25 fevereiro 2011

A LUTA CONTRA O VAZIO - BBB


"Respondeu-lhes pois Simão Pedro: Senhor, para quem iremos nós? Tu tens as palavras de vida eterna". Jo. 6:68.

A luta do homem moderno é para preencher o grande vazio existencial. A busca por entretenimento, por conhecimento da vida de pessoas famosas (fofocas), por curiosidades e fórmulas artificiais, realça este vazio. Meios artificiais são criados pelas mídias televisivas para prender a atenção dos assistentes. Se observamos seus conteúdos, veremos que são inversões totais de valores. A moralidade é desprezada, a gentileza banida, a cultura depreciada etc. premiando-se a estupidez, a força física (estética) e a hediondez. Este vazio aumenta quando a sociedade se alimenta destas coisas. Vemos a perpetuação da maior mostra de vazio existencial, BBB. Milhões de lares são expostos e afetados pelo conteúdo deste vileza. Nossos filhos são expostos a comportamentos bizarros, anticulturais, anti-sociais e mesmo imorais. Aprendem os modos mais perversos de comportar em relação ao sexo, absorvem comportamentos imaturos e erráticos em relação ao enfrentamento das crises da vida e tomam para si como padrões vivenciais a mentira, o engano, a traição e a competição desonesta. Eles ainda colherão os frutos destes momentos em suas vidas futuramente. Realmente é uma inversão de valores.
O pior é que milhares de cristãos se posicionam a favor desta vileza usando a desculpa que aprendem como o mundo está perdido. Na realidade, escondem também seus vazios existenciais. Com certeza, após esta falácia do BBB, milhões de lares ficaram mais pobres. O diálogo em família é substituído pela imbbbecilidade do BBB. As brincadeiras em família são desprezadas em detrimento do BBB. A oração familiar e individual morre nestes dias. Enfim, todos perdem muito por tão pouco.
Santo Agostinho orou assim: "Senhor tu nos criaste para Ti e só alcançaremos descanso em ti". O mesmo Agostinho disse: "Existe um vazio no homem que é do tamanho exato de Deus". Deus disse através do profeta Jeremias: "Porque o meu povo fez duas maldades: A mim me deixaram, o manancial de águas vivas, e cavaram cisternas, cisternas rotas, que não retêm as águas". Jer. 2:13
Enquanto o homem não voltar para Deus, fonte de vida, encontrar-se-á lutando contra seu vazio existencial. Enquanto Cristo não for entronizado nos corações, o homem terá fome e sede pelo transcendente e nada o satisfará.
Como você está? Cheio da melancolia do BBB? Com raiva porque quem saiu era seu candidato? Ou frustrado consigo mesmo por perceber que tudo não passa de ilusão?
Somente o Senhor Jesus Cristo pode trazer significado para a vida.

Soli Deo Gloria

Pr. Luiz Fernando R. de Souza

17 fevereiro 2011

QUE LINGUA POSSUÍMOS?




Tiago 3:6-10
"A língua também é um fogo; como mundo de iniqüidade, a língua está posta entre os nossos membros, e contamina todo o corpo, e inflama o curso da natureza, e é inflamada pelo inferno. É um mal que não se pode refrear; está cheia de peçonha mortal. Com ela bendizemos a Deus e Pai, e com ela amaldiçoamos os homens, feitos à semelhança de Deus. De uma mesma boca procede bênção e maldição. Meus irmãos, não convém que isto se faça assim".

A Bíblia nos adverte sobre o nosso falar. Com ele podemos glorificar a Deus como
destruir nosso irmão feito à imagem e semelhança de Deus. Muitas vezes falamos
para aliviar as tensões e não nos preocupamos com os resultados. Daí colhermos
tempos difíceis em nossas vidas. Satanás pode utilizar nossa língua como arma para
enfraquecer e esfriar a igreja. Isso não significa que ao vermos o mal sendo perpetrado por outros não tenhamos o dever de denunciá-lo. Muitos falam mal de outros irmãos em Cristo porque o outro manifesta um dom que este não tem. Muitos falam mal de outros porque não possuem os bens que estes têm. Fomos chamados para falarmos das boas novas do
evangelho e não dos irmãos. Mas Tiago neste texto nos diz que a língua pode ser
incendiada pelo inferno e causar grande destruição. Um coração rancoroso, cheio de
amargura e ódio somente espalha contenda. Quantas vidas foram destruídas por falas mentirosas e maldosas. Falas que levantam suspeitas e nunca apresentam provas. A Bíblia nos encoraja a termos uma palavra temperada com o sal do evangelho para que tenha sabor e dê vida a outros (A vossa palavra seja sempre com graça, temperada com sal, para saberdes como deveis responder a cada um.) Col. 4:6.
Quando utilizamos nossa língua para louvarmos a Deus e engrandecermos Seu
Nome, então, não teremos oportunidade nem tempo de falarmos de outros. Quando
alguém se dispõe a falar de outros é porque seu coração está frio e longe do Pai.
Somos encorajados pela Palavra de Deus a comunicarmos graça às pessoas que nos
escutam (Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, mas ó a que seja boa para a necessária edificação, a fim de que ministre graça aos que a ouvem.) Ef. 4:29.
Quando permitimos que alguém fale mal de outra pessoa conosco, estamos nos
nivelando e igualando com ela e permitindo que o mal cresça. Precisamos ser canais
da benção de Deus e não do mal.
Quando alguém se aproximar de você para falar de outra pessoa, não dê ouvidos e
mesmo diga que não é seu costume falar de pessoas alheias.
Vamos ser abençoadores, anunciadores da boa palavra do evangelho, adoradores do
Pai e discípulos verdadeiros de Jesus.
Que nossa língua seja um instrumento da glória de Deus.

Soli Deo Gloria

Pr. Luiz Fernando Ramos de Souza

01 fevereiro 2011

COMBATI O BOM COMBATE


"Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé.”.

O apóstolo Paulo está chegando ao final de sua vida. Olha para trás e faz um balanço de tudo o que se passou. Verifica que muita coisa havia sido feita. Muitas almas ganhas para o Senhor, várias igrejas levantadas e a sã doutrina havia sido impartida com as igrejas. Neste texto ele destaca alguns pontos importantes para nossas vidas. Em primeiro lugar ele diz que: “combati”. A idéia é de uma luta bem renhida e constante. Combateu pela causa de Cristo e gastou sua vida nisso. Ele havia combatido. Em momento algum vemos o apóstolo reclamando de seu combati na vida. Também não o vemos amarrando demônios em possíveis batalhas espirituais, mas pelo contrário, ele afirma em I. Cor. 9:27 "Antes subjugo o meu corpo, e o reduzo à servidão, para que, pregando aos outros, eu mesmo não venha de alguma maneira a ficar reprovado". Para Paulo e o autor do livro de Hebreus a vida cristã era igualada a uma corrida de longo alcance. Era necessário ter concentração, resistência e graça.

Em segundo lugar fala sobre o “bom combate”. Combateu o combate correto. Desgastou-se naquilo que valia a pena. Nem todo combate é bom combate. Aplicou suas energias na obra de Deus e esse mesmo Deus havia reservado para ele uma corôa de vitória. O que mais tenho visto em meu ministério são cristãos gastando energias naquilo que é improdutivo. Por exemplo: Disputa entre irmãos, a busca por defender seu nome e imagem etc. Estas e outras coisas somente nos fazem perder o alvo da obra de Deus neste mundo. A igreja foi colocada no mundo para anunciar a salvação em Cristo Jesus. Nada mais do que isso. Como corolário dessa pregação do evangelho virá uma sociedade transformada, uma melhoria nas relações humanas etc. Vejo cristãos se desgastando na busca desenfreada por dinheiro, posição social e reconhecimento e fazem disto seus alvos de oração. Um dos ensinamentos modernos que mais têm contaminado a igreja é o ensino sobre "semear sementes". Esta erva daninha tem estragado a lavoura de Deus, pois, muitos contribuem em busca de algo. Como se Deus fosse obrigado a fazer porque nós fizemos. Se temos de combater que combatamos o bom combati. Deus nunca se esquece daquilo que fazemos em Sua obra. Mas também disse: “acabei a carreira”. Deus tinha um plano na vida de Paulo e ele concluíra este plano. Não se desviara do alvo de sua vida. No caminho de Damasco Paulo teve uma experiência com Cristo e não perdeu de vista aquilo que lhe havia sido entregue. Que consciência do dever cumprido! Em nada havia sido negligente, mas em tudo trabalhara firmemente. Muitos ainda nem perceberam que Deus tem um plano em suas vidas. Que o Senhor espera algo deles. Vivem dia - após- dia lutando seus combates pessoais e buscando suas próprias carreiras, enquanto o que o Senhor planejou fica para trás. Falta-nos este senso de objetividade na vida. Saber que temos uma carreira a ser cumprida e que precisamos terminá-la ainda nesta vida. Que não nos arrependamos no final de nossas vidas, ao olharmos para traz e ver que muito ficou por ser feito. Só temos esta vida para cumprir aquilo que o Senhor traçou para nós. Esse é o bom combati.

Paulo conclui seu pensamento com a afirmativa: “guardei a fé”. Apesar das lutas e desafios Paulo manteve a fé. Fé conforme disse Judas que uma vez foi entregue aos santos. Fé que expressa sua confiança em Cristo como uma doutrina sadia. Não precisamos sacrificar a Sã Doutrina porque passamos por lutas e provações. Serão a doutrina correta e a graça de Deus nossos sustentáculos durante os combates desta vida. Eles nos garantirão a vitória.

Meu irmão apesar de tudo resta-nos o bom combate, resta-nos concluirmos a carreira e nunca abandonarmos a fé.

A VITÓRIA É PARA O QUE COMBATE O BOM COMBATE.

Soli Deo Gloria

Pr. Luiz Fernando R. de Souza