13 setembro 2012

PASTORES DIVORCIADOS – CAMINHO SEM VOLTA - VERGONHA PARA IGREJA


Tenho observado com muita tristeza e indignação a nova tendência de pastores divorciarem por qualquer motivo e insistirem em permanecer nos púlpitos, igrejas e ministérios como se nada tivesse acontecido. Uma das características do ministério pastoral é o pastor ser marido de uma só mulher. Deus em sua santa Palavra se pronuncia contra o divórcio várias vezes e mesmo assim aqueles que deveriam dar exemplos de boa convivência familiar vivem o contrário daquilo que pregam e ensinam. Isso faz com que o ministério pastoral seja alvo de pessoas menos qualificadas, com passados conturbados e um presente angustiante tentando ancorar suas vidas derrotadas no porto do ministério pastoral. As igrejas, por sua vez, ao aceitarem tais comportamentos estão cedendo espaço para o mundanismo e mesmo acolhendo o pecado onde deveria haver santidade. Sei que ao abordar tal tema mexerei em caixa de marimbondo e desagradarei a muitos, mas como este comportamento está se tornando em exemplo para muitos jovens pastores, creio que algum contra ponto deva ser manifestado.
Por que o pastor não deve ser divorciado?
Quero ressaltar que escrevo sobre pastores que divorciaram porque cometeram adultério ou mesmo abandonaram seus lares para formarem outros sem base bíblica para tal. Outros casos de divórcio serão analisados em outro momento.
1.     Porque Deus não favorece o divórcio.
Lemos em Mal. 2:16 uma clara reprovação do Senhor. Isso deveria bastar para um cristão normal, muito mais para um que foi “chamado” por Deus. Deus em sua Palavra aponta para uma liderança sólida e esta solidez tem seu alcance na vida familiar. O plano de Deus é que os pastores sejam exemplos de vida familiar.
2.     Porque os pecados sexuais mancham o povo de Deus.
O pastor longe de manchar o povo de Deus deve cuidar dele com o amor de pai ou mãe. Esse é retrato claro que o apóstolo Paulo apresenta em I. Ts. 2:7; 11 “Antes fomos brandos entre vós, como a ama que cria seus filhos. Assim como bem sabeis de que modo vos exortávamos e consolávamos, a cada um de vós, como o pai a seus filhos”. Sendo o pastor um líder na igreja qual a melhor qualificação teria senão a liderança espiritual em sua própria família? Se quisermos conhecer um homem e sua liderança, se ele vive uma vida exemplar, se ele é coerente, se pode ensinar, exemplificar a verdade, conduzir as pessoas à salvação, à santidade e ao serviço de Deus, então observe os relacionamentos mais íntimos de sua vida e veja se ele consegue cumprir essas coisas. Observe sua vida familiar. Aí você tem a fonte de boas informações. Muitos homens trabalham duro na obra de Deus, mas não conseguem levar seus filhos a uma vida de piedade e temor ao Senhor. Tais homens não se qualificam para o ministério pastoral, pois o ministério pastoral é um processo de paternidade em que o pastor deve ser capaz de liderar seu povo tanto por meio de sua vida como através de seus preceitos e a igreja necessita de alguma indicação que isso ocorre com seus pastores e esta indicação é o lar.
Para a maioria dos homens a família é a arena em que se pode avaliar a liderança espiritual. Um pastor que destrói sua família através de pecado sexual está destruindo a si mesmo.
3.     Porque a moralidade sexual é o padrão para o ministério pastoral.
Na carta de Paulo a Tito está escrito: “Aquele que for irrepreensível, marido de uma mulher, que tenha filhos fiéis, que não possam ser acusados de dissolução nem são desobedientes”. Aqui vale destacar que no grego a expressão “marido de uma só mulher” quer dizer literalmente: “homem de uma só mulher”. Aqui está uma afirmativa paulina enfática e aguda. “homem de uma só mulher”, deve ser padrão para o ministério. Mas como preencher esta característica se o pastor caiu em adultério, divorciou-se e contraiu novo matrimônio? O pastor deve ser o primeiro a dar o exemplo de moralidade para sua congregação e isso com um testemunho robusto de uma vida familiar saudável. É incompatível imoralidade com ministério pastoral. Fica evidente que a capacidade de um homem em conduzir o próprio casamento e lar indica sua capacidade de administrar a igreja local (I. Tm. 3:4-5).
4.     Porque a imoralidade sexual desqualifica para o ministério pastoral.
A Bíblia ensina claramente que se alguém falha no campo da moralidade sexual está desqualificado de vez para o ministério pastoral. Com certeza, queremos que aqueles que caíram em pecado sexual sejam restaurados para o Senhor e a comunidade, mas as qualidades ou qualificações bíblicas exigidas de alguém que pregue a Palavra de Deus e seja identificado como pastor excluem dessa função em uma igreja que deseja agradar a Deus.
Muitos acham que se os pastores que caíram em pecado se arrependerem e pedirem perdão a Deus, tudo estará resolvido. Ledo engano. O perdão de Deus não traz de volta a qualificação ou as qualidades obrigatórias para o ministério pastoral. A primeira qualificação que Paulo aponta para aquele que deseja ser pastor é ser irrepreensível. Irrepreensível no grego é anengklêtos, literalmente o pastor não será reprovado, em outras palavras será “inculpável”, ou estará “livre de ressalvas”, “sem ter por onde pegar”. Logicamente irrepreensível não se refere a uma perfeição impecável, caso contrário nenhum homem estaria qualificado para o ofício, mas a um padrão elevado e maduro que implica em um exemplo coerente. É exigência de Deus que seu despenseiro viva de maneira santa, de tal forma que sua pregação nunca seja contraditória ao seu estilo de vida, que suas faltas nunca tragam vergonha ao ministério e sua conduta não mine a confiança do rebanho no ministério de Deus.
O apóstolo Paulo entendia perfeitamente a rudeza do ministério pastoral. Sabia que deveria se apresentar sempre qualificado para o ministério dai dizer: “Antes subjugo o meu corpo, e o reduzo à servidão, para que, pregando aos outros, eu mesmo não venha de alguma maneira a ficar reprovado”. I Cor. 9:27.
Deus não qualifica os não chamados e nem chama os nãos qualificados.
5.     Porque a imoralidade sexual do pastor leva a igreja a ser envergonhada.
Como a igreja pode ser padrão para o mundo se a começar por sua liderança a imoralidade é vivida e aceita como normal? Como falar de moral e apontar para um patamar superior se sua liderança já rolou ladeira abaixo? A igreja perde seu poder de salgar e iluminar quando sua liderança se tornar insípida e sem luz. O pastor é o cartão de visitas de uma igreja. Tal pastor, tal igreja. A estatura moral e intelectual de uma igreja nunca será maior que a de seu pastor. Uma igreja nunca excederá a estatura de seu pastor.  Um pastor que desonra uma igreja caindo em pecado sexual a está empurrando ladeira abaixo da vergonha. Esta igreja será desprezada pela comunidade na qual está inserida. Sua voz terá sido arrancada pelo pecado de seu pastor.
6.     Porque muitos membros da igreja seguirão o exemplo do seu pastor.
Muitos casamentos se sustentam porque vêm nos pastores exemplos a serem seguidos. Mas se a liderança rompe com sua família qual exemplo terão para seguir? Com qual moral pastores divorciados aconselharão casais em crise? Mas acho muito difícil que alguém que passe por uma crise conjugal busque aconselhamento com aquele que não conseguiu levar seu lar adiante.
Termino com uma palavra para os pastores.
·        Que tenhamos a firmeza de permanecermos fieis à nossas esposas diante dos apelos do mundo, da carne e do diabo.
·        Que diante das crises conjugais encontremos na oração, na Palavra e no dialogo os caminhos da reconstrução de nossos lares.
·        Que no embate da luta tenhamos um companheiro fiel e idôneo em que possamos confiar e partilhar nossos temores e dores.
·        Quando as ondas da vida tentarem afundar nossas famílias, que possamos falar com aquele que acalma o mar.
·        Que possamos esperar o agir do Senhor e não nos precipitarmos no caminho do divórcio.
·        Nem sempre nossa visão de uma situação corresponde à realidade. Não confiemos em nossos sentimentos, mas nos fiemos na Palavra.
·        Lembremo-nos que maior é Deus.
·        Voltem-nos para a Palavra que diz que: “Meus irmãos, tende grande gozo quando cairdes em várias tentações; Sabendo que a prova da vossa fé opera a paciência. Tenha, porém, a paciência a sua obra perfeita, para que sejais perfeitos e completos, sem faltar em coisa alguma”. Tg. 1:2-4
·        Que esteja claro para nós que o Senhor nosso Deus é soberano e tudo dirige e age para o nosso bem.

Soli Deo Gloria

Pr. Luiz Fernando R. de Souza


60 comentários:

  1. Concordo plenamente com o artigo do Pastor Luiz Fernando. A falta de seletividade por parte dos crentes permite que isso aconteça. Igrejas fracas espiritualmente, cheias de pecados, formadas por pessoas descomprometidas com a salvação em Cristo e sem formação socio/cristã alguma gera pastores assim. Pastores sem formação teológica, que acreditam apenas em um pseudo chamado ministerial e - despreparados - lançam-se a carreira pastoral.

    Muito cuidado igreja! Abram os olhos para lobos vestidos de ovelhas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amado A questão não è se tal pessoa tem Teologia ,o problema è de carater.Quantos Pastores Renomados cairam em adulterio,concordo que o servo de Deus tem que Estudar as Escritura.Ofator predominante ai è o temor a Deus .

      Excluir
  2. PALAVRA MARAVILHOSA , É CHEGADO A HORA DE NOS POSICIONARMOS CONTRA O DIVÓRCIO , MUITOS ESTÃO LEGALIZANDO O QUE A BÍBLIA CONDENA ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu caro colega Pr. Alberto,
      sua visita enriquece este blog. O colega está 100% correto. A igreja precisa denunciar como pecado e engano aquilo a Palavra desprova.
      Um forte abraço
      Em Cristo
      Pr. Luiz Fernando

      Excluir
  3. Prezado colega Pr. Carlo Ribas,
    infelizmente as igrejas estão virando abrigo para os desqualificados. Minha mulher teve contato com uma amiga que lhe disse que em uma grande igreja aqui em BH há um pastor que somente entrou para o ministério por questão financeira. Absurdo, mas uma realidade. Realmente o despreparo e o descompromisso são fundamentos para as atrocidades que temos visto.
    Um forte abraço
    Em Cristo
    Pr. Luiz Fernando

    ResponderExcluir
  4. Se um cristão foi traído pela esposa e ela o deixou ,ele pode se casar de novo ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado irmão Carlos,
      a palavra de Deus nos aconselha o perdão. Já aconselhei pessoas nesta situação que optaram pelo perdão e hoje são excelentes conselheiros matrimoniais. Mas caso não haja possibilidade de um conserto o cristão está livre para um novo casamento conforme Paulo nos aconselha em I Cor.7:10-15 "10 Todavia, aos casados mando, não eu mas o Senhor, que a mulher não se aparte do marido.
      11 Se, porém, se apartar, que fique sem casar, ou que se reconcilie com o marido; e que o marido não deixe a mulher.
      12 Mas aos outros digo eu, não o Senhor: Se algum irmão tem mulher descrente, e ela consente em habitar com ele, não a deixe.
      13 E se alguma mulher tem marido descrente, e ele consente em habitar com ela, não o deixe.
      14 Porque o marido descrente é santificado pela mulher; e a mulher descrente é santificada pelo marido; de outra sorte os vossos filhos seriam imundos; mas agora são santos.
      15 Mas, se o descrente se apartar, aparte-se; porque neste caso o irmão, ou irmã, não esta sujeito à servidão; mas Deus chamou-nos para a paz".
      O que virando moda é cristão casado com cristão buscarem o divórcio por qualquer motivo e ainda achar que um novo casamento será melhor esquecendo-se que comete pecado ao fazê-lo.
      Um forte abraço
      Em Cristo
      Pr. Luiz Fernando

      Excluir
    2. Uma dúvida: no versículo 11 Paulo afirma que se o marido se apartar que fique sem casar ou se reconcilie com ele. Isso é uma recomendação ou uma oredem ?

      Excluir
    3. Irmão Carlos,
      o versículo 10 responde sua pergunta. "10 Todavia, aos casados mando, não eu mas o Senhor, que a mulher não se aparte do marido".
      Deus o abençoe ricamente.
      um abraço
      Pr. Luiz Fernando

      Excluir
    4. Desculpe a insistência, mas no fim das contas o divorciado pode se casar em caso de adultério ? Sim ou não ?

      Excluir
  5. É Luizão, mexeu num vespeiro, ta lotado de gente assim! e agora pra piorar, os cantores " gospel " vão cobrar por execução de suas músicas na Igreja! estamos vivendo dias difíceis! Não se cale, siga em frente!

    Guilherme Herrera!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oi antonio tenho saldades quando igrja era igreja pastor era pastor crente era crente
      hoje pr e empresario igreja empresa e crente mercadoria
      ]

      Excluir
  6. Discurso duro e talvez sem olhar pra si mesmo, tem pastores divorciados dentro de casa e os filhos ditos crentes, acho radical posicionar que até pastores onde não consegue levar filhos a Deus estão desqualificados. Cuidado pra não cair amanha neste erro e ser morto pelas proprias palavras

    " Muitos homens trabalham duro na obra de Deus, mas não conseguem levar seus filhos a uma vida de piedade e temor ao Senhor. Tais homens não se qualificam para o ministério pastoral"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. concordo consigo, pena ser anonimo.. efetivamente a nossa vida deve ser pautada pelo amor, perdão e não condenação, mas sim correçao em amor... tao fácil julgar, e condenar... aquele que nao pecou atire a primeira pedra..

      Excluir
  7. Caro Pr. Luis Fernando,

    Paz e Bem!

    Saudades do Teologia em Debate!

    Penso que o pastor divorciado, seja ele vítima ou o causador, não tem condições psicológicas, morais e espirituais para continuar a frente de uma comunidade de fé. O bom senso diz que ele deve afastar-se e restaurar-se por completo. Para depois, se for o caso, pensar no segundo casamento. Já o ministério pastoral, penso eu, é muito difícil exercê-lo nessas condições.

    Um abraço,

    M.O.O.
    Rio de Janeiro, RJ.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu prezado irmão Prof. e Teólogo Marcelo,
      Realmente este tipo de pecado desqualifica por completo quem o pratica e esteja no ministério pastoral. A igreja precisda reagir e se posicionar contra tais comportamentos.
      Mas vale o princípio exarado pelo apóstolo Paulo em I Cor. 10:12 "Aquele, pois, que cuida estar em pé, olhe não caia". Há uma tradução que diz: "Quem pensa estar de pé, cuidado para não cair".
      Que o Senhor tenha misericórdia de todos nós.
      Um forte abraço
      Em Cristo
      pr. Luiz Fernando

      Excluir
  8. Concordo com a matéria escrita, no entanto, o trecho "O perdão de Deus não traz de volta a qualificação ou as qualidades obrigatórias para o ministério pastoral" não me parece pertinente. Duas passagens bíblicas que me fazem duvidar de sua proposição são: a parábola do filho pródigo e o reinado de Davi.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezada irmã Claúdia,
      agradeço sua visita e seus comentarios. Quanto aos seus argumentos vale lembrar que Davi não era pastor de igreja e sim rei e o filho pródigo realça somente o perdão de Deus nada mais. Quando um pastor peca conforme o texto do blog ele perde sua característica inicial que o apóstolo Paulo destaca como irrepreensivel. Veja o que a língua grega diz sobre este termo no texto e ai você poderá refazer suas ponderações. Veja o exemplo de pastores que cairam em adultério e observe que sempre serão lembrados pelos seus pecados. É uma pena, mas continua sendo uma dura verdade.
      Deus a abençoe abundantemente.
      Em Cristo
      Pr. Luiz Fernando

      Excluir
    2. Claudia, eu estava me preparando para dar minha posição quanto ao assunto pertinente, quando me deparei com sua resposta que por sinal é a mesma minha, e vou mais além, sabe porque? E se for o contrário, ou seja, quando a mulher insistir em não mais continuar casado com o pastor? Será que ele, o pastor, o qual ainda continua com sua virilidade masculina em pleno vapor, não poderá mais se casar? Não querendo ser radical, mas não concordo plenamente com o assunto abordado. Eu creio que a palavra de Deus em Gêneses, onde se lê: "Portanto, o que Deus uniu, não separe o homem", se deu por uma questão organizacional, ou seja, Deus regulamentou o casamento justamente para que não houvesse uma banalização, mas mesmo assim isto está acontecendo. Se mesmo com uma determinação Divina o homem se endurece,então, como ficaria a parte prejudicada? Estaria fadada pelo resto de sua via a viver no pecado de adultério, já que poderia mais se casar? Há me poupe né! Creio que exista casos e mais casos, e cada um deles diferentes uns dos outros. Pergunto, como faria o ilustre pastor, se sua esposa, que Deus o livre e o guarde, sua esposa o traísse? O exemplo, não dou como ofensa, apenas para reflexão, com todo o meu respeito.

      Excluir
  9. Olá, Pastor Luiz Fernando. Texto excelente, concordo plenamente, mas vejo que não podemos usar a exigência paulina "marido de uma só mulher" para falar de casos de divórcio. É esmagadora a opinião dos estudiosos que sabem que Paulo está falando ali da bi, ou poligamia.

    Todavia, concordo que pastor divorciado nestas circunstâncias que o irmão restringiu no texto "quero ressaltar que escrevo sobre pastores que divorciaram porque cometeram adultério ou mesmo abandonaram seus lares para formarem outros sem base bíblica para tal" não podem mesmo assumir o ministério.

    Espero outros comentários sobre casos contrários (pastores que foram traídos ou abandonados).

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado colega Pr. Cleilson,
      sei das colocações sobre as várias interpretações, mas gostaria de lembrar que o aquilo que o apóstolo Paulo falava não era sobre poligamia ou bigamia, ou sobre casamento ou divórcio. A questão não ver com o estao civil do prebítero/pastor, mas com sua purezamoral e sexual. Essa qualificação é a primeira da lista porque é nessa área que os líderes são mais propenso a cair. Falarmos de poligamia ou bigamia é deixarmos de lado alguns pontos importantes como: A poligamia não era comum na sociedade romana e era claramente proibida nas Escrituras (Gn. 2:24), nos ensinos do Senhor Jesus (Mt. 19:54); Mc. 10:6-9) e nos de Paulo Ef. 5:31). Um poligamo ou bígamo não podia seque ser membro, muito menos um líder da igreja.
      A verdade é que precisamos nos firmar na Palavra e pedirmos ao Senhor misericórdia para que nós não sejamos achados desqualificados para o ministério.
      Deus abençoe ricamente sua vida, família e ministério.
      Um forte abraço
      Em Cristo
      Pr. Luiz Fernando

      Excluir
    2. Prezado Pr. Luiz Fernando
      No geral concordo com a sua posição bíblica no que diz respeito a pastores cujo divórcio decorre de sua exclusiva culpa ou escolha´. Já nesta questão específica tenho dificuldade em entender quando diz que a bigamia e poligamia está claramente proibida em Gn 2:24. tal afirmação esquece toda a história do AT em que os homens de Deus que são fiéis e exemplos, como o caso de Abraão, tiveram mais que uma mulher e filhos de várias mulheres. esta era a prática corrente e aceite naqueles tempos e que nunca foi proibida diretamente por Deus.
      Claro que hoje a situação é totalmente diferente, nem vale a pena tentar dar a volta à verdade.
      Bênçãos de Deus.
      Manuel Moreira

      Excluir
  10. Bom-dia Pastor Luiz Fernando. Já faz um tempo que recebo as atualizações de seus posts em meu e-mail e é sempre um prazer ler seu blog, pois o senhor consegue de forma firme, inteligente e espiritual, explicar bem os assuntos a que se refere.
    Quanto ao divórcio, concordoo plenamente com o irmão. É uma triste realidade o que temos visto, de homens que se divorciaram e continuam a ministrar. Só fiquei com dúvida no caso de o pastor ser o traído por exemplo e se divorciar...ele não pode continuar seu ministério pastoral mesmo assim? Aguardo a resposta e estou seguindo o blog do irmão e peço que quando possível, o irmão visite o meu: www.jovensemcristobrasil.blogspot.com Que Deus abençõe!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Irmã Lucilene,
      creio que o pastor quando traído pode se casar novamente, pois Paulo assim nos orienta em I Cor. Ele não, no caso de ser traído não foi o originador do fato, mas vale lembrar que em termos de casamento ninguém erra sozinho. Para um futuro relacionamento uma profunda sondagem deverá ser feita para descobrir onde ou como falhou em termos de parceiro.

      Excluir
    2. Pr Luiz, meu amigão.
      Concordo plenamente com esta sua resposta à irmã Lucilene. Há muita "parte inocente" aí que nada mais é que "parte negligente". A negligência dele traz a indecência (carência) do cônjuge à tona e ele fica de bonzinho. É preciso sondar e com profundidade.
      Um abração,
      Pastor Paulo Emanuel.

      Excluir
    3. Pr Luiz, meu amigão.
      Concordo plenamente com esta sua resposta à irmã Lucilene. Há muita "parte inocente" aí que nada mais é que "parte negligente". A negligência dele traz a indecência (carência) do cônjuge à tona e ele fica de bonzinho. É preciso sondar e com profundidade.
      Um abração,
      Pastor Paulo Emanuel.

      Excluir
    4. Pr Luiz, meu amigão.
      Concordo plenamente com esta sua resposta à irmã Lucilene. Há muita "parte inocente" aí que nada mais é que "parte negligente". A negligência dele traz a indecência (carência) do cônjuge à tona e ele fica de bonzinho. É preciso sondar e com profundidade.
      Um abração,
      Pastor Paulo Emanuel.

      Excluir
    5. Pastor Luiz, meu amigo.
      Li sua resposta à irmã Lucilene e concordo com ela. Há muito pastor posando de bonzinho por aí, como o traído, quando na verdade ele não é parte inocente e sim, parte negligente. Então, é preciso sondar, porque há muita parte inocente que é negligente em casa, não dá assistência afetiva à esposa e então , como as ovelhas não vêem o cabra por dentro, acabam caindo nesta astúcia. Bola pra frente, irmão. Tem que passar pente fino mesmo.
      Um abração,
      Pr Paulo Emanuel Doro Pereira

      Excluir
    6. Nao concordo com o divorcio por dureza de coraçao,mas o que estou vendo em questao é que os comentadores do faor divorcio estao tratando do assunto de forma aspera a ponto de dizer:''tem que passar o pente fino''existem divorciados amargurados pelo fato de vviverem uma situaçao nao desejada mas por consequencia da vida tiveram que se adaptar a essa situaçao nao seria ai que jesus disse: a nao ser por adultério,mesmo assim creio que exista comentadores despreparados querendo tratar deste assunto que requer emocional para os vitimados por consequencia sem retorno e exortaçao biblica aos que assim usam Como nos tempos de Moises.precisamos ser mais coerentes e argumentar com segurança de conhecimento de causa olhando para nós mesmo pois tenho certeza que alguns pastores que estao sendo condenado e expulso pela vontade dos super pastores nao foram condenados por Deus e estao desempenhando seus ministerio de nova vida e abençoados por Deus vamos ter o cuidado no que estamos acusando os outros pelo fato de nos sentirmos super pastores diante desse fato ja entendi que nós os seres humanos nao julgamos igual a Deus caso é um caso vamos pedir sabedoria ao pai que nos dá a verdadeira sabedoria.aqueles que querem muitas veses sondar nao tem jamais o espirito de discernir pelo espirito que assim faz de forma discreta dando lugar a misericordia de Deus as nossas igrejas estao cheias de juizes condenando sem a permissao de Deus.

      Paulo souza.

      Excluir
  11. Olá , passei pela net encontrei o seu blog e o achei muito bom, li algumas coisas folhe-ei algumas postagens, gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns, e espero que continue se esforçando para sempre fazer o seu melhor, quando encontro bons blogs sempre fico mais um pouco meu nome é: António Batalha. Como sou um homem de Deus deixo-lhe a minha bênção. E que haja muita felicidade e saude em sua vida e em toda a sua casa.
    PS. Se desejar seguir o meu humilde blog,Peregrino E Servo, fique á vontade, eu vou retribuir.

    ResponderExcluir
  12. Excelente Pastor. Eu penso da mesma maneira que o senhor. Mas o que fazer se o pastor da minha igreja pensa de outra forma? Abraço! Deus abençoe!

    ResponderExcluir
  13. Estimado Pastor:
    É muito triste para quem quer levar Cristo a sério, ver e ser ministrada por gente desta categoria cá em Portugal, onde a família passa por todo tipo de pastor.
    Contudo as mulheres passam por muito sofrimento nesta nação sem ter um ponto de referencia, onde o casamento não é ensinado a luz dos princípios bíblicos, quando se toca em assuntos sérios como este dizem cada um vai dar contas a Cristo, a irmã ou o irmão não deve levar isto em conta, olhe por sua vida ,não olhe os erros dos outros, e dentro da igreja os sérios passam por dor e sofrimento e a contaminação chega um ponto que lutamos mas desfalecemos, porque o ensino é terrível e não temos a maturidade que queremos, ficamos nem frios e nem quentes, doentes , coxos, mancos, doentes e perdemos a visão humana e espiritual e humana. Ficamos inertes. Afinal que luta e que dor no coração ao ponto de nos enfartar por fome da palavra e prática. A família se perde, ninguém se entende, os maus exemplos corrói a alma . O que fazer ? Se a moda agora aqui é pastores divorciados, mulheres também , e o mal exemplo chega a todos.Saimos deste clíma , onde estão os homens irrepreensíveis, se dentro de casa é uma coisa, na igreja é outra? Os filhos abandonam , fazem o que querem? Como uma mulher que busca pode suportar tal doença?Será que a vida destas mulheres será um holocausto a vida toda sem ver a glória de Deus?Onde esta a verdade debaixo de tanta mentira, obscuridade, ocultismo, hipocrizia, encantamento, etc... Meu Deus onde esta DEUS, para curar e dar a estas esposas de pastores paz e vida?

    ResponderExcluir
  14. pr.ananias alves oliveira16 de novembro de 2012 06:10

    ola caro colega,é a primeira vez que entrei no seu blog.concordo com tudo o que vc. sitou e digo aqueles que tenham duvidas quando o pastor é traido.penso que ele pode casar de novo ,se não houver como reconciliar.mas creio que ele não está mas apto para o ministerio pastoral. ainda que seja eu ou outro qualquer.não deixo de ser salvo,mas não sirvo para o ministério pastoral. amém pr. ananias alves oliveira(pr. batista)CBB-go

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado colega Pr. Ananias,
      grato poE sua visita ao blog. Realmente fica difícil um pastor que caiu em adultério permanecer no ministério. Penso que o pastor traído não está impedido para o ministério, pois não o impetrante do pecado mas seu conjuge. Temos orientação quanto isso nos evangelhos.
      Deus abençoe seu ministério ai em Goias e lhe confira saúde, paz e equilíbrio diante da vida.
      um forte abraço
      Em Cristo

      Excluir
  15. ESTOU NO PRIMEIRO ANO DO SEMINARIO TEOLOGICO COM INTUITO DE ME PREPARAR PARA A CHAMADA DE DEUS QUE E EMINENTE NA MINHA VIDA, NO PRIMEIRO SEMESTRE, FUI VITIMA DE UMA TRAIÇAO DE MINHA ESPOSA, QUE EMBORA NAO SEJA CONVERTIDA ANALISANDO PELO OS SEUS FRUTOS, FREQUENTAVA A IGREJA NORMALMENTE, NA PRIMEIRA INSTANCIA ME AFASTEI DELA, MAIS DEPOIS VOLTEI COM INTUITO DE RECONCILIAÇAO, MAIS ELA DECLAROU QUE NAO ME AMA MAIS, E AGORA TORNOU PUBLICO NA CIDADE ONDE MORAMOS O SEU RELACIONAMENTO COM O SEU AMANTE,E ME PEDE INSISTENTEMENTE O DIVORCIO, EU AMO AO SENHOR JESUS DE TODO O MEU CORAÇAO, E FERVE DENTRO DE MIM O CHAMADO DE DEUS NA MINHA VIDA, MESMO ASSIM TENHO QUE ABANDONAR A MINHA CHAMADA DE DEUS POR QUE A MINHA MULHER RESOLVEU ME ABANDONAR E TER UM OUTRO RELACIONAMENTO COM OUTRA PESSOA. ESTOU MEIO CONFUSO POIS DENTRO DE MIM A CHAMA PELO O CHAMADO TEM SE AQUECIDO MAIS AINDA, POIS ESTOU TENDO MAIS SEDE DE BUSCAR A DEUS, E ME ENTREGAR AO CHAMADO DELE NA MINHA VIDA, A MINHA PERGUNTA E A SEGUINTE
    POSSO MESMO DIVORCIADO NESTAS CIRCUNSTANCIAS SER MINISTRO DA PALAVRA DE DEUS?, OU ATE MESMO ME CASAR?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu irmão anônimo,
      veja a resposta à sua indagação na resposta ao comentário anterior. Se não lhe satisfizer escreva-me novamente.
      um abraço
      Em Cristo
      Pr. Luiz Fernando

      Excluir
  16. Sou Pastor de um pequeno rebanho. Cresci na igreja e sou Teólogo. Gostaria apenas de deixar um “pequeno” testemunho. Casei aos 19 anos. A mulher da minha mocidade estava com 17 anos. Trabalhamos muito. Tivemos 3 filhos maravilhosos. O mais velho é formado a do meio já está na metade do curso de engenharia e o menor no 1 ano científico. Como já falei, trabalhamos muito, mas só há quatro anos nossa vida financeira começou a melhorar. Após um acidente fui aposentado e resolvi me doar mais a obra de Deus. Trabalho na obra e recebo apenas uma ajuda de custo para manutenção do nosso carro. No começo minha esposa estava do meu lado, mas aos poucos ela foi se envolvendo com o seu trabalho e a faculdade, já não havia tempo para trabalhar ao meu lado na obra. Mesmo sentindo a sua falta, procurei compreender a sua posição, pois como já falei, casamos muito jovens e não tivemos tempo para dedicarmos ao curso superior. O tempo que tínhamos era para criarmos nossos filhos, foi uma barra, mas ao lado dela perpetraria tudo de novo. Para mim, casamento deve ser para toda vida. Tivemos muitas brigas, até por que éramos muito jovens inexperientes e fazíamos de qualquer coisa uma tempestade. O tempo passou, ficamos mais velhos, ela continua linda, os seus olhos são os mesmos pelos quais me apaixonei há mais de 25 anos atrás. Desde cedo me envolvi na obra de Deus. Hoje tenho mais de 45 anos, e quando pensei que a nossa vida iria melhorar fui surpreendido com o pedido de divórcio. A minha esposa, a mulher da minha vida. A mulher que eu resolvi honra com fidelidade. Ela me pediu que eu fosse embora dizendo que não tinha nada em comum comigo, com exceção dos filhos. Pensei: como assim, casamento é para toda vida! Mesmo pedido a ela que não fizesse tal coisa, (eu não saberia como viver sem a sua companhia) Ela ficou inflexível em sua posição. Deu entrada no divórcio, logo depois desistiu. Por causa da sua família, que não apoiava a sua posição. Continuamos separados. Eu sofri e sofro por está longe dela, mas pior do que isso era estar perto dela e não atê-la mais. Passei a residi na casa da minha mãe, por quanto, e deixei-a com a casa. Comecei a ser tratado como estranho, como um homem sem nenhuma importância em sua vida. Tentei buscar todas as soluções possíveis, para salva a maior riqueza que Deus meus deu, meu casamento. Cheguei a pedi misericórdia. Nada adiantou. Não suportei mais e dei entrada no divórcio. Não podia mais suporta está ligado apenas por um papel que, na prática, não representava mais nada para ela. Tem sido uma decisão difícil pra mim, sempre acreditei que casamento era para toda vida. Devo continuar a frente da obra de Deus, sendo um divorciado? Como aceitar essa condição? Eu sou culpado? Sou um fracassado? Esses e outros pensamentos têm norteado a minha mente. Minha luta interior tem sido grande, às vezes penso que vou sucumbi. Mas a graça de Deus me faz acorda todos os dias e encarar essa triste e lamentável realidade. O divórcio ainda não saiu. Continuou a frente da congregação, Não sei por quanto tempo. Casamento deve ser pra vida toda, mas por causa da dureza do coração do homem (homem e mulher) há exceção. Um grande abraço e fiquem com Deus! Obs: Não quero causar constrangimento por isso me apresento como anônimo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querido Pastor, acredito que em algum momento vc perdeu o foco de seu casamento. O homem é a cabeça do lar, assim sendo vc é o reponsável pelo possível fracasso de seu casamento. O fato de vc ter sido chamado ao ministério não dar o direito de seus filhos e mulher sofrerem por seu chamado, afinal de contas pastor é vc e não eles. O pastor dever ser bivocacionado, 1) para cuidar de sua família (como chefe, deve ser o provisor, responsável pelo alimento espiritual e material do lar, deve amar a todos); 2) deve ter tempo para apacentar, cuidar, de vidas, a igreja nos leva a isso.

      Mas lembre-se deve ter muita sabedoria para andar por esses dois pontos de um lado família e do outro igreja.

      Pr Fábio

      Excluir
  17. Sabe o que mais, me espanta, é ver o mundo la fora sendo corrompido, pessoas se perdendo , nas drogas, prostituição, pessoas que não conhecem a Cristo, Igrejas preocupadas, com quem esta no púlpito, com sua imagem como cristão, igrejas cheias de bajuladores, uns dos outros em uma disputa desenfreada e competitiva, em quem é mais aprovado ou não, uma guerra de Cristãos, sobre quem tem mais unção, criticando uns aos outros , julgando uns aos outros, e na verdade não vejo a Igreja (corpo de cristo ) nas ruas alimentando o faminto, pelo contrário alimentam a sua língua, vamos buscar os perdidos, os que conhecem a verdade deixe que Deus cuida deles.
    Tg 3:8 " mas dentre os filhos dos homens, não há quem possa sujeitar a língua. Este é um mal que não admite freio, esta cheio de veneno mortífero..."

    Características do Poder da Língua sem freio,Sem comandante e sem limites:O Governo da língua são palavras de rebelião e de maledicência.Satanás entrou na serpente por causa da sua língua. Estava cheia de veneno mortífero.Toda a língua que não se sujeita a um freio, não tem comando, não tem limites, pertence a uma serpente e deve ser destruída pelo antídoto do seu próprio veneno. ( Pr. Luís Mello)

    ResponderExcluir
  18. gostaria de uma opiniao dos irmao...
    caso o pastor cometa adulterio,e se arependa confesse seu pecado,busque se reconciliar com a sua familia ,restaure seu casamento,sera que tambem ele nao pode ser restaurado no ministerio ?,veja quando o pastor cai em adulterio ele perde tudo ,a tempos ja perdeu sua comunhao com Deus,agora ele cai em si ,sabendo que o salario do pecado e a morte,ele e resgatado pela Graça Divina,ele confessa seu pecado sabendo que lhe sera tirado tudo e quem sabe ate a vida,seus amigos de ministerio vao tratalo como um doente altamente contagioso (ja que ministerio e lugar de homens inreprensiveis)nao tendo nenhum apoio ,uma vez que abandonou o pecado agora ele vive apenas com a culpa,nao tem como prover sustento de sua familia ,porque se o pastor peca nao tem direito a nada,e nem a sua inocente familia,que foi vitima do pecado,tem que sair da casa pastoral morar de favor,ja que aquele espasso que outrora foi a casa daquela familia tem que ser desenfetada para receber um novo Santo,o pastor pecador fica rotulado ,sua familia e despresada pelo ministerio ja que e a familia de um pecador que nao merece misericordia,o pastor perde todos seus amigos ja que tudo que ele contruiu estava ligado a igreja...
    sem nada sem ninguem ele busca lutar para prover sustento para sua familia e pedi misericordia a Deus para poder reconstruir sua familia,e pede força a Deus para poder suportar as criticas humanas de ter se transformado na vergolha do evangelho...
    sera que este homem merece a morte,sera que existe misericordia,sera que existe perdao,sera que existe amor,sera que pela sua queda ele nao mais seria pastor,sera que aquilo que Deus um dia colocou na vida deste homem seria tirado por Deus ou seria tirado pela sociedade de Santos...
    sera que a queda deste homem nao tem um proposito,sera que Deus nao pode restauralo...
    sabe e triste que pelo que vejo,nos acreditamos nos humanos queremos mais ver pessoas perfeitas doque pecadores arependidos,nao falo que um pastor deva cair no pecado,se separar,viver em adulterio,falo que acredito na misericordia e restauraçao do pecador,independente do titulo,hoje temos muito prazer em usar a biblia,para matar falar que nao mais salvaçao para pecadores nao sou teologo sou um leigo iguinorante ,que acredito na misericordia de Deus e em sua soberania,que ele pode curar um pastor caido uma pessoa que se separou,seja ela o erado ou nao acredito que Deus pode ajudar a todos os que tem pecados revelados ou ok tem encobertos,basta confesar e pedir misericordia e sair do pecado que gera a morte...
    meus argumentos sao simples mais que Deus tenha miseicordia de todos os pecadores na face da terra seja ele como for ...

    ResponderExcluir
  19. TRAI MINHA ESPOSA UMA UNICA VEZ E ESTOU DISPOSTO A NAO FAZER MAIS DEVO CONFESSAR A ELA ? NO CASO ,NAO SOU PASTOR MAS ISTO INTERFERE NA MINHA CHAMADA MINISTERIAL ?

    ResponderExcluir
  20. Que palavra maravilhosa, que o Espirito de Deus continue te esclarecendo.

    ResponderExcluir
  21. Amado Pr. Luiz Fernando, s Graça e a Paz do Nosso Senhor e Salvador Jesus sejam sobre ti e toda sua casa.
    Acerca do tema em tela, homens divorciados antes de se converterem ao Senhor Jesus, o que o senhor pensa a respeito deles exercerem ministério pastoral ou outros na Casa do Senhor?
    Que o Senhor Jesus abençoe ricamente seu ministério, vida e toda sua casa.

    ResponderExcluir
  22. Meu mano, Apostolo das Alterosas! Quando dará o ar da vossa graça no Vale do Aço. Parabéns pelo post.. Muito bom.. Só quero dizer uma palavra para aqueles que ajuízam contra o outro sem conhecer a causa, sem se atentar aos fatos. Como disse nosso Mestre: atire a primeira pedra os que não pecaram nesta área” com meu “acréscimo”. Embora casados no cartório, sejam muitos divorciados na carne, assim como eu, diz o Apostolo Paulo. I.Co.6.16. Ou não sabeis que o que se ajunta a uma prostituta se torna um só corpo com ela? Está escrito: Os dois serão uma só carne. Se casou virgem ta na benção, senão "divorciaram tantas quantas relações tiveram antes de ir ao cartório" Pense nisso! Sou contra o divorcio. 25 anos casado com a mesma mulher. Mas não tive a graça de casar virgem, conheci o evangelho muito tarde.
    Um abraço fraternal de seu mano!

    Pr. Adilson de Souza.

    ResponderExcluir
  23. Meu mano, Apostolo das Alterosas! Quando dará o ar da vossa graça no Vale do Aço. Parabéns pelo post.. Muito bom.. Só quero dizer uma palavra para aqueles que ajuízam contra o outro sem conhecer a causa, sem se atentar aos fatos. Como disse nosso Mestre: atire a primeira pedra os que não pecaram nesta área” com meu “acréscimo”. Embora casados no cartório, sejam muitos divorciados na carne, assim como eu, diz o Apostolo Paulo. I.Co.6.16. Ou não sabeis que o que se ajunta a uma prostituta se torna um só corpo com ela? Está escrito: Os dois serão uma só carne. Se casou virgem ta na benção, senão "divorciaram tantas quantas relações tiveram antes de ir ao cartório" Pense nisso! Sou contra o divorcio. 25 anos casado com a mesma mulher. Mas não tive a graça de casar virgem, conheci o evangelho muito tarde.
    Um abraço fraternal de seu mano!

    Pr. Adilson de Souza.

    ResponderExcluir
  24. tem rasão pastor eu vivo querendo me divociar mas temo a Deus e agora depois de ler esse artigo Deus nunca ar de Deixar qui eu me divocio do meu Marido

    ResponderExcluir
  25. Abençoado ensino Pr. Luiz.
    Minha dúvida eu e meu ex marido casamos somente no casamento civil, ja vi alguns estudos que o mesmo não é válido para Cristo, casamos pra fazer a obra de Deus e após muitas traições acreditei que o que ele queria era ter uma outra vida. Ele hoje já está casado e eu presa no medo de um novo relacionamento. A mim será que me é permitido um novo casamento sem peso na consciência!? Vivo neste tormento espiritual, hoje me encontro fora da obra de Deus... 😢

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezada irmã, Paulo nos ensina claramente em I. Cor. que quando a outra parte trai estamos livres para um novo relacionamento. Se Deus lhe indicar um novo companheiro, vá em frente e seja feliz para glória dEle.
      Um abraço.
      Em Cristo

      Excluir
  26. Meu irmão ou irmã anônimo/a, se quiser falar comigo sobre algum assunto, meus contatos estão no meu perfil.
    Deus abençoe ricamente.

    ResponderExcluir
  27. Pr. Olhando em seu blogg percebi que o Senhor é da Igreja Batista, mandei uma msg anönima para o senhor para me direciona como proceder com um pastor da Assembleia de Deus que destruiu minha vida e claro que sou culpada tão quanto ele durante 5 anos e 3meses, hj ele se encontra no Pübito pregando a palavra e o ministério apoiando ele...Eu gostaria muito de um conselho se me desabafar com alguém que vejo que és um escolhido de Deus, eu já sofri muito e sofro até hj, por último ele me disse que tá fazendo um propósito com Deus, mais me pediu pra eu esperar caso de alguma coisa errada. Será que é justo uma pessoa destruir a família de uma mulher, e depois subir só pubito para pregar a palavra a muitos que estão presente esperando a palavra de um homem infiel e com um propósito tão sordido desse...resumindo se ele conseguir ser quem era antes ele fica na igreja enganando as pessoas, e se não ser certo ele vem atrás de uma mulher que ele destruiu a vida sendo conhecedor da palavra. Gostaria muito de conversar com o Senhor ou a Senhora sua esposa para me ajudar a continuar lutando e me orientar como devo agir. Pq minha vontade é de que ele saia de cima do Pubito e pare de enganar a quem têm bom carater e não engane a mais ninguém. Pode me dizer qual sua operadora e se posso conversar com o senhor ou ao menos me esclarecer como devo agir...

    ResponderExcluir
  28. Pr. Luiz Fernando, um pastor casado que vive 5 anos com outra mulher e a esposa legítima sabendo disso, ao romper o relacionamento com suposta amante pode regressar na vida Ministerial novamente depois de ter pedido perdão para o pastor presidente atual do campo?

    ResponderExcluir
  29. Não. A vida dupla é sinal de um total afastamento do Senhor nosso Deus. Simplesmente pedir perdão não é sinal de arrependimento. O que aconteceu para que ele largasse a amante? Qual fator crítico foi gerado para que houvesse esse rompimento? Se para tal pastor uma vida de bigamia era normal, porque não o é agora? Quem garante que não fará isso com outra mulher? Seria este comportamento o indicado para um homem de Deus? Este tal pastor adúltero já está desqualificado para o ministério a muito tempo. “Antes subjugo o meu corpo, e o reduzo à servidão, para que, pregando aos outros, eu mesmo não venha de alguma maneira a ficar reprovado”. I Cor. 9:27.
    Deus o abençoe.

    ResponderExcluir
  30. O divórcio é terrível, mas há perdão para quem se divorciou sim, independente do motivo, há perdão SIM, se de fato houve arrependimento verdadeiro. Não concordo com recasamento, mas também não concordo com este texto do pastor, que diz que pastor divorciado não pode exercer seu ministério, PODE SIM, se ele errou, pecou se divorciando independente do motivo e se arrependendeu, desde que fique sem se casar, pode exercer seu ministério pastoral sim!

    ResponderExcluir
  31. Pr.Luiz Fernando,paz amado, o que preocupa é a banalização do casamento pela dureza dos corações como nos dias de Moisés. que Jesus denunciou, o amor esfria, acaba o sentimento e o tal do "não sinto mais nada por você" depois de um dos cônjuge ou os dois negligenciarem tudo sobre a vida conjugal.vem a afirmação que o casamento acabou a muito tempo, então o divorcio é solução para não ter que " empurrar com a barriga" para o mundo isso é normal mas lamentável para o cristão validar o que Deus odeia. Ml.2:16. é realmente terrível .

    ResponderExcluir
  32. Pastor a verdade é que o Senhor disse o que diz as Sagradas Escrituras. Mas uma coisa me incomoda e as Sagradas Escrituras no meu pequeno conhecimento não abordaram esse tema. O tema é violência doméstica contra a Mulher. Tema delicado que eu em minha longa vida em igrejas evangélicas percebi que muitas mulheres eram humilhadas por seus maridos e até apanhavam deles. Complicado, né? Eu acredito que nesse caso onde as mulheres sofrem tanto e escondem tanto o que sofrem devem se divorciar. Ocorre que a violência é tanta que elas têm medo de apanhar, de outras coisas e de achar que viverão em pecado se tentarem outro casamento. Aliás, precisamos falar sobre machismo na igreja.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade minha irmã. Abordei somente a questão do adultério pastoral. Sei que a violência contra a mulher existe na igreja. Sei que muitas sofrem caladas e estão trancadas em seus mundos interiores. Abordarei em outra postagem este assunto. Obrigado por sua visita ao blog.

      Excluir
    2. Verdade minha irmã. Abordei somente a questão do adultério pastoral. Sei que a violência contra a mulher existe na igreja. Sei que muitas sofrem caladas e estão trancadas em seus mundos interiores. Abordarei em outra postagem este assunto. Obrigado por sua visita ao blog.

      Excluir
  33. Pastor o que escreveste está nas escrituras se eu for de encontro ao mencionado vou de encontro às escrituras sagradas. No entanto, um fato não foi mencionado nelas: a violência contra às mulheres. Infelizmente muitas mulheres nas igrejas sofrem com machismo de seus maridos, apanham deles, são humilhadas, traumatizadas, tem medo de abandonarem esses monstros por causa que as escrituras não mencionaram caso de agressão à mulher e eles as ameaçam constantemente. Precisa-se falar sobre machismo nas igrejas. Eu vejo muitos pastores humilhando suas esposas. Eu fico revoltada com isso e sempre tento ajudar. Eu acho que nesse caso o divórcio é válido. Precisa-se falar nisso nas igrejas. É um pecado se omitir diante de tanta violência. Muitas mulheres têm medo de seus maridos. Medo de apanhar em casa. Medo deles brigarem porque elas não fizeram coisas na igreja conforme eles queriam que elas fizessem. O que tu dizes disso? O divórcio é válido?

    ResponderExcluir
  34. - A Assembléia de Deus Ministério do Belém já aceita o divorcio, a Igreja Metodista Wesleyana a mesma coisa e muito triste.

    ResponderExcluir