10 fevereiro 2010

PRECISAMOS VOLTAR PARA A PALAVRA


http://www.youtube.com/watch?v=sQhuVEb7wIE
Este vídeo do pastor David Wilkerson pregando em uma igreja na Rússia me levou a ponderar algumas coisas:
1. Que a obra do Espírito Santo na vida do cristão não o tira do equilíbrio, nem o faz ter reações exóticas como uivar como lobo, rastejar como cobra, rir sem parar etc.
2. Que as tão faladas unções do Espírito nada têm a ver com a unção para testemunhar o evangelho salvador do Senhor Jesus Cristo.
3. Que o Espírito Santo me faz ter misericórdia de quem precisa de misericórdia.
4. Que a obra do Espírito Santo tem a ver com o convencimento do pecado, da justiça e do juízo ou julgamento.
5. Que não existem novas revelações a serem dadas aos cristãos que choquem com a Palavra.
6. Que as unções de prosperidade propagadas pelos famigerados pregados da Teologia da Prosperidade fazem mais mal do que bem. Quem são embustes deflagrados sobre o povo de Deus visando tão somente o enriquecimento pessoal.
7. Que encher os bolsos dos pregadores, como aconteceu na Assembléia de Deus do Brás em São Paulo, e uma aberração. Que estes comportamentos exóticos somente denigrem a imagem do Evangelho e enfraquece o vigor da igreja, fazendo que a mesma se torne em escárnio para a sociedade.
8. Que desde que os neo-pentecostais entraram em cena, com suas orgias litúrgicas, onde somente se prega a prosperidade financeira em detrimento da salvação do individuo, a doutrina do dízimo vem sofrendo ataques estapafúrdios, como reação contra as aberrações praticadas pelos gananciosos.
9. Que o Espírito Santo veio revelar e exaltar o Senhor Jesus e nunca o homem.
10. Que os estragos perpetrados pelos vendilhões do templo já foram longe demais.
11. Que os cristãos precisam confessar seus pecados e confrontar abertamente esses comportamentos escandalosos em nosso meio.
12. Que as denominações históricas precisam alçar suas vozes e apontar o caminho de volta ao puro Evangelho.



Soli Deo Glória.


Pr. Luiz Fernando R. de Souza

14 comentários:

  1. Corretissimo pastor. Deus abençoe semprer.

    Joelson Gomes
    http://gracaplena.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Prezado Pr. Joelson,
    obrigado pela visita e que o Senhor continue a nos abençoar.

    ResponderExcluir
  3. A verdade vai sobrepor a imbecilidade,
    fico imaginando comos os irmãos que estão
    na Rússia,que a pouco tempo não tinham
    acesso a palavra de DEUS,enxergam e escutam
    essas mensagens de doutrina da prosperidade,
    eles devem ficar confusos.Em quem acreditar ,
    na biblia ou nessas teorias?

    ResponderExcluir
  4. Prezado Pr. Luiz Fernando,

    Graça e Paz da parte de Cristo, Aquele que não nos confunde, por ser Ele mesmo sua Fonte.

    Quem quiser ver o avanço da apostasia nesses dias, tal como jamais houve, basta acessar alguns vídeos que mostram "milagreiros" das bênçãos e unções especiais e os "vendilhões" da teologia da prosperidade, os quais são realmente estarrecedores. No Chile, um deles - autointitulado bispo - afirmou ter estado por 8 horas no céu, fora do corpo; arrancava estrepitosos gritos e ovações de sua congregação numa pseudo-prédica que passa dos 90 minutos. Ah! Sua congregação conta com cerca de 20.000 pessoas, todas elas ávidas por milagres e "bênçãos especiais". Há pouco, esse infeliz estava em sua igreja realizando milagre do ouro. Isso mesmo: ouro! Enquanto pregava, dizia para as pessoas que estava caindo ouro. Exames laboratoriais posteriores revelaram o engodo: o tal "ouro" era, na verdade, bronze e chapiscado, uma imitação de ouro. O falso milagre chamara a atenção da TV no Chile, mas o fiasco posterior foi ainda mais contundente. Não muito tempo depois, esse bispo foi desalojado de seu enorme templo, por conta de uma dívida com um empresário de Santiago na monta de $33 milhões - escapa-me se se trata de dólar ou moeda local. Em São Paulo, um autoproclamado Apóstolo teve um de seus megatemplos fechado pela Prefeitura da Cidade. Alegou perseguição. Um companheiro seu de mídia, conhecido pastor e pregador de prosperidade, fez coro ao reclamo do outro, afirmando que está havendo perseguição ao evangelho no Brasil.
    Ora, vejam só. Perseguição!? O que está havendo é falta de vergonha, mesmo! Quando esses perdulários, amealhadores de fortuna a partir da credulidade e ingenuidade de gente simples, falsos ministros, agentes de Satanás têm seus probleminhas legais, então é perseguição. Bem aventurado quem é perseguido por causa da justiça (cf. Mt 5,10), não os que são perseguidos por causa de falcatruas, de ambição pessoal, de falta de decoro público, de respeito à gente simples da qual eles pilham o suado dinheiro.
    Mais uma vez, parabéns pela manutenção desse espaço voltado à santa indignação contra essa "fanfarra gospel" que assola nosso país.
    Um abraço de seu amigo de sempre,
    Hermes

    ResponderExcluir
  5. LC 21:8 - Disse então ele: Vede não vos enganem, porque virão muitos em meu nome, dizendo: Sou eu, e o tempo está próximo. Não vades, portanto, após eles.

    Quero parabenizar-lhe pelo comentário realizado.

    ResponderExcluir
  6. Queridos, permitam fazer um comentário propositivo. Não sou neófito no evangelho e não são "novas" as coisas relatadas pelo Pastor David ( autor do livro a Cruz e o Punhal ). Felizmente a Iggreja do Senhor não se confunde ou não reflete nenhuma denominação, ministério, momento histórico da Igreja, movimento, seja passado, presente ou futuro. A igreja tem um palpel a cumprir como proclamadaora e testemunha da Pessoa e do Poder de Cristo Jesus. Não há um "evangelho" a se voltar, nem um novo evangelho a se proclamar. Há o mesmo evangelho que nós, a cada geração, dá ou não conta de proclamar. O Diabo zomba dos encaltos é , de fato a sua especialidade. A cada um ele procura emperrar a sua vida cristã, de um ou outro modo pegando cada um pela sua própria concupiscência. A uns ele oferece alternativa como luzes que pipocam comofoguetes em fim de ano, a outros ele paraliza de modo que a sua fé nãotraga nenhum resultado. Acompanho blogos e sites de cristãos de todas as denominações e poucos são recomendáveis a quem conhece o evangelho promovendo o crescimento da fé. A grande maioria tráz informações bíblicas ambíguas, "exclarecimentos" espúrios e psosicionamentos absolutamente desnecessários. Para mim a Bíblia em primeiro lugar, a mesma que pode iluminar espiritualmente a mais simpels das pessoas. Depois a comunhão com Deus no mesmo nívelde Simeão que tomou Jesus menino nos braços ou da profetisa viúva que permanecia todos os dias no templo em jejuns orações.
    Caro Pr. Luiz Fernando, proponha a n[ós, deus leitores, ações práticas de como promover um avivamento da velha Palavra de Deus nos dias de hoje.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  7. Caro Pr Luiz Fernando, como estou de folga estou com mais tempo apra visitar os blogs dos irmãos e amigos. Sou amigo do Jorge a muitos anos (mais de trinta acho...)tenho um grande apreço por ele e por toda a sua família. Permita voltar a tecer um comentário a respeito do registrado em sua postagem. Li "A Cruz e o Punhal" no início da minha conversão, acho aos 17 anos, mais ou menos.O testemunho dele certamente não deixou lugar a nenhuma dúvida sobre o evangelho de Jesus e poder de transformação que só ele possui. Temos basicamente, com variantes de país, para país, dois perfis de ministros: os muito simples e sem bases óbvias para o ensino e os bastante cultos e educados, até exageradamente. Dos dois lados a homens e mulheres de profunda experiência com Deus mas que também devam ter uma ou outra incongruência bíblica, na maioria das vezes humanamente superáveis ou sustentáveis. Há entretanto dos dois lados e particularmente de um deles, ministros que promovem verdadeiros desastres na igreja,já explico. Um ministro de origem simples, popular, será malhado faça o que fizer, errando ou acertando. Porém ministros com currículo invejável são sempre bem recebidos no seio eclesiástico e denominacional. Suas idéias os antecedem em livros que vendem aos borbotões e sem tem nomes estrangeiros aí que a vaca vai para o brejo. As grandes massas de crentes brasileiros de origem mais simples não dão bola para esse tipo de gente, mas as elites são contaminadas facilmente. Só há uma solução nessa batalha por espaço.Cada um que não se dobra e não se contamina com as asneiras deve ser mais aplicado na obra de Deus e anteceder a elas.Quando há um vácuo esse certamente será ocupado em maior ou menor medida por alguém mal intencionado ou desprevenido. Um abraço.

    ResponderExcluir
  8. Prezado anônimo Fred,
    realmente é algo terrível ter de compartilhar estas aberrações com outras culturas. Só que mais cedo ou mais tarde também chegarão por lá. Ninguém, em nenhuma cultura está a salvo destas práticas nefastas. Precisamos nos apegar à Palavra e nela nos firmamos cada dia mais.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  9. Prezado irmão Hermes,
    já tinha visto os vídeos sobre este pastor chileno. É de estarrecer. Vou postar um texto aqui no blog sobre um sujeito em Uberlândia que está transformando bijuterias em ouro e diz que é pelo poder do Espírito Santo. Literalmente transformaram a obra de Deus em covil de salteadores e o que mais me espanta é que aqueles que detêem o poder da mídia nada dizem sobre tais assuntos. Estão todos calados usufruindo as benesses que lhe sobram.
    Uma vergonha total.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  10. Prezado irmão Gastone,
    realmente espíritos enganadores atuam nesses dias. O que poderia detê-los não está sendo praticado, que é a exposição bíblica no poder do Espírito Santo.
    Obrigado pela visita
    Um abraço

    ResponderExcluir
  11. Prezado irmão Luiz,
    tenho recebido seus emails e acompanhado suas postagens. São excelentes. Agradeço sua visita.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  12. Prezado irmão Helvécio,
    seus comentários são sempre pertinentes. Acredito que volta à Palavra é necessário, pois, as heresias são o afastamento da mesma ou distorções.
    Realmente cada geração deve viver a Palavra em seus contextos e isso precisa ser transferido de geração em geração. O que estamos presenciando é apostasia do puro Evangelho sim, e isso tem trazido um mal estar enorme para a Igreja. Vale repensarmos nossas posturas diante destas aberrações.
    Sua vista enriquece este blog.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  13. Prezado irmão Helvécio,
    a questão não está centralizada em pouca ou muita cultura, em pregadores terem nome e visibilidade ou não, mas sim em se manter a fidelidade à Palavra. Tanto os pregadores sem cultura quanto os culturalmente agraciados devem ser manter fieis à Palavra, pois, esse é o compromisso de cada fiel expositor da Palavra.
    O que temos visto é que "grandes" pregadores formam tendências e os "pequenos" pregadores copiam tais tendências acriticamente. Daí termos a formação de comportamentos exóticos em todos os níveis. Concordo com o irmão que diz que existe uma luta por maior espaço e isso se deve à ganância. Foi o que aconteceu na década de 80 do século passado entre Jimmy Swaggart e Jimmy Backer, o que acarretou o desastre dos dois e uma tremenda vergonha para a causa de Cristo.
    Que o Senhor se apiede de todos nós.
    Um grande abraço

    ResponderExcluir