04 março 2010

ACORDE IGREJA



Existe um clamor vindo dos céus, rompendo as barreiras humanas e destronando os principados e potestades comovendo o coração da igreja para um retorno ao puro evangelho. Este clamor aponta para uma retomada de posição diante das blasfemas posturas assumidas por aqueles que tentam facilitar as decisões diante de Deus. Deus não se rebaixa para mudar seus padrões, mas eleva o homem para que este consiga viver no padrão dEle.
O que temos visto é um evangelho sem cruz e evangelho sem cruz não pode provocar arrependimento e contrição necessários para salvação. A banalização e a idiotização do evangelho tem levado a igreja para sarjeta moral, cultural e social. Nossos cantores gospel estão embriagados com as possibilidades de sucesso, vários pastores perderam a simplicidade da Palavra e estão drogados por números, as igrejas estão poluídas por uma teologia espúria e anti-bíblica. Pregadores da prosperidade envergonham e denigrem o Santo Evangelho do Senhor Jesus Cristo e o pior é que o povo de Deus tem sacrificado suas mentes, valores e princípios no altar do pragmatismo, de Mamon e da vida fácil. Nossos cultos tendem a ser festivos e atrativos para que as pessoas se sintam bem em nossos ambientes. Muitos pastores são ávidos em oferecer as bênçãos de Deus como se esse fosse o caminho real para uma transformação de vida. O que precisa ficar bem claro para todos é que não existem bençãos sem primeiro passar pela Cruz. Sem Cruz não existe vida cristã. Sem vida cristã andamos em círculos espiritualmente.
Metanoia é a palavra da vez. Metanoia deve ser para o ímpio e para o cristão. Nunca foi tão urgente um arrependimento em largas proporções. Para o cristão urge um arrependimento de obras mortas. De obras e comportamentos que ofendem a Deus. Uma Metanoia capaz de rasgar o coração e desnudar perante Deus nossas intimidades, pecados, pensamentos e sentimentos. Neste nível veremos um grande despertamento na igreja. Veremos o Espírito apontar para Jesus Cristo e engrandecê-lo. Veremos e experienciaremos uma comoção social de tal proporção que milhares e milhares virão aos pés do Salvador. Ou acordamos agora e damos meia volta ou veremos o juízo começar pela casa de Deus.
Que nós pastores alcancemos arrependimento pela nossa indiferença, descrença e abandono das verdades fundamentais da Palavra. Que choremos pelos nossos pecados. Que nós ministros do altar derramemos lágrimas diante do Todo Poderoso e alcancemos corações puros pelo Sangue de Jesus. Que voltemos a pregar o Evangelho sem fazermos barganhas para enchermos nossas igrejas. Que sejamos intransigentes com os valores do Reino e apontemos a suficiência da Palavra e do Salvador para as necessidades dos homens. Que primeiro nos alimentemos da Palavra para depois termos alimento para darmos ao povo. Que paguemos o preço de sermos a voz que clama no deserto, mas que sejamos íntegros diante dos descalabros apresentados. Que sejamos os modelos de humildade, justiça e de santidade.
Que a igreja se arrependa de ser tão mundana em nossos dias. Que a presença de Cristo seja real em nossos cultos. Que nossa adoração seja verdadeira e espiritual e não espetáculos para engrandecimento de homens e do sistema. Que olhemos para Jesus autor e consumador da nossa fé. Que a igreja seja limpa de mãos e pura de coração para subir ao monte do Senhor. Que intimidade do Senhor seja realidade para aqueles que O temem.
Que venha sobre nós a chuva do Espírito. Que Deus orvarlhe sobre nós Sua Graça e que nos encharquemos dela. Que a igreja tenha um só coração e mente para servir somente a Cristo e entronizá-lo como Senhor.

Soli Deo Glória.

Pr. Luiz Fernando R. de Souza

8 comentários:

  1. Pr. Luiz Fernando,

    a sua indignação é a de muitos, e a sua exortação não é somente pertinente mas necessária, fundamental. Encontramo-nos em uma espécie de dormência espiritual, anestesiados com toda a sorte de "substâncias" que nos tiram do foco: o Evangelho de Cristo.

    A ele agregamos práticas mundanas, estratagemas humanistas, métodos antibíblicos, na ilusão de que estamos a dar uma "mãozinha" para Deus, quando estamos colaborando com o inimigo.

    Por isso, o amor de muitos esfriará, porque honram a Deus com os lábios quando deviam fazê-lo com o coração; porém, a Igreja, o Corpo do Senhor, ainda que vivendo num mundo de engano e corrupção, estará segura em suas mãos, preservada pelo seu poder, a cumprir a obra que lhe foi destinada. Ela, a despeito de todas as invencionices e delírios da mente humana, continua a servi-lo, proclamando e vivendo o Evangelho de Cristo.

    Forte abraço, meu irmão!

    Cristo o abençoe!

    ResponderExcluir
  2. Estimado Pr. Fernando! Isto não é um Post somente. De jeito nenhum. É um Sermão, uma pregação que nos incita a olharmos para dentro de nós e vermos o que pensamos sobre a Igreja e o que pretendemos fazer com ela a partir de agora. Obrigado pela reflexão. Peço permissão para expor o conteúdo em meu Blog. Paz em Cristo Jesus!

    ResponderExcluir
  3. Prezado colega Rev. Eugênio,
    agradeço suas palavras de incentivo e pode publicar sim. Vamos continuar lutando para preservar a verdade sempre.
    Um abraço
    Em Cristo

    ResponderExcluir
  4. Prezado irmão Jorge,
    muito bem colocado. Deus se basta por si mesmo e é suficiente para Sua obra. De alguma maneira isso que acontece há de mudar e espero que vejamos as mudanças.
    Um grande abraço
    Em Cristo

    ResponderExcluir
  5. Querido irmão e Pastor Luiz.
    Graças a Deus, que ainda há homens de Deus, divulgando as verdades da Palavra de Deus, pois não podemos tampar o sol com uma peneira.
    A verdade e uma só: Jesus Cristo morto e ressuscitado ao terceiro dia, evqangelho 100%, sem abajulamento, sem passar a mão na cabeça de cobras, pois um dia fomos essas cobras,mas pela Graça de Deus, Ele nós lavou com sangue de seu Filho amado na cruz, ultimo sacríficio.E ponto.
    Ou a gente se rende a Jesus Cristo e este crucificado,ou então se renderemos de uma vez por todas aso diabo; Não tem meio termo, ou e filho de Deus ou filho do diabo. e Ponto.
    Pastor Luiz, que Deus continue lhe abençõando ricamente.
    Marcos Biazoli.
    http://ibpalavradedeus-biazoli.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Olá queridos,a engrandecido seja o Nosso Senhor, mas isso não é demodo algum novo. O ue é novo é proproção com que essas coisas acontecem, a igreja, particularmente a evangélica tem mais gente, o mundo tem mais pessoas. os temperamentos, as experiências individuais derterminam as atitudes. Alguns são 8 e outros 8 mil.Uns excedem desvairadamente nas suas ações e outros nem se mexem. Uns se movimentam sem o mínimo de temor e autocrítica e outros só são críticos e não conseguem se mover para lado algum. Espero que tenham visto o documentário que registra um avivamento recente nas ilhas Fiji e entre os esquimós. Não só é encorajador como desejável. Uma constatação percebida é ue um avivamento quebra tanto as chamadas "novas estruturas", as novidades inconscistentes como as "velhas estruturas" e tanto uma como outra coisa não é desejada de fato. Um evangélico verborrágico ainda que recheado de conhecimento bíblico e sem manifestação de nenhum poder não mudará o mundo. Um simples adaptação cultural e a pirotécnia que enche os olhos também não. É, na verdade, um desafio que somente homens e mulheres sinceramente apaixonados pela obra de Deus e tendo a visão correta de seus propósitos e prontos a largar qualquer espécie de comodismo, seja social ou religioso, poderão se engajar. Aluns dos irmãos podem estranhar as minhas posições que permanecem coerentes. Se há algo errado sendo feito, façamos melhor. Podem me questionar: se sabe como seria por que você mesmo não faz? Trabalho e família tem sido o meu projeto e sou responsável por eles,pelo menos por agora,mas se tivesse engajado em um ministério saberia o que fazer. Três anos de ministério foram suficientes para uma tomada de posição. Se estão verdadeiramente angustiados e sabem o que deva ser feito, desculpe a franqueza, falamos entre irmãos, que amamos o mesmo Senhor, se coloquem diante do Senhor, e deixem ser usados por Ele na causa nobre em que acreditam. Certamente, não digo que seja o seu caso, caro pastor Luiz Fernando, não fazem sequer o mínimo do que poderiam realmente fazer.

    Deus, o nosso Senhor , os abençoe ricamente.

    ResponderExcluir
  7. AMEM,q seja assim
    pq qual é a diferença das indulgência q a igreja católica prega?agora vc ñ dá oferta e dízimos com o coração agradecido,e com alegria,ñ, sempre visualizando uma benção agora ou lá na frente,mais ninguem quer tomar a sua cruz e seguir a jesus,quer tudo como se coloca no microondas,há como estão enganados,Ele dá sim ,mais qnd quer e como quer ,E SE QUER DAR,pq quem é q decide é ele,
    Leia os caps de Jó:38 E 39
    Esse povo se esquece quem é Deus,eu sei q ñ é de barganha.
    meu vers favorito é o de Fl:4,9
    q o Espírito santo levante pregadores cheios do temor e tremor,e q as Boas Novas sejam pregadas com todas as verdades q ele nos deixou
    AMEM?

    ResponderExcluir
  8. O evangelho genuíno que se pregava,foi deixado de lado ao longo do tempo.Quando se fazia um apelo para os que queriam uma vida renovada com cristo,muitos iam convictos de que eram pecadores e precisavam converter para o bom e vivo caminho de cristo.Normalmente,hoje, é pregado a teoria da prosperidade´,evagelho mais
    fácil,tudo virá com muita prosperidade e rapidez.Os novos convertidos vão vivendo uma
    vida de muita ansiedade e esperando de DEUS respostas rapidas de orações determinadas.
    E assim caminha a nossa igreja, sempre aguardando o que fazer para obter as respostas
    mais rapidas possivéis de DEUS.
    abraço
    fred fredil@ig.com.br .

    ResponderExcluir