, mas não importa - faz, de fato, justiça à inteligência dos que veem no BBB um "zoológico humano" exposto no seu pior, não no seu melhor, heróico, como sugeriu o jornalista Pedro Bial.
    O que devemos nos perguntar é: Por que o pior nos atrai, em vez do melhor? Por que a morbidez, em vez do viço da vida? Por que a leviandade, em vez da seriedade e da responsabilidade? Por que o vergonhoso, em vez do virtuoso? O BBB expõe, na verdade, em alguma extensão, os valores de nossa cultura: sua popularidade (altíssimo nível de audiência em horário nobre do maior veículo de comunicação de massa no Brasil - a Rede Globo) e a verdadeira veneração de que é alvo seus atores (participantes) apenas revela quanto se comunga desse lixo moral, como verdadeira propriedade simbólica das massas. A decadência da Globo não é senão a decadência da sociedade brasileira - de alguma maneira, a Globo produz os valores da sociedade (causa) tanto quanto reproduz os valores desta (efeito). Daí que a simples demonização da Rede Globo também não resolve nenhum problema; se ela não o faz, as outras o farão, pois estão atrás do mesmo motor, o dinheiro.
    Precisamos aprender a responder às mídias: nossa resposta opera nas relações de consumo, como reflexo de nossa posição ideológica, ou seja, importa criar a cultura de consumir apenas o produto culturalmente relevante, edificante, engrandecedor, que não contribui para a destruição de nossa concepção de verdade, de nossos sensos de pudor, de justiça e de responsabilidade. Precisamos apenas aprender a dizer "não", a produzir, no discurso e na ação, a interrupção da maldade obscena que as mídias veiculam com: a) nosso consentimento tácito; b) nossa baixa exigência para a fruição estética; c) nossa impassível falta de senso crítico. Fomos criados para a verdade, para a beleza e para a justiça, assim como fomos criados para a glória de Deus. Abdicar dessas coisas em algum momento, na medida em que promovem a dignidade do ser humano, implica também, por extensão, comprometer ainda mais a perda da imagem de Deus em nós.

    Um abraço fraterno!

    ResponderExcluir
  6. Pastor Luiz,
    Retorno prazerosamente ao seu blog e sou impactado, não tanto pela postagem original.Impressionou-me, sobremaneira, o contundente comentário do Hermes P.Santos.
    Temo no entanto que, em época de combate à farsa da Teologia da Prosperidade,o lixo moral que ora deploramos gere a insurgência dos "globais".
    Eles arrazoarão que lixo por lixo é melhor ver o BBB do que Silas e Cerullo; Silas e Murdock;os Soares e o Waldemiro.
    Diriam eles, a julgar pelos números crescentes registrados naquele marcador de "sócios" do Clube do bilhão, que o pior também estaria nos atraindo,ao invés do melhor.
    Imagino que eles fariam os mesmos cálculos da mensagem, e os resultados iriam superar os cálculos do José Neumani. Diriam que se apenas dez mil pessoas ofertassem um mil reais a arrecadação do malfadado clube superaria a da Globo e da Telefônica...e perguntariam: Quanto sobra para o bolso dos Malafaias e seus asseclas? Dá pra comprar mais aviões?
    A Bíblia,nos ensina a dizer "não" à obsceneidade daquela maldita Teologia, mas o que fazer além de orar e criticar com veemência as atitudes desses cambistas vendilhões energumênicos da Palavra? "Fazendo Assepsia Geral", "As Sementes do Mal" e tantas outras postagens são nossos recursos bélicos para esta guerra.
    Se atentarmos agora para o vergonhoso affaire entre o Walmediro,o R.R.Soaes e o bispo Macedo,veremos que temos também um zoológico humano divertido para o entretenimento dos ímpios, com lobos, raposas, cobras, hienas,
    abutres,etc.
    Eu até que gostaria de seguir as instruções de Paulo a Timóteo em 1Tm 1:4, mas preciso ser loquaz quanto a não frivolidade desta teologia, pois ela, em que pese ser uma deslavada mentira, uma ilusão; ter animais como personagens, como se numa fábula, não me permite desdenhá-la por ter como objetivo uma lição contrária aos princípios bíblicos que vem subvertendo o nosso povo, levando-o ao sofrimento e à descrença.

    Infelizmente, preocupo-me também com a genealogia, pois os intrujões envolvidos, corruptos como os antigos amorreus, denotam ser descendentes de longinquos ancestrais como Acaz, Manassés e Amom. Estes, como aqueles, só fizeram o que era mau perante o Senhor,
    Socorra-nos pastor Luiz!
    Ajude-nos Senhor!
    Seu conservo em Cristo.
    Alberto Couto Filho

    ResponderExcluir